Sexta, 23 Outubro 2015 09:05

RAIO-X

Escrito por

Lambança nacional

Estamos vendo calados a tudo o que ocorre no País. Corrupção sendo apurada, mas não resolvida.

Pedaladas Fiscais e falácias do governo deixam o povo estarrecido. Não dá pra entender, pois por muito menos, por exemplo, por R$ 0,20 no transporte, o povo foi pra rua e botou o governo abaixo. Agora, fala-se em bilhões de desvios, rombos e nada. Será que o povo está tão confiante na Justiça? Ou perdemos a esperança? Pois não são somente políticos. Além destes que puxam a fila, entram empresários, funcionários públicos, membros do judiciário e por ai vai. Virou um troca-troca. Aumenta o salário, daí ficamos quietos. Aumenta a mordomia, daí silenciamos, me defenda que eu te defendo e tudo continua na alegria e o povo pagando, silencioso, sem reação. Realmente, não dá pra entender. Por muito menos, o Brasil tomou outros rumos e tentou consertar a história. Que Sérgio Moro consiga realmente desamarrar o nó da corrupção. Que os silenciosos, realmente possam dar seu troco na hora certa. Mas que está estranho, ah, isso tá!

Rios sudoestinos podem receber pequenas usinas

A Assembleia Legislativa do Estado do Paraná aprovou projeto para a construção de diversas PCHs – Pequenas Centrais Hidroelétricas e CGHs - Centrais Geradoras Hidroelétricas. Várias destas Usinas estarão no sudoeste que já sedia Usinas Hidrelétrias nos rios Iguaçu e Chopim. Destacam-se os projetos da PCH de Foz do Santana, no rio Chopim, entre Verê e São João; PCH Foz do Estrela, rio Iratim, em Coronel Domingos Soares; CGH Generoso, rio Chopim, em Cruzeiro do Iguaçu; CGH do Lontra, rio Do Lontra, em Salto do Lontra; CGH Nossa Senhora de Lurdes, rio Sarandi, em Realeza; PCH Jacaré, rio Santana, entre Francisco Beltrão e Bom Sucesso do Sul; PCH Bela Vista, rio Chopim, entre Verê e São João; PCH do Tigre, rio Marrecas, em Mangueirinha; PCH Canhadão, rio Covó, em Mangueirinha; PCH Vila Galupo, rio Santana, entre Francisco Beltrão e Bom Sucesso do Sul; PCH Covó, rio Marrecas, em Mangueirinha.

R$ 1,2 milhão para a Saúde Beltronense
O Ministério da Saúde destinou para Francisco Beltrão recentemente mais de R$ 1,2 milhão para a construção de cinco Unidades Básicas de Saúde (UBS) de tipo I. O valor corresponde a soma de novas parcelas enviadas a cidade para a continuidade das obras. Serão construídas cinco unidades nos bairros: Industrial, Antônio de Paiva Cantelmo, Jardim Floresta e São Cristovão. As obras totalizam um investimento federal de mais de R$ 1,6 milhão.

R$ 1,4 para Aquisição de Alimentos

O Governo Federal divulgou esta semana quais os municípios contemplados pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e a região sudoeste do Paraná foi uma das mais contempladas. Dezesseis municípios da região conquistaram entre recursos dentre R$ 20 mil e R$ 200 mil para ampliação do Programa de Aquisição de Alimentos. Os valores foram calculados de acordo com o número de agricultores familiares de cada cidade. O valor total disponibilizado à região sudoeste paranaense soma mais de R$ 1,4 milhão. De acordo com o MDS o PAA tem como foco principal a aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar, sendo que cada produtor pode acessar até R$ 8 mil anuais em vendas diretas para o programa. Ainda segundo o Ministério, parte dos alimentos é comprada sem licitação, diretamente das famílias, grande parte delas assentadas da reforma agrária, indígenas, quilombolas e demais comunidades tradicionais. A produção é estocada e destinada à população que tem vulnerabilidade social.

Enem 2015

Neste fim de semana acontece o Enem 2015. Milhares de estudantes da região estarão prestando provas sábado e domingo, à tarde. O calor na região pode ser um grande empecilho para o rendimento dos que irão buscar uma oportunidade nos bancos escolares do Ensino Superior. Porém, a previsão do tempo prevê que teremos chuva, que pode amenizar o calor mas atrapalhar para se chegar a tempo nos locais das provas. Previna-se e saia de casa mais cedo.

Crise só no poder público?

A situação não está boa, mas alguns gestores devem estar acreditando que a crise é só no setor público. Não é. É geral. Ainda bem que na região sul, o agronegócio está salvando a economia, até na arrecadação de ICMS. Mas setores cruciais, como o da Construção Civil, Confecções, prestação de serviços estão sofrendo as consequências da crise econômica e dos altos preços de combustíveis, energia, telefone, água, juros, etc. Porém, muitos dos prestadores de serviço estão sendo vítimas do poder público e não recebem em dia pelo trabalho realizado. E olha, que quando convocados em Licitações, os poderes públicos se propõe em pagar preços maiores, dizem que tem dotação orçamentária, exigem as Certidões Negativas e ao licitarem os serviços, conseguem por preços menores, o que se supõe que sobrou dinheiro no caixa, e assim mesmo, não pagam em dia. Diga-se a estes gestores: “não há planejamento”. No mais, a crise continua, com prefeituras fechando e prefeitos sem dormir se poderão pagar o 13º salário do funcionalismo, como se esta fosse a única preocupação.

Eleições vem aí

Menos de um ano para as eleições. Algumas coisas estão se definindo, outras entraram na dúvida e na maioria dos casos, o problema é a crise. Depois dizem que se faz eleição barata e sem dinheiro e até a Justiça Eleitoral acredita. Pois bem. Estaremos tratando sobre pré-candidaturas e possibilidades nos municípios da região. Se realmente o dinheiro não faz diferença, as oposições terão muitas chances na região. Agora, se tem político blefando, chorando crises e guardando dinheiro para comprar a eleição nos últimos meses, melhor ver o aviso do que aconteceu com a última eleição. O Brasil e os Estados estavam às mil maravilhas. No dia seguinte das eleições, o estouro veio. Estamos pagando um preço muito alto por não ter se atentado a todos os dias da vida dos políticos. Boa sorte aos possíveis candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereadores e muito mais sorte para os eleitores.

Ler 977 vezes
Mais nesta categoria: « Raio-X RAIO-X »
Entre para postar comentários
Top