Luersen é contra o aumento das tarifas do pedágio na BR-277
Assessoria

O líder da bancada do PDT na Assembleia Legislativa, deputado estadual Nelson Luersen, manifestou preocupação com as informações de que as tarifas do pedágio operadas pela concessionária Ecocataratas podem ter um aumento de mais de 30% até 2018,

sob a justificativa de custear algumas obras na BR-277, entre os Trevos Cataratas e Guarapuava, terceiras faixas em 25 quilômetros de trechos alternados entre Cascavel e Candoi, e as alças de acesso ao viaduto do Jardim Presidente em Cascavel, na região Oeste. A alta valeria para cinco praças de pedágios da concessionária, entre Foz do Iguaçu e Guarapuava.


De acordo com essas informações, a tarifa neste ano saltaria de R$12,20 para R$14,03, e em 2018 iria para R$ 16,13. “A obra do Trevo das Cataratas em Cascavel e as demais são extremamente necessárias e já deveriam ter sido realizadas, conforme os contratos originais. Infelizmente aditivos contratuais como a Ata 17 retiraram as obras e os preços das tarifas foram recompostos nos anos seguintes. Mas não dá para admitir esse aumento absurdo, de mais de 30%, quando temos uma inflação nos últimos doze meses de pouco mais de 4%. Ainda mais em um momento de crise, em que a população em geral e o setor produtivo já enfrentam imensas dificuldades”, criticou Luersen.

O deputado destaca que os atuais contratos de concessão do pedágio no Anel de Integração do Paraná se encerram em 2021, e não haveria sequer tempo hábil para a realização de grandes obras. “Que a União e o Estado façam uma parceria para garantir obras prioritárias de melhorias das rodovias, e as concessionárias entreguem as estradas ao final do contrato para que seja feita uma nova licitação, com pedágio de manutenção, compatível com a realidade da economia do Paraná”, defende o parlamentar.

Lido 569 vezes

Itens relacionados (por tag)

Entre para postar comentários
Top