Assis do Couto anuncia desligamento do PT
Assessoria

O Deputado Assis do Couto, anunciou na quarta-feira, 02, que pediu desfiliação do PT, Partido em que permaneceu filiado há 28 anos para ingressar no PMB (Partido da Mulher Brasileira).

O anúncio de Assis, por meio de Nota Pública, frustra o PDT que contava como certo o seu ingresso, inclusive, em encontro recente em Francisco Beltrão, o próprio parlamentar anunciou que já estava com a ficha assinada no partido brizolista. O PMDB e o PSD eram outras agremiações que aguardavam o ingresso do parlamentar petista (ex, agora).

O anúncio por coincidência, ocorreu no mesmo dia em que o PT sofre uma grande invertida na Câmara Federal de um integrante do principal partido aliado. O presidente da Câmara Federal anunciou no final da tarde de quarta-feira, 02, que acatava o pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff apresentada por um dos fundadores do PT, jurista Hélio Bicudo.

Por meio de uma nota pública, Assis do Couto justifica sua saída da sigla. Veja na íntegra.

NOTA PÚBLICA
“Agricultor familiar vinculado ao Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, me filiei ao Partido dos Trabalhadores em 1987. A participação sindical e a ligação com os movimentos sociais da agricultura familiar conduziram-me a ingressar no partido que surgira como esperança à classe trabalhadora.

Havia absoluta identidade entre a minha história, o trabalho que desenvolvia, o que buscava e reivindicava, com o que defendia o Partido dos Trabalhadores.

Foi nesse cenário que por um longo período militei no PT. O Partido dos Trabalhadores é protagonista do louvável processo de superação da pobreza realizado no Brasil, alcançando a vitória de retirar o país do mapa mundial da fome (FAO/ONU).
Hoje, contudo, anuncio a minha saída da agremiação.

Adotei essa medida por entender que a mencionada identidade não mais se ajusta à postura atual do PT. E mais, venho suportando há algum tempo movimentos internos e desrespeitosos destinados a enfraquecer meu mandato junto à base eleitoral que represento.

Em junho deste ano já havia subscrito, em conjunto com outros integrantes do partido, documento que apontava a necessidade de o PT promover ações destinadas a retomar o protagonismo que produziu inúmeras conquistas em favor do povo brasileiro.
Faço isso sem abandonar as convicções e propostas que pautam meu mandato. A defesa da agricultura familiar, do cooperativismo e dos pequenos municípios permanecem como prioridades de minha atuação.

Baseado em decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal na Ação Direita de Inconstitucionalidade n. 5398/DF, que concedeu o prazo de “30 (trinta) dias para detentores de mandatos eletivos filiarem-se aos novos partidos registrados no TSE imediatamente antes da entrada em vigor da Lei nº 13.165/2015”, estou agora filiado ao Partido da Mulher Brasileira”.

Brasília/DF, 2 de dezembro de 2015.
Assis do Couto

Ler 558 vezes

Itens relacionados (por marcador)

Entre para postar comentários
Top