Jesus é Deus?

*Mario Eugenio Saturno
Já tive a oportunidade de comentar minha dificuldade com a língua grega da Bíblia e a incapacidade que temos para interpretar os textos originais. Incluo aqui a Septuaginta, que era usada pelos apóstolos como mostram as mais de 300 citações do Novo Testamento.


Interpretar erradamente os textos em português é o que acontece também com muita gente que tirava péssimas notas e agora se fez pastor. Claro, nem adianta conversar com essa gente, falta-lhes a ferramenta necessária para o entendimento. Daí podemos entender as palavras de Jesus: “São cegos e guias de cegos”. Ora, se um cego conduz a outro, tombarão ambos na mesma vala (Mt 15,14). Para estes, o destino foi dito pelo próprio Jesus: nunca vos conheci, retirai-vos de mim, operários maus! E são estes justamente os que “fazem” muitos milagres (Mt 7,22-23).

O mesmo podemos depreender dos aspectos filosóficos da doutrina de Jesus Cristo. A “ferramenta” para compreender certos conceitos está muito além do leigo. Mas o arrogante tem a fórmula mágica: “não preciso nada disso, tenho o Espírito Santo”, essa é a confissão máxima de ignorância! Mas algo me incomoda, se o Espírito é espírito de paz e união por que provoca tanta divisão? Eu só conheço um espírito divisor, que em grego se diz “diabolos” (divisor). Portanto, sigamos a Igreja com seus padres teólogos, filósofos, linguistas.

Quem assim não fizer já comete outro pecado, da burrice! Apesar de que isso não é pecado, a não ser o da preguiça por não ter estudado mais, e da inveja que por da falta de humildade não aceita alguém mais sábio que a si mesmo. Talvez seja por isso que alguns não aceitem Jesus como Deus.

Veja que passamos os últimos meses meditando sobre Jesus e sua missão, do Natal à Ressurreição no Domingo de Aleluia. Aliás, o Natal tem um significado esplêndido, foi atribuído, já que se ignora a data verdadeira, ao dia mais longo do ano no hemisfério norte. Assim, conforme o ano passa, mais iluminados ficam os dias.

Mas, como podemos afirmar a divindade de Jesus? Se ouvirmos Mateus: eis que a Virgem conceberá e dará à luz um filho, que se chamará Emanuel (Is 7, 14), que significa: Deus Conosco (Mt 1, 23). Deus conosco? Mais direto impossível. Vejamos ainda João: os judeus lhe disseram: não tens ainda cinqüenta anos e viste Abraão!... Respondeu-lhes Jesus: antes que Abraão fosse, eu sou. Eu Sou! Não nos esqueçamos que “Eu Sou” (em hebraico Jahveh) é também o “Nome de Deus”, por isso pegaram então em pedras para lhas atirar nele (Jo 8, 57-59)

Tomé deu o testemunho: meu Senhor e meu Deus (Jo 20, 27-28)! O próprio Jesus afirma: Eu e o Pai somos um (Jo 10, 29-33)! Resumimos na declaração de Santo Agostinho que em visão encontrou uma criança querendo colocar toda a água do mar em um buraquinho e ouviu dela, que era um anjo, que isso era mais fácil que entender a Santíssima Trindade. Para quem não estudou bastante, acreditemos nos dogmas.

*Mario Eugenio Saturno (mariosaturno.blog.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.

Ler 1139 vezes
Entre para postar comentários
Top