UFFS – Campus Realeza é referência no atendimento a animais silvestres na região
Filhotes de coruja-da-igreja em abrigo provisório da Unidade de Medicina Veterinária. Foto: Divulgação

Fonte: Ascom – UFFS Realeza

 

A Unidade de Medicina Veterinária, da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Realeza é, atualmente, um dos únicos centros de referência no atendimento a animais silvestres na região Sudoeste do Paraná, de acordo com o 3º Pelotão da Polícia Militar Ambiental, de Francisco Beltrão.

 

Isso é possível a partir do Projeto de Extensão Serviço de Atendimento a Animais Silvestres.

O sargento-comandante do 3º Pelotão da Polícia Militar Ambiental, Charles Luis Civa, explica que antes da existência do projeto, os atendimentos a animais silvestres eram feitos por médicos veterinários voluntários. "Hoje é crucial o projeto da UFFS, pois é o único centro de tratamento habilitado na nossa região. O pessoal da Unidade de Medicina Veterinária tem uma agilidade significativa, sempre estão dispostos a nos atender", destacou.

 

O projeto tem como objetivo garantir atendimento médico-veterinário aos animais da fauna silvestre da Região de abrangência do Campus. Além disso, são desenvolvidos estudos a respeito da fauna e flora local, promoção do aprendizado acadêmico na área, entre outros. Os atendimentos são gratuitos.

Muitos dos animais encaminhados pela Polícia Militar Ambiental ao projeto são aves. "Alguns desses eram filhotes que caíram dos ninhos, foram abandonados ou até mesmo atropelados. Também já levamos dois veados-mão-curta. um deles foi encontrado num terreno baldio de Realeza, e o outro, um filhote encontrado abandonado na região de Renascença. Encontramos animais em diversas circunstâncias, mas podemos dizer que um terço deles são vítimas de atropelamentos", explica Civa.

O Projeto de Extensão "Serviço de Atendimento a Animais Silvestres" é coordenado pela professora Patricia Romagnolli, com a colaboração do professor Gentil Ferreira Gonçalves, do técnico-administrativo em educação, médico veterinário Leonardo Gruchouskei, e dos acadêmicos Ronaldo José Piccoli (bolsista), Carla Sordi Furlanetto (voluntária), Thiago Fronchetti (bolsista), Rayane Ribeiro (voluntária), Everton Bruno Vissoto (voluntário), Rafael Moscon (voluntário) e Juliana Geraldi (voluntária). Também há o apoio de outros médicos veterinários especializados na fauna silvestre, Polícia Ambiental e Prefeitura Municipal de Realeza.

 

Caso alguém encontrar um animal silvestre abandonado, ferido ou que seja vítima de maus tratos, deve entrar em contato com a Polícia Militar Ambiental de Francisco Beltrão, pelo telefone (46) 3527-1093 ou para Foz do Iguaçu (45) 3529-9045. "É importante ressaltar que atendemos prioritariamente animais silvestres que estejam feridos ou mesmo deslocados do seu habitat, causando algum risco à população. Não lidamos com pragas urbanas, como, por exemplo, ratos", enfatiza Civa.

 

Atendimentos realizados

Desde o mês de maio até hoje, foram atendidos 25 animais pelo projeto. Desse número, 17 são aves, como o gavião-carijó, a coruja-da-igreja e o urutau - esse último uma ave difícil de ser encontrada, já que permanece disfarçada, sendo facilmente confundida com um galho de árvore.

Entre as outras espécies atendidas, estão dois veados-mão-curta, mamíferos encontrados em serras do interior de Santa Catarina e Paraná, contanto que sejam cobertas de densa vegetação. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, o veado-mão-curta é considerado um animal vulnerável, em razão da perda e da fragmentação do habitat, além da caça.

 

Confira as espécies da Fauna Silvestre atendidas pelo Projeto em 2013:

Azulão (Cyanoloxia brissonii)

Bem-te-vi (Pitangus sulphuratus)

Bicudo (Sporophila maximiliani)

Calopsita (Nymphicus ollandicus)

Chupim (Molothrus bonariensis)

Cobra Coral (Micrurus corallinus)

Cobra Coral Falsa (Erythrolamprus aesculapii)

Cobra Dormideira (Sipynomorphus mikanii)

Coruja-da-Igreja (Tyto alba)

Curió (Sporophila angolensis)

Gavião-carijó (Rupornis 

magnirostris)

Jabuti Piranga (Geochelone 

carbonária)

Macaco-prego (Cebus sp.)

Pomba-amargosa (Patagioenas plúmbea)

Quati (Nasua nasua)

Sabiá-peito-roxo (Turdus 

rufiventris)

Tesourinha (Tyrannus savana )

Trinca-ferro (Saltator sp.)

Veado-mão-curta (Manzana nana)

Urutau (Nyctibius griséus)

Ler 1174 vezes

Itens relacionados (por marcador)

  • Prefeituras receberam quase R$ 20 milhões a menos em ICMS no semestre

    Gestores estão cortando despesas para enfrentar momento de crise nas contas públicas.

     

    Da assessoria/Amsop

    Apesar do aumento nos repasses de ICMS às prefeituras da região em junho, o primeiro semestre do ano terminou com queda de R$ 19,6 milhões nas transferências do imposto. Os meses com pior resultado foram abril e maio, quando a redução foi de 33% e 40%, reflexo da redução da atividade econômica em função das medidas de combate ao coronavírus.

     

    Os repasses de ICMS aos 42 municípios do Sudoeste totalizou R$ 261 milhões entre janeiro e junho deste ano, valor menor que os R$ 280 milhões do mesmo período de 2019, segundo levantamento feito pela Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná). E as transferências do imposto são apenas uma das que as prefeituras recebem do governo do Estado e Federal para custear despesas e realizar investimentos e que também foram afetadas. A arrecadação própria dos municípios (com IPTU, ITBI, ISS...) foi reduzida.

     

    A União está complementando parte do FPM e aprovou o repasse de dois auxílios emergenciais a estados e municípios, mas somente uma parte destes recursos chegou às prefeituras.

     

    Corte de gastos e cumprimento das obrigações

  • Sudoeste do Paraná tem mais de 481 mil eleitores

    A Justiça Eleitoral divulgou dados referentes ao mês de maio de eleitores que já estão aptos a votar nas eleições municipais de 2020.

  • 215 pessoas morreram em decorrência da Covid-19 no Paraná

    Nesta quinta-feira foram divulgados mais dez óbitos, o maior número registrado em um único informe epidemiológico, desde o início da pandemia, há 81 dias. Estado tem 327 novos casos e total é agora de 5.820 diagnósticos.

  • Paraná investe R$ 23,3 milhões em equipamentos para escolas

    As 2,1 mil escolas da rede estadual receberão mais de 550 mil cadeiras, mesas, talheres em inox, pratos, banquetas, armários, mesas-refeitório, refrigeradores, além de climatizadores que estão sendo destinados para unidades de regiões mais quentes do Estado.

  • Copel investe R$ 20 milhões na modernização de Centro de Operação

    Projeto permitirá que o sistema passe a comandar de forma remota e centralizada as usinas, subestações e linhas de transmissão de energia da Companhia.

Entre para postar comentários
Top