Sexta, 30 Outubro 2015 09:47

RAIO-X

Escrito por

Descontentamento geral
A elevada taxa de rejeição aos nomes lembrados para a próxima corrida presidencial, divulgada pelo Ibope, representa um descontentamento geral com a classe política, na opinião de cientistas políticos ouvidos pelo jornal "O Globo".

A pesquisa, com margem de erro de 2% para mais ou menos, mostra que o ex-presidente Lula tem rejeição de 55%. Em seguida, aparecem o senador José Serra PSDB-(SP), 54%; o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, 52%; o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), 52%; a ex-ministra Marina Silva (Rede), 50%; e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), 47%. Foram ouvidas 2002 pessoas em 140 municípios de 17 a 21 de outubro. Esses percentuais se referem aos que concordaram com a afirmação: “Não votaria de jeito nenhum para presidente da República”.


Parada dos caminhoneiros
A classe dos caminhoneiros está convocando uma parada geral para o dia 09 de novembro. Segundo os líderes do movimento, a classe não foi atendida na Lei dos Caminhoneiros, coisa acertada com o governo federal na última paralisação. Os caminhoneiros também pedem a renúncia da Presidente Dilma.

Dengue de novo
Aliás, não tinha sido eliminada. A 8ª Regional de Saúde, que atende os 27 municípios da microrregião de Francisco Beltrão está alertando a população da região para os perigos da Dengue. O mosquito transmissor pode ser controlado. O controle é o capricho de cada habitante da região. Basta manter limpos lotes baldios, dar destinação correta para o lixo e manter o asseio das dependências residenciais e dos estabelecimentos comerciais e não deixa acumular água a céu aberto. Então, o remédio é o cidadão da região. Mas é um remédio caro, pois não tem o rótulo da conscientização. Já há um caso registrado em Nova Prata do Iguaçu. No primeiro semestre, foi registrada uma epidemia de Dengue na cidade de Dois Vizinhos com mais de 1.500 casos confirmados. Além dos danos de saúde ao cidadão, causa danos aos cofres públicos. Então, depende de cada um de nós.

Araupel
A cidade de Quedas do Iguaçu está em polvorosa. O MST invadiu a área da Araupel que mantém um reflorestamento e milhares de empregos, sustentando em parte, a economia da cidade. O Governo não toma providências. Está um puxa e frouxa há meses e anos. Nos últimos dias, a população econômica e ativa tomou partido e fez bloqueios de rodovias e fechou o comércio local. Até agora, não houve pronunciamento do INCRA. No andar da carruagem, a novela ainda terá muitos capítulos e quem perderá será a economia do município.

Fechamento de escolas
O Brasil experimenta há muitos anos, o êxodo rural. As comunidades do interior estão se extinguindo e a agricultura familiar é realidade em poucas regiões no Brasil. Muitas propriedades são abandonadas por seus moradores que passam a morar nas cidades onde buscam melhores condições para o futuro dos filhos. Das cidades, são feitas as administrações das propriedades, que atuam no plantio das safras e colheita de grãos. O Brasil inteiro investiu em escolas rurais (Escolas do Campo) que hoje estão com poucos alunos, pois de um jeito ou de outro, os jovens optam por estudar nas cidades, arrumar um emprego e por lá vão ficando, e o campo cada vez menos habitado. Aqui na região, temos turmas de 4 alunos com 8 professores. O custo de manutenção das escolas, sem contar com a despesa de pessoal, gira em torno de R$ 15 mil mensais e para piorar, os estudantes destas escolas ficam de fora dos índices educacionais e perdem praticamente todas, numa disputa direta de quem estuda em estabelecimentos mais estruturados. Enfim, qualidade = prejuízos.

Fechamento de escolas 1
Nos últimos dias, diante da crise, do corte de despesas e cumprimento dos índices, os governos estaduais estão trabalhando no sentido de fechar algumas unidades. Os alunos aplaudem. Os pais não gostam e a reclamação é grande dos servidores da Educação. É que serão menos postos de trabalho. A proposta do governo é o de fazer uma experiência de dois anos, mas todos sabem que não há retorno. Quem está morando no campo são os idosos. Os jovens buscam os benefícios das cidades. Há escolas de cidades que também serão fechadas, estas estão em prédios alugados. Todos sabem que aluguel é um dinheiro perdido e o governo quer realocar os estudantes em salas de prédios próprios. Uns querem cortar gastos, outros querem manter os empregos que engorda outras contas, por exemplo, de sindicatos, mas muito poucos, pensam na qualidade. Infelizmente, isso não se aprende mais nos bancos escolares e não é prática de governos. Eis a questão para ser discutida, sem paixões. A realidade do País está ai. Os benefícios, as conquistas tem um preço. A conta está chegando. Pois junto com estas conquistas, muitos se acharam no direito de se corromper e o que apavora é que não há vozes eloquentes contra a corrupção. Há alguns meses, por R$ 0,20 centavos o povo parou o Brasil. Agora, por bilhões (R$) não se faz nada. Ainda bem que parte da Justiça acordou, talvez ainda haja salvação. Quanto ao fechamento de escolas, a razão é simples: não tem público e o País não pode ter o capricho que exigir que a sociedade mantenha estruturas ociosas.

