Estradas do Paraná pioraram desde 2005, aponta relatório da CNT
Divulgação

Há 11 anos, 59% das vias paranaenses eram ótimas ou boas. Em 2015, índice cai para 47%

 

Nos últimos 11 anos a qualidade das estradas paranaenses caiu consideravelmente, sejam elas federais, estaduais ou municipais. É o que revela o Anuário CNT do Transporte, divulgado pela Confederação Nacional do Transporte. Embora a qualidade da malha viária paranaense não seja de um todo ruim, nota-se que ao longo dos últimos anos houve uma “mediocrização” das vias locais.

De acordo com o Anuário, 59,07% das vias paranaenses eram consideradas ótimas ou boas em 2005. Em 2015, esse índice caiu para 47,7%, sendo que o percentual de estradas consideradas “ótimas” caiu de 24,61% para 10,94%. No mesmo período, o percentual de vias “regulares” e “ruins” cresceu consideravelmente, saltando de 22,57% para 33,31% e de 10,66% para 16,98%. Por outro lado, as vias em “péssimas” condições tiveram queda importante, de 7,75% em 2005 para 2,01% em 2015.

Uma série de indicativos explicam o porque dessa mediocrização das estradas paranaenses, uma vez que o Paraná, sempre de acordo com o Anuário da CNT, piorou em todos os índices de avaliação das estradas — qualidade do pavimento, classificação da sinalização e da geometria.

Com relação à qualidade do pavimento, em 2005 70,26% eram considerados ótimos ou bons, 17,02% regulares e 12,72% ruins ou péssimos. Em 2015, apenas 59,44% foram considerados ótimos ou bons, 29,62% recebeu classificação de regular e outros 10,94%, ruim ou péssimo.

Quanto à sinalização, a piora foi significativa na faixa de estradas com ótima sinalização, que em 2015 representavam 42,27% do total e no ano passado caíram para 9%, enquanto as vias com boa sinalização e sinalização regular subiram de 28,15% para 45,65% e de 18,43% para 29,67%. Por fim, com relação à sinalização ruim e péssima, o índice passou de 11,15% para 15,68%.

Por fim, com relação à geometria das estradas paranaenses, importante para a definição de questões de operação, como frenagem, aceleração e condições de segurança, a variação foi significativa também na faixa das vias com ótima geometria, que caíram mais que pela metade: de 11,58% para 5,39%, ao passo que as estradas com geometria ruim ou péssima saltaram de 23,82% para 45,61%.

Ler 1793 vezes

Itens relacionados (por marcador)

  • TRE recebe a inscrição de 121 candidatos a prefeito e vice-prefeitos nos 42 municípios do Sudoeste

    2.839 candidatos a vereador por 25 partidos estão inscritos no TRE para concorrer as eleições proporcionais no Sudoeste.

  • Prefeituras receberam quase R$ 20 milhões a menos em ICMS no semestre

    Gestores estão cortando despesas para enfrentar momento de crise nas contas públicas.

     

    Da assessoria/Amsop

    Apesar do aumento nos repasses de ICMS às prefeituras da região em junho, o primeiro semestre do ano terminou com queda de R$ 19,6 milhões nas transferências do imposto. Os meses com pior resultado foram abril e maio, quando a redução foi de 33% e 40%, reflexo da redução da atividade econômica em função das medidas de combate ao coronavírus.

     

    Os repasses de ICMS aos 42 municípios do Sudoeste totalizou R$ 261 milhões entre janeiro e junho deste ano, valor menor que os R$ 280 milhões do mesmo período de 2019, segundo levantamento feito pela Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná). E as transferências do imposto são apenas uma das que as prefeituras recebem do governo do Estado e Federal para custear despesas e realizar investimentos e que também foram afetadas. A arrecadação própria dos municípios (com IPTU, ITBI, ISS...) foi reduzida.

     

    A União está complementando parte do FPM e aprovou o repasse de dois auxílios emergenciais a estados e municípios, mas somente uma parte destes recursos chegou às prefeituras.

     

    Corte de gastos e cumprimento das obrigações

  • Sudoeste do Paraná tem mais de 481 mil eleitores

    A Justiça Eleitoral divulgou dados referentes ao mês de maio de eleitores que já estão aptos a votar nas eleições municipais de 2020.

  • 215 pessoas morreram em decorrência da Covid-19 no Paraná

    Nesta quinta-feira foram divulgados mais dez óbitos, o maior número registrado em um único informe epidemiológico, desde o início da pandemia, há 81 dias. Estado tem 327 novos casos e total é agora de 5.820 diagnósticos.

  • Paraná investe R$ 23,3 milhões em equipamentos para escolas

    As 2,1 mil escolas da rede estadual receberão mais de 550 mil cadeiras, mesas, talheres em inox, pratos, banquetas, armários, mesas-refeitório, refrigeradores, além de climatizadores que estão sendo destinados para unidades de regiões mais quentes do Estado.

Entre para postar comentários
Top