Imprimir esta página
Polícia prende 300 e tira de circulação 10 ton de drogas

Nos 100 primeiros dias do segundo governo Beto Richa a Secretaria Estadual da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná coordenou sete operações policiais: 300 pessoas foram presas e apreendidas 10 toneladas de drogas.

 

“Nestes 100 dias, batemos recordes de apreensões de drogas e de prisões que não aconteciam nos últimos nove anos”, disse o secretário Fernando Francischini. “Tivemos a redução da criminalidade, principalmente nos crimes contra o patrimônio, que são os roubos. Os homicídios continuam em queda constante e têm os melhores índices dos últimos sete anos”, afirmou.

“Isso só confirma que o cumprimento de mandados de prisão, mandados de busca e operações contra o tráfico de drogas têm influenciado nessa melhoria na segurança pública. Precisamos de mais, mas estamos dando os primeiros passos no sentido de uma política forte contra o crime organizado, combatendo as drogas e melhorando a segurança da população paranaense”, avaliou Francischini.

 

INTELIGÊNCIA
Uma das prioridades foi a estruturação do trabalho de inteligência, triplicando o número de policiais. O Departamento de Inteligência do Paraná (Diep) conta com mais de 60 profissionais de diferentes áreas.

O Centro Integrado de Comando e Controle, inaugurado para a Copa do Mundo, foi reativado e conta agora com as imagens de mais de 2.000 mil câmeras. A estimativa é que chegue a 4 mil até o fim deste ano. A Secretaria da Segurança assinou um convênio com a Prefeitura de Curitiba para ter acesso às imagens das câmeras da Urbs, da Guarda Municipal e da Secretaria de Trânsito, ampliando assim o trabalho dos policiais.

O secretário propôs aos empresários da Associação Comercial do Paraná um convênio para que o Centro Integrado tenha acesso às imagens das câmeras instaladas nos comércios, hotéis, bares e restaurantes. Desta maneira, a polícia terá mais rapidez para identificar e prender os assaltantes. Para coibir o roubo de carros, as concessionárias de pedágio do Paraná vão instalar câmeras que fazem o reconhecimento de placas dos automóveis. Desta maneira, os veículos roubados serão identificados por este sistema de segurança.

 

ROUBOS DE CAIXA
Outra prioridade é o combate às quadrilhas que explodem caixas eletrônicos. Foi criada Força Tarefa, composta por policiais da inteligência, civis e militares e das unidades especiais, como Bope, Cope, COE e Tigre. A força tarefa passou a fazer policiamento ostensivo nos horários em que as quadrilhas agem. Desde então, bandidos que estouravam caixas eletrônicos foram presos em todo o estado, inclusive uma das principais organizações criminosas.

 

OPERAÇÕES
Outras operações policiais foram deflagradas em Curitiba e no interior no combate ao crime organizado. O resultado é muito positivo: 300 criminosos atrás das grades em apenas sete operações. Em uma dessas ações, a polícia prendeu ao todo 15 membros de duas quadrilhas que aterrorizavam os moradores da Vila Torres, em Curitiba.

Em outra operação, batizada como “Clausura”, a PM prendeu 93 bandidos, fez 25.699 abordagens, apreendeu 328 veículos e emitiu 955 autos de infração de trânsito. Os policiais também apreenderam drogas, munições e armas de fogo. A operação contou com a participação de cerca de 2 mil policiais militares e mais de 800 viaturas.

Já a Operação Lei e Ordem terminou com a prisão de 68 criminosos. Dias depois, a segundo versão da operação, desarticulou o tráfico de drogas no centro de Curitiba. Dezesseis pessoas foram presas. Também em Curitiba, policiais da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos deflagraram a “Operação Bumerangue” que terminou com a recuperação de 25 carros roubados.

