Jesus pregou aos mortos

Mario Eugenio Saturno
Passei as últimas semanas praticando a língua grega da Bíblia. Minha dificuldade levou-me a refletir sobre a capacidade que temos para interpretar textos. Ou melhor, na incapacidade, minha no caso, com as Escrituras originais, ou seja, em grego. Veja se não estou certo, uma pessoa que não saiba interpretar o texto, vai interpretá-lo errado. Assim, para as Escrituras em grego, aceitarei as interpretações de alguém mais sábio que eu. No caso, os bispos e padres teólogos, filósofos, linguistas.


Quem assim não fizer, não terá outra chance porque Jesus já pregou aos mortos, conforme atenta Pedro (1 Pd 3,18-22): Cristo morreu, uma vez por todas, por causa dos pecados, o justo pelos injustos, a fim de nos conduzir a Deus. No Espírito, ele foi também pregar aos espíritos na prisão, a saber, aos que foram desobedientes antigamente, quando Deus usava de longanimidade, nos dias em que Noé construía a arca. À arca corresponde o batismo, que hoje é a vossa salvação. Jesus Cristo subiu ao céu e está à direita de Deus, submetendo-se a ele anjos, dominações e potestades (1 Pedro 3,18-22).

A primeira curiosidade é que este trecho, incluindo também 4,1-6, contém os elementos de uma antiga profissão de fé: a morte de Cristo (3,18), descida à mansão dos mortos (3,19), a ressurreição (3,21), sentou-se à direita de Deus (3,22), julgamento dos vivos e mortos (4,5).

Se Jesus "ressuscitou dentre os mortos" (1Cor 15,20) então pressupõe-se que tenha ficado na Morada dos Mortos. Mas para lá foi como Salvador, proclamando a boa notícia aos espíritos que ali estavam aprisionados (CIC §632). A Escritura denomina a Morada dos Mortos de os Infernos, o sheol ou o Hades, Visto que os que lá se encontram estão privados da visão de Deus, maus ou justos. Jesus não desceu aos Infernos para ali libertar os condenados nem para destruir o Inferno da condenação, mas para libertar os justos que o haviam precedido (§633).

Cristo desceu, portanto, no seio da terra, a fim de que "os mortos ouçam a voz do Filho de Deus e os que a ouvirem vivam" (Jo 5,25). Jesus, "o Príncipe da vida", "destruiu pela morte o dominador da morte, isto é, O Diabo, e libertou os que passaram toda a vida em estado de servidão, pelo temor da morte" (Hb 2,5). A partir de agora, Cristo ressuscitado "detém a chave da morte e do Hades" (Ap 1,18), e "ao nome de Jesus todo joelho se dobra no Céu, na Terra e nos Infernos" (Fl 2,10). Conforme §635 do Catecismo.

Um grande silêncio reina hoje na terra, um grande silêncio e uma grande solidão. Um grande silêncio porque o Rei dorme. A terra tremeu e acalmou-se porque Deus adormeceu na carne e foi acordar os que dormiam desde séculos... Ele vai procurar.

Que fique a mensagem que o próprio Jesus nos deixou: “o tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!” (Marcos 1,12-15). A sua oportunidade (e a minha também) se manifesta agora!

*Mario Eugenio Saturno (mariosaturno.blog.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.

Ler 1349 vezes
Entre para postar comentários
Top