Faróis de xenon estão com os dias contados
A partir de primeiro de janeiro de 2009, o motorista flagrado com o veículo adaptado com o farol de xenon, será autuado. A infração é considerada grave.
0Polêmico, o farol de xenônio entrou na mira do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que editou uma série de medidas para evitar que a guerra de luzes se transforme em acidentes.
A resolução 294 do Contran diz que só poderão rodar com faróis de xenon carros que tiverem um sistema que regula a altura das lâmpadas quando há desníveis na pista ou sobrecarga no porta-malas. Este equipamento impede que o facho do farol suba e ofusque outros motoristas.
Também passam a ser obrigatórios os limpadores de farol, para que uma sujeira não mude a direção do facho de luz. Estas tecnologias vem instaladas de fábrica em carros importados, mas não estão nos kits de adaptação vendidos aqui no Brasil e que, por uma questão estética , ganhou a preferência de milhares de motoristas.
Na verdade os faróis de gás xenônino, ou xenon, como é mais conhecido viraram uma febre com os kits que vêem da China. Até motos são equipadas com os faróis de xenônio. São dois reatores e duas lâmpadas que custam em média R$ 300.
Segundo o Contran, o desrespeito à norma é considerado infração grave, que prevê multa de R$ 127 e retenção do veículo. Por isso, na prática, quem instalou os faróis de xenon depois de comprar o carro, vai ter que tirá-los.
Pra quem não sabe, a vantagem é que o farol de xenônio ilumina três vezes mais e consome 40% menos de bateria do que uma lâmpada comum, dizem comerciantes do ramo. Já para o Contran, o farol xenon adaptado causa uma cegueira momentânea e pode provocar colisão, por causa da potência da lâmpada.
Ler 582 vezes
Entre para postar comentários
Top