Economia do Paraná vive novos tempos

Ademar Traiano
A economia paranaense ganhou uma forte dinâmica e um renovado vigor nos últimos tempos. Acaba de ser divulgado um novo levantamento do Caged – Cadastro Geral de Empregados e desempregados – do Ministério do Trabalho.


Ele revela que, mais uma vez, o Paraná apresentou o melhor desempenho entre os Estados do Sul na geração de empregos no primeiro trimestre de 2012, quando foram registradas as criações de 45.472 postos de trabalho.

Mais impressionante ainda - em um momento em que tanto se fala em desindustrialização - à indústria do Paraná foi a mais dinâmica do País na geração de emprego e renda no primeiro bimestre deste ano. A informação consta da Pesquisa Mensal de Emprego e Salário (PIMES), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O pessoal ocupado no setor industrial, no Estado, cresceu 4,4% em relação ao mesmo período do ano passado, contra declínio de 0,6% da média nacional (formada pelos 10 estados em que a pesquisa é aplicada). Em rendimento salarial, o Paraná cresceu 13,7%, contra 4,8% no outros Estados.
Segundo a pesquisa do IBGE, os segmentos da indústria paranaense que combinaram expansão expressiva de emprego e também da massa salarial foram máquinas e aparelhos elétricos, meios de transporte, alimentos e bebidas, têxtil e minerais não metálicos.

Os problemas do Porto de Paranaguá estão sendo equacionados. A exportação de veículos pelo Porto fechou o primeiro trimestre do ano com alta de 25% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 18,6 mil unidades exportadas, contra 14 mil no mesmo período do ano passado. No trimestre, a APPA registrou alta de 77% nas importações de veículos, totalizando 35 mil unidades contra 20 mil no mesmo período de 2011.
Outro destaque na movimentação do trimestre é a soja, que atingiu alta de 144% nas exportações, totalizando 1,9 milhão de toneladas. O farelo de soja também apresentou bom resultado, totalizando 1,1 milhão de toneladas exportadas, o que representa uma alta de 50% em relação a 2011.

A mais impressionante guinada do Paraná nos últimos tempos foi com os investimentos privados. Eles tiveram um incremento muito expressivo nos últimos meses, comprovando que o Estado voltou, definitivamente, ao radar dos investidores nacionais e internacionais depois de um longo período.

Um levantamento feito no Boletim Análise Conjuntural do Ipardes demonstra essa nova realidade. Ele constata que, no intervalo de tempo compreendido entre 2003 e 2010 (96 meses), foram anunciados R$ 16,2 bilhões em investimentos privados no Estado do Paraná.

A título de comparação, em menos de 14 meses de governo Beto Richa já foram protocolados projetos de R$ 16,4 bilhões, se computados os da Klabin (R$ 6,8 bilhões) e das três cooperativas dos Campos Gerais (Castrolanda, Batavo e Capal), que vão investir R$ 640 milhões em rações e industrialização de carne suína.

Aos poucos - com segurança, com continuidade e sem pirotecnia - a economia paranaense volta a ser um dos carros chefe da economia brasileira. Graças a excelente parceria entre governo e a iniciativa privada.

*Ademar Traiano é deputado estadual pelo PSDB e líder do governo na Assembleia Legislativa.

Ler 1179 vezes
Entre para postar comentários
Top