No interior do Estado, a polícia prendeu 47 pessoas durante a “Operação Testa de Ferro”, na cidade de Toledo. A quadrilha agia em Toledo, Cascavel, Pinhais, Castro, Guaíra, Santa Helena, Brusque (SC) e Itajaí (SC).

Em Paranaguá, no Litoral, 25 pessoas foram presas e cinco adolescentes apreendidos. Eles eram acusados de violência doméstica, roubo, tráfico de drogas e homicídio na região.

 

COMBATE ÀS DROGAS
Uma das principais preocupações é o combate ao tráfico de drogas, que têm como conseqüência crimes como roubo e homicídio. As unidades do Denarc apreenderam nos primeiros três meses de 2015, mais de três toneladas de drogas em operações realizadas em todo o estado.

O número representa um aumento de quase 900 kg com relação às apreensões feitas no mesmo período do ano passado. Neste balanço não constam as drogas encontradas em operações de outras divisões da polícia do Paraná.

As unidades do Denarc estão em constante monitoramento dos grandes carregamentos de drogas que têm como destino a cidade de Curitiba e região metropolitana.

No interior, as ações contra o tráfico de drogas foram intensificadas. Em Cascavel, a Denarc deflagrou a operação “Câmara Fria” que fechou laboratório de drogas e terminou com a prisão de 30 traficantes em cinco estados brasileiros. A droga era distribuída no Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Outra ação foi realizada em Missal, com apreensão de drogas e armas e prisão de traficantes.

Em Maringá, o Denarc apreendeu 600 quilos de droga e prendeu sete traficantes. Em uma ação, nas cidades de Andirá e Ibiporã, cinco pessoas foram presas pelo crime de tráfico de drogas. Em outra operação, desta vez em Tapejara, mais 291 quilos de maconha foram retirados das ruas e dois traficantes foram parar atrás das grades. Ainda na região Norte, na cidade de Rolândia, o Denarc apreendeu R$ 500 mil em cocaína.

Em Piraí do Sul, na região dos Campos Gerais, a PM apreendeu com quase 100 kg de cocaína dentro de um avião que fez um pouso de emergência. A Denarc de Curitiba assumiu a investigação do caso para identificar os traficantes que receberiam a droga.

 

FRONTEIRA
Em Foz do Iguaçu, a Secretaria de Segurança começa estruturar um centro integrado de inteligência policial, em parceria com policiais do Rio de Janeiro e São Paulo, para monitoramento das ações criminosas, a partir da tríplice fronteira.

Além de impedir a entrada da droga, o centro integrado vai combater o crime organizado, o roubo de veículos e o tráfico de armas na região de fronteira.

Para isso, a Secretaria da Segurança reforçou a frota policial: as 30 cidades da região receberam mais de 100 novas viaturas para auxiliar as Polícias Militar e Civil no combate à criminalidade e no trabalho da Polícia Científica. A entrega das viaturas faz parte do convênio Estratégia Nacional de Fronteiras - uma iniciativa da União celebrada por intermédio da Secretaria da Segurança com as prefeituras. O acordo é uma das ações desenvolvidas para a efetivação do Plano Estratégico de Fronteiras, que visa o fortalecimento de prevenção, controle, fiscalização e repressão de crimes em fronteiras do país.

 

181 DISQUE DENÚNCIA
Além do reforço na estrutura da polícia, a participação popular com informações relevantes para orientar o trabalho policial é mais importante instrumento para a segurança pública.

Nos três primeiros meses do ano se ampliou a atuação do serviço 181-Narcodenúncia, que garante anonimato total. O compromisso é com a mudança do conceito para 181 Disque-Denúncia, que passará a receber denúncias de todos os tipos de crimes.

O cidadão poderá fazer denúncias pela internet e por aplicativos de mensagens instantâneas como o wathsapp.

