Não existe polícia fora da lei

Ademar Traiano
Melhorar a segurança pública do Paraná é uma obsessão do governador Beto Richa, como escrevi no meu último artigo. O foco nessa questão - que representa um clamor da maioria dos paranaenses - é demonstrado no dia a dia com ações do governo do Estado.


Assim como amplia e fortalece as forças policiais do Paraná, o governo está atento para agir com rapidez e energia para apurar e, eventualmente, punir qualquer tipo de irregularidade envolvendo as polícias do Estado.

Denúncias sobre supostas irregularidades no Fundo Rotativo da Polícia Civil, levantadas pelo jornal Gazeta do Povo, tiveram uma resposta rápida e imediata do governador. A Polícia Civil do Paraná vai passar por uma reestruturação administrativa.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública deve lançar um edital nas próximas semanas para contratação de uma instituição de referência nacional, que será responsável por um novo planejamento estratégico e um redesenho administrativo da Polícia Civil.

Nessa atitude, de apurar e depurar eventuais irregularidades, não existe qualquer espécie de prejulgamento, diz o governador. O que existe é a convicção de que é preciso que as forças policiais tenham transparência, controles e fiscalização cada vez mais aperfeiçoados.

Não existe polícia fora da lei. O que pode existir são policiais que cometem transgressões e que devem ser identificados e responsabilizados exemplarmente.

O que não pode acontecer, de maneira alguma, é jogar uma corporação exemplar, que há muitos anos vem tocando a segurança pública do Estado com escassez de efetivos e meios – algo que vem sendo mudado pelo governo Beto Richa - em uma vala comum. E isso não vai acontecer.

Concomitantemente com as fiscalizações, o governador Beto Richa vem ampliando os investimentos em segurança pública. Ele assinou no último dia 21 o decreto que cria o 22.º Batalhão da Polícia Militar em Colombo. Esse Batalhão estará funcionando em 30 dias. A assinatura do documento foi realizada durante a inauguração da nova sede do 20º Batalhão de Polícia Militar, no bairro Boqueirão, em Curitiba. A instalação do novo batalhão faz parte do programa Paraná Seguro, que prevê, entre outras ações, a aquisição de três mil novas viaturas, com tecnologia embarcada, construção de 40 novas delegacias neste ano e a implantação de módulos policiais.

O governo está implantando ainda em Maringá e Francisco Beltrão a Escola de Formação da Polícia Militar. São braços da Academia Policial Militar do Guatupê no interior do estado, o que facilita a formação de soldados nas proximidades de onde moram. 



A fronteira do Paraná com outros países está sendo blindada com a união das forças policiais para que as ações de segurança sejam mais eficazes. Exemplo de integração para a proteção da região de fronteira a Operação Ágata II, das Forças Armadas, que conta com a participação da Polícia Federal e das polícias paranaenses.

*Ademar Traiano é deputado estadual do PSDB e líder do governo na Assembleia Legislativa.

Ler 780 vezes
Entre para postar comentários
Top