O Papel do farmacêutico no cuidado da sua saúde! Resfriados
Acervo Pessoal

Resfriados!

 

Com a chegada dos meses mais frios do ano, cresce a incidência de gripes e resfriados. Segundo o Departamento de Influenza e Virologia Clínica da Sociedade Brasileira de Infectologia, esse aumento é de 5 a 7%. Os hospitais registram um aumento de 30 a 40% dos atendimentos relacionados a doenças que afetam o trato respiratório.

Mas ao contrário do que se pensa o choque térmico e o frio não são os desencadeadores dos resfriados. Ele apenas interfere em alguns mecanismos de defesa das vias aéreas, e pelo fato das aglomerações em locais fechados e com ventilação reduzida serem maiores.
Pesquisas etiológicas, que tiveram início nos anos 80, apontam para mais de 200 tipos de vírus como sendo os responsáveis pelos resfriados. Dentre eles o rinovírus e o coronavírus são os mais freqüentes.

As manifestações clínicas variam dependendo do tipo de vírus envolvido. Mas basicamente os sintomas têm início cerca de dois a três dias após a exposição e duram em média sete a dez dias. O quadro tem início com acometimento da faringe, o que leva a dor e desconforto, e logo evolui para sintomas nasais, como coriza, espirros e congestão. Associado a isso observa-se também dor de cabeça, indisposição e rouquidão. A febre, quando ocorre, é baixa.

A transmissão se dá por contato direto, especialmente por mãos contaminadas ou partículas virais circulantes no ambiente. O diagnóstico é feito com base nos sintomas, e não há vacinas que previnam o contágio, como acontece com algumas cepas de vírus que causam a gripe.

Manter uma alimentação saudável e equilibrada, ingerir bastante água, praticar atividades físicas regulares, dormir bem, ajuda a manter o sistema imunológico fortalecido. Lavar bem e frequentemente as mãos, cobrir boca e nariz ao espirrar ou tossir, dar preferência a lenços de papel, são medidas que auxiliam na prevenção do contágio.

O tratamento é apenas sintomático, ou seja, auxilia no alívio dos sintomas e do mal estar causado. Um profissional habilitado pode prestar orientações e esclarecimentos quanto à medicação mais adequada aos sintomas apresentados e também quanto a condutas não medicamentosas que auxiliem na recuperação, afinal um organismo fortalecido se encarrega mais rapidamente de debelar a infecção.

Mariana Kist Pompermaier (Farmacêutica – CRF/PR: 24332)

Ler 955 vezes

Itens relacionados (por marcador)

Entre para postar comentários
Top