Sábado, 13 Abril 2013 13:00

Raio-x

Escrito por

Os de gravata - Dois delegados e um investigador da Polícia Civil do Paraná foram presos por posse ilegal de arma e munição restrita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço do Ministério Público do Paraná (MP-PR).


As detenções ocorreram durante a operação Vortex, deflagrada para investigar uma rede de extorsão formada por policiais civis, incluindo delegados. Dezoito mandados de busca e apreensão foram cumpridos em duas delegacias da capital, uma divisão policial e nas casas dos policiais. As armas foram encontradas nas residências deles, e isso motivou as prisões. Os delegados Gérson Machado, titular do 6º Distrito, Luiz Carlos de Oliveira, responsável pela Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, e o investigador Aleardo Riguetto, do 6º DP, foram presos na quarta-feira (3). O caso de corrupção estaria ocorrendo há mais de um ano e a extorsão teria sido institucionalizada por meio da Divisão de Crimes Contra o Patrimônio. Entre os locais em que foram cumpridos os mandados estão duas delegacias de Curitiba: DFRV e 6º Distrito Policial, no bairro Capão da Imbuia. Além disso, a sede da Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, no centro da capital, e a casa de três delegados também foram alvo dos promotores do Gaeco. “Há indícios fortes de que havia corrupção na DFRV e na Divisão de Crimes Contra o Patrimônio”, disse Leonir Battisti à imprensa.

Colarinho branco - Três funcionários do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) foram afastados de suas funções em decorrência de suspeita de corrupção e cobrança de propina para a liberação de licenças ambientais nos municípios de Pato Branco e Francisco Beltrão. O afastamento ocorreu quarta-feira (3), após três meses de investigação da Polícia Civil. O inquérito está sob segredo de Justiça. O representante de uma empresa, que teria sido vítima do esquema, e não quis se identificar, disse que apesar de o pedido para a liberação de licença estar dentro da lei, os membros do IAP de Francisco Beltrão e Pato Branco teriam cobrado R$ 700 mil para a autorização. Como não concordou com o esquema, ele disse que procurou a presidência do IAP em Curitiba e foi orientado a denunciar o caso à Polícia. O delegado de Pato Branco, Rômulo Contin, confirma que houve uma denúncia de propina para a liberação de licenças ambientais, mas não dá detalhes sobre qual vítima teria denunciado o caso. "Esses membros do IAP, caso não fosse paga a propina, postergavam e embaraçavam a autorização do IAP, forçando que as pessoas pagassem o valor. Nós recebemos provas contundentes da ocorrência dessa prática". Foram afastados o chefe do IAP de Francisco Beltrão, o chefe do IAP e um fiscal de Pato Branco. A princípio, de acordo com o delegado, foi pedida a prisão dos suspeitos, mas a Justiça determinou que o afastamento seria suficiente para continuar com as apurações. "Se no decorrer das investigações isso não for suficiente e houver uma efetiva influência dos acusados na investigação, podemos pedir novamente a prisão deles", afirma o delegado. 

Sem inflação!!! – O quilo de tomate, em algum canto do País, chega a R$ 12. Não é o fim do mundo. É a economia do Brasil. Quanto estaria ganhando o produtor??? Infelizmente, espertalhões estão garfando o dinheiro do consumidor. Proteste. Não compre. 

 

Estrada do Colono - Por maioria, a Comissão Especial da Estrada Parque “Caminho do Colono” aprovou, quarta-feira (03), o parec er favorável à criação da Estrada Parque, tendo apenas um voto contrário. A reunião, conduzida por seu presidente, o deputado federal Eduardo Sciarra (PSD-PR), contou com a presença de diversas lideranças e representantes da região oeste e sudoeste do Paraná. O deputado Sciarra declarou que “este é mais um passo adiante na busca pela reabertura do Caminho do Colono, porém a vitória só estará completa quando também tivermos a aprovação do Senado”. O texto aprovado prevê a criação da Estrada Parque sob um modelo ecológico de estrada, de uso sustentável e racional. Segundo ele, a transformação do caminho em uma Estrada Parque deverá ser precedida de estudos de impacto ambiental, incluindo facilitadores de passagem para a circulação dos animais. A pavimentação deverá ser feita com blocos de basalto, sendo vedado o asfaltamento de qualquer parte do percurso. O texto também exige, como pré-requisito, a instalação de guaritas para controle do acesso de veículos, que seriam limitados a carros de passeio, camionetes e coletivos para transporte de turistas; a implantação de devida sinalização rodoviária e turística; a utilização de redutores de velocidade ao longo do trecho e limite de velocidade abaixo do estabelecido pela legislação vigente; e a instalação de mirantes naturais e pontos de parada. Permitir-se-ia, no entanto, a circulação de veículos do Exército. Outra medida seria o controle do horário de acesso.

Reivindicação antiga - O caminho existe desde 1924 e liga os municípios de Serranópolis e Capanema. Com o fechamento da estrada, os moradores dessas localidades passaram a ter de percorrer um caminho de 200 quilômetros para ir de uma cidade a outra, contornando o parque. O trecho interditado que corta o Parque Nacional do Iguaçu ocupa apenas 17 quilômetros da PR-495. O caminho sempre foi importante para as atividades econômicas e turísticas locais, sendo a sua reabertura uma reivindicação da população da região.

Exemplo - A Polícia Federal do Estado do Paraná obteve o melhor resultado de produtividade entre todas as unidades do órgão no País. Esta informação foi divulgada pelo senador Alvaro Dias na sessão plenária de quarta-feira (03). O senador apresentou requerimento de Voto de Aplauso à Superintendência da PF no Paraná, por ter obtido o patamar mais alto de produtividade, segundo balanço preliminar divulgado pelo Departamento da Polícia Federal. Alvaro Dias destacou alguns dos resultados da PF paranaense, como o fato de ter realizado, em 2012, 37 operações, resultando em mais de mil flagrantes e 41 prisões. “Felicitamos a Polícia Federal do Paraná, exemplo de produtividade e eficiência. Registramos os nossos cumprimentos a todos os policiais e integrantes da PF do Paraná, por essa primazia de obter o melhor índice de produtividade. Parabéns ao delegado José Alberto de Freitas, superintendente da Polícia Federal do Paraná, bem como ao titular da Delegacia de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal no Estado, Wagner Mesquita”, afirmou.

A serviço do Paraná – O Secretário de Representação do Estado do Paraná, em Brasília, Amauri Escudero Martins, que esteve na chefia de gabinete do Secretário da Fazenda, Luiz Carlos Hauly e já com histórica e comprovada atuação como assessor parlamentar no Congresso Nacional, atendendo o gabinete do deputado Hauly e o PSDB nacional, comemora o pagamento dos royalties de petróleo do xisto. Amauri pôs o carimbo da conquista histórica ultrapassando as tentativas dos governos de Alvaro Dias, Roberto Requião (três mandatos) e Jaime Lerner (dois mandatos). É o Paraná fazendo valer a sua força à nível nacional, com competência e sensibilidade de quem conhece todos os quadrantes do Brasil e do Paraná.

Ler 732 vezes
Mais nesta categoria: « Raio - X Raio-x »
Entre para postar comentários
Top