Frigorífico produzirá biodiesel a partir de gordura bovina
O Grupo Bertin anunciou a instalação da primeira usina de biodiesel produzido a partir de sebo bovino. A unidade, que inicia a operação em junho de 2006, será instalada em Lins (SP). Os investimentos iniciais na planta vão somar R$ 40 milhões, segundo informou o diretor de negócios de biodiesel e de higiene e limpeza do Bertin, José Luiz Toledo.
Há duas semanas, a Dedini Indústria de Base foi contratada pelo frigorífico para fornecer os equipamentos da usina. A fábrica terá capacidade produtiva de 100 mil toneladas de biodiesel, ou 110 milhões de litros. "Será a maior usina de biodiesel de sebo bovino do mundo", diz o vice-presidente da Dedini, José Luiz Olivério. Ele destaca que a planta poderá atender 14% da demanda nacional de biodiesel, considerando-se a mistura obrigatória de 2% do biocombustível ao diesel a partir de 2008. Estima-se um consumo nacional de 800 milhões de litros de biodiesel para atender à parcela de 2%. Segundo Olivério, a maior parte do biodiesel produzido será vendida ao mercado e a outra parte, consumida por máquinas agrícolas, caminhões e ônibus do grupo, que passará a ser auto-suficiente em combustível. "Vamos desenvolver testes com uso de misturas de 2% de biodiesel ao diesel e depois de 5%", diz Toledo. O custo de produção de biodiesel de sebo é 30% menor que o fabricado de óleos vegetais, de acordo com o vice-presidente da Dedini, mas o rendimento é, em média, 5% menor. Atualmente, o Bertin consome 120 mil toneladas de sebo bovino por ano, sendo metade de produção própria e metade adquirida de terceiros por sua divisão de higiene e limpeza. Para a fabricação de biocombustível, o frigorífico deve aumentar suas compras da matéria-prima. "Existe um excedente de 80 mil toneladas de sebo bovino no País, que, em alguns momentos, é exportado", afirma Toledo. A planta de biodiesel do Bertin será flexível quanto à matéria-prima a ser utilizada, podendo utilizar óleos vegetais. Ele explica que será utilizado metanol em vez de etanol para a transesterificação, pois a combinação do sebo com etanol resulta em saponificação (formação de sabão). "Se fosse usado etanol, o biodiesel seria mais "verde", mas mesmo usando metanol, poderá contribuir para reduzir o efeito estufa", diz Olivério. A expectativa é que a usina consuma, nesse processo, 15 milhões de litros de metanol ano, produzido por refinarias da Petrobras.
Ler 794 vezes
Entre para postar comentários
Top