O Papel do farmacêutico no cuidado da sua saúde!  Fitofotodermatoses ou manchas cítricas!
Acervo Pessoal

Pode ser que você não saiba o que significa fitofotodermatose, mas certamente conhece o resultado da combinação frutas cítricas e sol: queimadura de segundo grau e manchas na pele.

 

A fitofotodermatose é o termo que se refere à inflamação da pele causada por reação de compostos chamados furocumarínicos à radiação solar. O composto se faz presente nas cascas de frutas cítricas como limão, laranja, tangerina e também em frutos não maduros como é o caso do morango e do figo. Na presença do sol, há uma irritação que se manifesta através do aumento da pigmentação na área onde houve o contato, provocando manchas. A extensão da lesão dependerá da quantidade de liquido cítrico que se teve contato, do tempo de exposição ao sol e da suscetibilidade da pele.

Em crianças é muito comum um contato indireto, através dos adultos que manipularam sucos, caipirinhas, saladas ou aperitivos. Também é freqüente após tomar um sorvete de frutas cítricas ao sol. Trinta minutos de exposição solar, com ou sem filtro, são suficientes para lesionar a pele. De modo geral surgem manchas avermelhadas no dia posterior ao contato, que pode ou não ser acompanhada de ardor ou coceira. Nos dias que seguem podem surgir pequenas bolhas, e com o passar do tempo a região torna-se acastanhada e esta mancha pode perdurar por semanas ou meses.

O melhor tratamento nesses casos é mesmo a prevenção, evitando manusear frutas cítricas ao sol, e quando necessário utilizar luvas ou espremedores e lavar abundantemente as mãos com água e sabão. O recomendado é evitar fazer ou ingerir limonadas, sucos e picolés de frutas cítricas e caipirinhas durante exposição solar. Perfumes também podem provocar reações semelhantes, por isso é melhor evitar o uso ao sol. O rosto e a boca também devem ser lavados com água e sabão no caso de ingerir qualquer preparação cítrica. Nunca utilizar receitas caseiras como bronzeadores, em especial aqueles a base de folhas de figo. Eles são perigosos e podem causar queimaduras graves.

Seja qual for a situação, um profissional especializado deve ser consultado, qualquer dúvida que se tenha é melhor esclarecida com quem entende e pode oferecer uma informação precisa. Jamais deve-se utilizar uma substância sem a certeza de sua segurança. Mas caso ocorra exposição o melhor a se fazer é procurar novamente orientação de profissionais, para que a lesão e mancha posterior sejam cuidadas de forma correta e não resulte em cicatrizes permanentes, ou ao menos que estas sejam reduzidas ao máximo.

Mariana Kist Pompermaier (Farmacêutica – CRF/PR: 24332)

Lido 4824 vezes

Itens relacionados (por tag)

Entre para postar comentários
Top