O que se sabe e o que ainda é dúvida sobre a queda do avião que levava o time da Chapecoense
Divulgação

Vôo de equipe catarinense perdeu o contato com o radar perto da 1h

O acidente aéreo com o avião que matou 76 pessoas na Colômbia na madrugada desta terça-feira e que transportava o time e a comissão técnica da Chapecoense, perdeu o contato com o radar quatro minutos antes da 1h, horário de Brasília, segundo o site de aviação Flight Radar.

O avião da companhia aérea La Mia tipo RJ85, matrícula CP2933, decolou do Aeroporto Internacional Viru Viru, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, à 0h13min, com 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e 9 tripulantes.

A aeronave caiu na localidade de Cerro El Gordo, em La Unión, cidade da província de Antioquia, a cerca de 36 quilômetros do Aeroporto Internacional José Maria Córdova, da cidade de Rio Negro, região metropolitana de Medellín.

Nessa região, segundo informou a rede de televisão Caracol, a aeronave teria tido uma pane elétrica. Segundo o site Flight Radar, a aeronave perdeu bruscamente altitude e velocidade às 0h50min (horário de Brasília).

Segundo o diretor da Aeronáutica Civil de Colômbia, Alfredo Bocanegra, o comandante do avião havia pedido autorização para pousar no aeroporto, mas logo o contato foi perdido.

O último registro foi visto às 0h55min58s. Nesse exato momento, o avião estava a uma velocidade de 142Km/h e a uma altitude de 15.550 metros.

Nos primeiros minutos após a confirmação do acidente, a imprensa colombiana chegou a afirmar que a falta de combustível poderia ser uma das causas da queda. Mas logo a informação que correu foi a de que o comandante havia despejado o combustível na região antes de tentar um pouso forçado.

Ler 1127 vezes

Itens relacionados (por marcador)

Entre para postar comentários
Top