No terreiro do Planalto
A Operação Lava Jato do MPF e PF chegou no terreiro do Palácio do Planalto. O trabalho começou às voltas. Parecia que daria em nada, mas quando o Juiz Sérgio Moro endureceu e peitou o sistema corrupto, parece que algumas coisas passarão a limpo. Políticos, empresários e o Núcleo do Poder do Brasil estão enlameados e tendo que explicar para o povo o por que da traição. Gente pobre que teve muita sorte e ficou milionário de repente. Outros com histórico nebuloso, ficaram mais ricos ainda. Gente que aparecia para o povo como coitado, muito trabalhador, mas que acumula fortunas mensais além dos polpudos salários. Agora, a investigação chegou para dentro do Palácio do Planalto. Vai ter muito zum-zum, mas o povo só terá confirmação do que já sabia. Tudo era acordo e tudo estava combinado. Vai ter muita surpresa para alguns, para outros, é só confirmação.

Corrupção maior
A cada enxadada, muitas surpresas. Mas o povo do sudoeste não se conforma com o que está para acontecer. Muita gente acreditava que o caminho dos recursos federais era limpo, sem obstáculos. Agora, surgem as histórias do “pedágio”, onde empreiteiras e prefeitos tinham que cumprir algumas obrigações financeiras para “molhar” a mão de quem tinha a caneta na mão. É dolorido saber disso (não tem provas, até porque todos negam), mas onde há fumaça, tem fogo. Até obra religiosa tem “pedágio”. Nem a fé escapa da tributação, mas esta para cobrir a corrupção. Enquanto uns buscam graças, outros abastecem o bolso de graça. Uma tragédia!

BR 163
Lideranças políticas garantem que em 2016 haverá recursos no Orçamento da União para a execução da duplicação (tão anunciada e prometida, há anos) da BR 163, entre Marmelândia, em Realeza, até a BR 277, em Cascavel. Que realmente aconteça, pois as promessas são muitas.

Realeza-Palmas
O Governo do Estado também garante que a rodovia entre Marmelândia, em Realeza, até o Horizonte, em Palmas/General Carneiro, receberá serviços de manutenção, e duplicação em vários trechos. A primeira etapa será entre Realeza e Pato Branco. Será por via privada, ou seja, pagaremos pedágio, mas teremos estrada. Que realmente aconteça.

Largada política
A menos de um ano, teremos eleições municipais para a escolha de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Na região, a movimentação nos bastidores é intensa. Algumas definições já balizam as corridas futuras. Em Pérola D’Oeste, surge um novo nome para a prefeitura. O vereador Renato Karas está tendo apoios e convites para encabeçar uma chapa majoritária. Em Planalto, o ex-prefeito Nilo, o atual Secretário de Administração, o Boni e a esposa do deputado Nelson Luersen, Anete Luersen, são muito lembrados. Trabalha-se para uma candidatura única e os planaltinos acreditam que dá. Em Realeza, o empresário Denilson Gonçalves está sendo sondado para encabeçar uma chapa. Alguns peemedebistas garantem que não farão dobradinha com o PT e o PDT e PT estão fechando acordo para formar uma chapa, mas com o PT na cabeça, pois há garantias de que vai chover dinheiro federal no ano que vem e Realeza terá muitas obras. Em Francisco Beltrão, Cantelmo neto não disse, mas o grupo acredita que a chapa será repetida. Por parte da oposição, com a saída de Cordasso da disputa, fortaleceu os nomes do vereador Cléber Fontana, do ex-vice-prefeito Antônio Bonetti e do ex-vereador Jocemar Madruga. A oposição tem claro, de que unidos terão chance. O problema é acertar o grupo. Enquanto isso, Neto anuncia obras e está mais presente nas ações administrativas junto a população, ou seja, postura de quem vai enfrentar a reeleição. Em Santa Izabel do Oeste, o prefeito Moacir Fiamoncini deve concorrer à reeleição. Um grupo está se articulando para que se costure uma candidatura única. Nos próximos dias, lideranças políticas começam a atuar neste sentido. Em Ampére, o grupo político que comanda o município está convencendo o prefeito Hélio Alves para que remova a ideia de não concorrer e encare mais uma empreitada. Há inclusive, adesões de lideranças do grupo oposicionista que reconhecem em Hélio o nome de consenso e de lutas históricas para representar o município. Por enquanto, Hélio diz que não disputará. Para finalizar, em Capanema, a prefeita Lindamir é candidata a reeleição, mas os adversários garantem que haverá disputa.

Feriadão de Finados
Muitos municípios estão comemorando o dia do Servidor Público, hoje. A data foi dia 28, mas transferido para hoje que emenda com o feriado de Finados. Tudo voltará ao normal, na terça-feira, 03.
O Jornal Novo Tempo também não circulará as edições de domingo, 01 e de terça-feira, 03, devido ao Feriadão de Finados. Voltamos com a circulação normal no dia 06, sexta-feira.
A todos um excelente Feriadão!!!

Ler 888 vezes
Mais nesta categoria: « RAIO-X Raio-X »
Entre para postar comentários
Top