PM orienta líderes de comunidades sobre compra de motos adulteradas
Assessoria

A Polícia Militar participou de um encontro promovido pela União das Associações de Francisco Beltrão – Unibel, sexta-feira (10), no Restaurante Galle & Cia.

 

A convite do presidente da Unibel, Janir Cella, foi esclarecido um problema recorrente na área rural.

A compra de motos adulteradas muitas vezes acaba sendo mais comum no interior porque os moradores circulam com essas motos somente entre as propriedades. Entretanto, “as vezes por causa de uma moto comprada por 800 reais o agricultor vai ficar com o nome sujo e estará alimentando o mundo do crime. Quanto mais pessoas comprarem esse tipo de veículo, mais usuários de drogas e menores vão furtar motos, porque eles sabem que conseguirão vender”, ressaltou o Capitão.

O ideal é sempre encaminhar a transferência via Detran, antes de fechar um negócio. O comprador que desconfiar de alguma irregularidade pode ligar para o 190 e pedir para conferir a placa da moto, por meio dos sistemas de investigação a PM pode informar se essa moto foi furtada ou está com a placa adulterada. “Normalmente as motos que possuem placas clonadas, que não conferem com o número do chassi, são produtos de furto”, explicou o Capitão. Tomando medidas de prevenção é possível evitar ser preso por receptação de produto furtado ou adulteração de sinal identificador de veículo, crimes que enquadram as pessoas que são pegas com esse tipo de moto, finalizou Pitz.

O Deputado Estadual, Wilmar Reichembach, esteve presente no almoço que reuniu presidentes das associações das comunidades de Vargem Alegre; Linha Triton; Rio Saudade; Linha União; Km 20; Nova Seção; São Paulo; Linha Jacaré; Progresso; Linha Volpato; Olaria; Km 23; Linha Guanabara; Km 8; Linha Santa Rosa; Linha São João entre outras comunidades.

Ler 824 vezes

Itens relacionados (por marcador)

Entre para postar comentários
Top