Outra mudança que consta no projeto elaborado para o 181 Disque-denúncia é que, a exemplo do que ocorre em outros estados, haja pagamento de recompensas em casos de grande repercussão, que resultem em prisões, apreensões, pessoas procuradas pela Justiça ou desaparecidas. O pagamento se dará em decorrência do resultado eficaz da denúncia e não pela simples informação repassada. A perspectiva é que o novo 181 Disque-denúncia fique em pleno funcionamento já no segundo semestre deste ano.

 

NA PRÓPRIA CARNE
O 181 Disque-denúncia será uma importante ferramenta para também combater a corrupção dentro das polícias. Através deste canal de comunicação, os cidadãos poderão denunciar atos ilícitos cometidos por policiais.

Mais de dez policiais, entre civis e militares, foram presos por envolvimento em irregularidades. Além disso, a secretaria também tem atuado em parceria com outras instituições como o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) para coibir atos de corrupção na instituição.

 

GAECO
Nestes 100 dias, foram desencadeadas diversas operações em conjunto com o Gaeco contra o tráfico de drogas, receptação e corrupção. A parceria resultou, por exemplo, na desarticulação de um esquema de corrupção de agentes públicos para facilitação de fuga de presos da Penitenciária Estadual de Maringá em março deste ano.

Conselhos de Segurança - Além do disque-denúncia, outra forma do cidadão paranaense apoiar no trabalho da Secretaria da Segurança é participando de Conselhos de Segurança, os Consegs. Atualmente são 224 conselhos funcionando ativamente. Só nestes primeiros 100 dias, foram criados 50 novos conselhos por todo o Paraná. A meta é atingir o número de 300 em dois anos.

 

OBRAS
O secretário Fernando Francischini assinou a ordem de serviço para a construção das primeiras delegacias-cidadãs em Pinhais e Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba. O secretário anunciou, ainda, a criação da delegacia-cidadã de Matinhos, no Litoral do Estado.

O projeto das delegacias-cidadãs é voltado ao bom atendimento ao cidadão e conta com espaços específicos e reservados para separar vítimas de agressores.

O secretário da Segurança autorizou também a criação da Delegacia da Mulher de Cianorte, no Noroeste do Paraná, e de Francisco Beltrão, no Sudoeste. As unidades serão especializadas no atendimento de mulheres vítimas de violência doméstica e vão agilizar os inquéritos policiais relacionados ao assunto.

 

PENITENCIÁRIA
Obras também estão previstas para as penitenciárias do Estado. Desde o início de 2015, o sistema penitenciário estadual passou a ser atribuição da Secretaria da Segurança Pública. Ao todo, serão construídos 12 novos presídios e oito serão ampliados gerando mais de 6 mil vagas no sistema penitenciário esvaziando as carceragens de delegacias.

Além disso, o secretário Francischini anunciou a criação de um estabelecimento penal de segurança máxima no Paraná, para presos ligados ao crime organizado. A intenção é usar uma unidade que já está pronta para que seja transformada em uma de segurança máxima. Para fortalecer a segurança nas unidades prisionais, inclusive nas condições de trabalho dos agentes penitenciários, os Setores de Operações Especiais estão sendo ampliados.

 

BOMBEIROS
Durante a Operação Verão, o governador Beto Richa e o secretário Fernando Francischini inauguraram a Base Náutica de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros de Guaratuba, no Litoral do Estado.

A estrutura, que fica ao lado do ferryboat e teve investimento de R$ 1,1 milhão, abriga uma equipe de resgate 24 horas, nos 365 dias do ano.

A unidade reforça os atendimentos no litoral e concentra embarcações de busca e salvamento, centro de controle e outros equipamentos dos bombeiros. Ela também atua em ações de patrulhamento e prevenção de acidentes e possui uma rampa de lançamento de embarcações na água, com fácil saída para o mar, e uma passarela com píer flutuante (por conta da variação da maré) para retirar rapidamente as vítimas do mar e encaminhá-las a uma ambulância, em casos de salvamento de emergência.

Ler 772 vezes

Itens relacionados (por marcador)

Entre para postar comentários