Prestação de contas aponta descaso da população com a saúde
Acessoria

Na última sexta-feira, 29 de setembro, foi realizada na Câmara de Vereadores de Santa Izabel do Oeste, a prestação de contas do 2° quadrimestre de 2017.

“O Conselho Municipal de Saúde participa de todas as prestações de contas, é um elo de pessoas que está cuidando da saúde pública, que gerencia e fiscaliza toda decisão que a saúde pública tome em relação ao município, sendo aprovado ou desaprovado pelo mesmo”, explicou o presidente do Conselho de Saúde, João Paulo Sezepanik.
O relatório apresentado aponta os investimentos feitos na Secretaria de Saúde, mas também mostram estatísticas que apontam descaso da população, observou-se que há 22% de faltas nas consultas do CRE (Centro Regional de Especialidades) que são consultas muito procuradas, o paciente que falta tira a vaga de outro que poderia ser atendido e volta remarcar depois. Em setembro faltaram 18% das mulheres que agendaram mamografia no CEONC (Centro de Oncologia de Cascavel).
Em 2016 aproximadamente 250 exames eletrocardiogramas (exames do coração) e mais de 2.000 exames em geral não foram retirados pelos pacientes. “Estamos vivendo uma epidemia de doenças sexualmente transmissíveis, trabalhamos com orientações nas mídias e nas escolas, mas os adolescentes, jovens e adultos não estão se cuidando. Todas essas orientações, eventos de prevenção, exames e consultas são investimentos de custo elevado para o município, pedimos que a comunidade faça bom uso dessa informação, não falte nas consultas, cuide-se, não jogue esses recursos no ralo”, explicou a Secretária de Saúde, Ivone Sponchiado.
“Nesta tarde foram mostradas as ações, receitas e despesas da Secretaria de Saúde, podemos averiguar que a cada 1,00 repassado pelo Estado e União, o município investe 1,75 centavos de recursos próprios para saúde, é a secretaria que mais recebe investimento. No momento foi esclarecido o problema com a falta de remédios, a licitação foi resolvida e os medicamentos em falta voltaram a ser fornecidos. Outro apontamento que fizemos foi à falta de médicos e dentistas, a secretária explicou que a médica que assumiria não pode ocupar o cargo por motivos pessoais, mas que outra licitação está sendo feita e logo teremos outro profissional para atender a população. Essa audiência é para esclarecer tudo, tirar dúvidas e encontrar saídas, a população precisa participar e opinar sobre a saúde pública do município”, concluiu a vereadora e integrante da Comissão de Saúde, Educação e Assistência Social, Erica Nascimento.

Lido 101 vezes
Entre para postar comentários
Top