Sexta, 27 Novembro 2015 09:52

Raio-X

Escrito por

Crime não vencerá a Justiça
O Brasil está sendo sacudido há tempos.

Membros de governo, o entorno do governo (parlamentares, dirigentes partidários, empreiteiros, empresários, instituições) sustentados pelo povo brasileiro revelaram a faceta da corrupção, do deboche e do pouco caso para com um Brasil onde todos sonhamos e desejamos que seja o berço esplêndido para o desenvolvimento e da esperança das famílias. Uma quadrilha se apossou dos sonhos e acha que pode tudo. Debocham da honestidade. Me parece, que em tempo, o Poder Judiciário resolveu dar um basta. O Crime não vencerá a Justiça. Assim, pela primeira vez na história do Brasil, em mais de 500 anos, temos um parlamentar preso envolto do mandato que lhe foi conferido e que era usado para beneficiar a bandidagem. O mais grave, o Senador Delcídio Amaral (PT-MS) é o líder do Governo. Falava e agia em nome do governo??? Detalhe: Nem todos os parlamentares concordam com a bandidagem. Dos 81 senadores (alguns não apareceram no Plenário) 59 concordaram com a atitude do STF – Supremo Tribunal Federal e deram autorização para que a investigação seja completada. O medo de alguns parlamentares, é de que se abra precedente para que outras prisões ocorram. Se isso acontecer, dá pra acreditar que o Brasil tem jeito. Não é demais dizer que os brasileiros imaginavam que também o Poder Judiciário estava em acordo com a corrupção. “Pois milhares de denúncias acontecem e ninguém vai para a cadeia”, diziam. Que o Delcídio não seja apenas um bode expiatório ou um boi de piranhas. A Justiça deve vencer o crime. É a esperança de quem é honesto e trabalhador neste querido Brasil.


Crime detonado
Ministra do STF, Cármen Lúcia votou para manter prisão (aliás, unanimidade no STF) de Delcídio e detona: Na história recente da nossa pátria, houve um momento em que a maioria de nós brasileiros acreditou no mote de que uma 'esperança havia vencido o medo'. Depois, nos deparamos com a ação penal 470, e descobrimos que o cinismo havia vencido aquela esperança. Agora parece se constatar que o escárnio venceu o cinismo. O crime não vencerá a Justiça. Aviso aos navegantes dessas águas turvas de corrupção: criminosos não passarão a navalha da desfaçatez e da confusão entre imunidade e impunidade. Não passarão. Não passarão sobre os juízes, e há juízes no Brasil. Não passarão sobre a Constituição do Brasil.


Delcídio teve 13 apoios
Quem votou contra a prisão do líder do Governo, senador Delcídio Amaral (PT-MS): Ângela Portela (PT-RR); Donizete Nogueira (PT-TO); Fernando Collor (PTB-AL); Gleisi Hoffmann (PT-PR); Humberto Costa (PT-PE); João Alberto Souza (PMDB-MA); Jorge Viana (PT-AC); José Pimentel (PT-CE); Lindenbergh Farias (PT-RJ); Paulo Rocha (PT-PA); Regina Souza (PT-PI); Roberto Rocha (PSB-MA); Telmário Mota (PDT-RR); ABSTENÇÃO: Edson Lobão (PMDB-MA). O presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL) não votou. Ele só votaria se houvesse empate. Mas Renan defendeu o voto secreto e condenou a intervenção do STF no Senado Federal. Outro que não votou, por motivo óbvio, foi o senador Delcídio Amaral (PT-MS) por estar na Polícia Federal no Paraná.


Tomando goles de realidade
Nos últimos anos vimos uma festa de expansão de serviços do Banco do Brasil, Correios e Caixa Econômica Federal com caixas eletrônicos, Banco Postal e Caixas Aqui e Ali. São instituições federais que não perceberam a possibilidade de crise ou tinham outra intenção. Já começam a surgir os primeiros recolhimentos e os atingidos de primeira hora são os pequenos municípios. A realidade financeira e eleitoral devem ser os parâmetros para este tipo de decisão, segundo fontes extra-oficiais.


Licitação de rodovias fica para 2016
A deterioração da economia aumenta a incerteza sobre futuro do programa de concessões de infraestrutura, que teve sua segunda fase anunciada em junho, quando o governo demonstrou a intenção de leiloar pelo menos cinco lotes de rodovias em 2015. Essa lista foi diminuindo até que, na semana passada, constatou-se que nada sairá do papel neste ano. A última "esperança" era a concessão dos 400 km entre as cidades de Lapa (PR) e Chapecó (SC), conhecida como "Rodovia do Frango". O Tribunal de Contas da União detectou várias inconsistências no projeto. As informações são do Valor Econômico.

Ler 897 vezes
Mais nesta categoria: « RAIO-X Raio – X »
Entre para postar comentários
Top