COLUNA - TALENTOS EM LETARGIA
Acervo Pessoal

O homem é ser dotado de muitos dons. É mister aprimorá-los sempre e continuamente, se quisermos progredir, avançar e continuar avançando.

O homem é ser dotado de muitos dons. É mister aprimorá-los sempre e continuamente, se quisermos progredir, avançar e continuar avançando.
Ninguém, em qualquer atividade terá sucesso e gostará de fazer o que faz, sem desprender denodado esforço. Decepções sempre acontecem mas precisam ser compreendidas, assimiladas e superadas. Devem ser estímulos para o seu crescimento, afinal o mundo dos negócios não é um mar de rosas, nem céu de brigadeiro.

Pesquisa recente mostra que a maioria dos brasileiros está insatisfeita com o seu trabalho, e não se realizam com aquilo que fazem. Acomodam-se com a situação e tocam a vida meio assim, do jeito que dá. Isto está longe de ser o ideal...

Tenho um amigo que conheci há cerca de três semanas. É advogado, pessoa de bom coração e que ama presentear as pessoas à sua volta. Ele doa pelo prazer de doar e o faz com alegria, de forma natural e espontânea.

Conversamos alguns minutos e percebi que possui grande conhecimento em sua profissão, porém, ele trabalha apenas no período da manhã. A tarde ele está no bar tomando cerveja e confabulando com amigos.

Presenciei esta cena cinco vezes, num período de três semanas, então resolvi admoesta-lo: “Eu não compreendo como um profissional inteligente como você passa as tardes bebendo e jogando conversa fora, quando deveria estar trabalhando e se aprimorando.”

Ele respondeu assim: “Meu amigo Pagliosa, sabe quanto eu ganhei hoje pela manhã? Dois mil e quinhentos reais! Está bom para você? Você não acha que tenho o direito de beber agora?”

Eu respondi: “Sim, direito você tem porque o livre arbítrio é de cada um mas sempre pagaremos um preço amargo quando atendemos os desejos de nossa carne. Você está se destruindo!”

Falei de forma natural e branda porque queria ajuda-lo. Quero ajudá-lo!

E a reação dele? Me olhou fixamente, e, surpreso com o que ouvira, me agradeceu e me abraçou.

Olha leitor, precisamos falar o que as pessoas precisam ouvir, mesmo que você as desagrade. São vidas que precisam atenção e apoio. Elas precisam o seu tempo.

Então segui meu trabalho agradecido a Deus pela oportunidade de servir e indagando a mim mesmo: “Seguirá ele meu aconselhamento?”

Prezados, ao longo de meus 67 anos, nunca vi o país atravessar situação tão crítica. A crise não é só econômica, ela é política, ela é social, ela é institucional. E Delfim Neto (um dos arautos de nossa economia) disse três dias atrás: “O Brasil é um país normal, anormal é o governo.”

Anormal porque erra demasiado, porque rouba, usurpa, prevarica e corrompe demasiado e as pessoas normais deste país estão perdendo o ânimo, estão se desestimulando, estão desistindo e abandonando o campo de batalha.

Agem como este amigo do bar que não enxerga cenários promissores e então realiza o mínimo e compromete seriamente seu amanhã.

São milhares e milhares de talentos letárgicos à nossa volta. Eles veem as ações dos safados de plantão, veem que se dão bem, veem que a maioria permanece impune e arrefecem seu entusiasmo.

Isto é muito trágico porque o país tem enorme capacidade de recuperação mas tais pessoas precisam ser ouvidas, precisam ser compreendidas. Precisam ser ajudadas.

O que o homem mais precisa é amor! Deus é pleno amor.

Se nos voltarmos para Ele teremos vida em abundancia, as crises serão rapidamente solucionadas e gratidão e alegria tomarão o nosso coração.

Com carinho.

João Antonio Pagliosa - Engenheiro Agrônomo

Ler 687 vezes
Entre para postar comentários
Top