Moacir Fiamoncini, de Santa Izabel do Oeste presidirá a Amsop em 2018
O prefeito Moacir Fiamoncini (Santa Izabel do Oeste) será o próximo presidente da Amsop; ele irá substituir Frank Schiavini (Coronel Vivida) Assessoria

Prefeito é o 46º presidente da entidade, que representa os municípios do Sudoeste

Da assessoria

A diretoria que irá conduzir a Amsop no próximo ano foi escolhida na assembleia da entidade na sexta-feira (15). A única chapa inscrita no processo eleitoral, presidida pelo prefeito de Santa Izabel do Oeste, Moacir Fiamoncini, foi confirmada por aclamação e assume o mandato a partir de 1º de janeiro.

Moacir atualmente é o vice da Amsop. Agora ele será o 46º presidente da entidade e quer continuar o trabalho de apoio aos governos municipais de defesa do desenvolvimento regional. “Queremos dar prosseguimento a muitos processos já iniciados, como de buscar investimentos da Copel para a região, de capacitar gestores e técnicos, mas também levantar novas bandeiras em defesa das prefeituras, como a busca por uma divisão mais justa do custeio do transporte escolar”, explicou.

O vice presidente eleito da Amsop é Ademir Gheller, de Clevelândia, e a diretora e conselho fiscal são compostos ainda por prefeitos de outros dez municípios. Atualmente a entidade é uma das associações mais atuantes do estado e encampou importantes mobilizações ao longo do ano, como a manutenção das zonas eleitorais, as tratativas sobre a questão hospitalar e a reativação do encaminhamento do projeto do aeroporto regional.

“Fortalecimento”

Para o atual presidente, Frank Schiavini, este foi um ano em que a entidade se fortaleceu. “Foi um ano de fortalecimento da atuação da Amsop, que esteve mais próxima das dificuldades dos municípios, trazendo capacitações, articulando encontros, prestando assistência e orientação e encaminhando pleitos. Mas isso sem que abandonássemos os nossos projetos ligados à infraestrutura regional e aqueles que impactam diretamente na vida da maioria da população”, afirma Schiavini.

Presenças

Além de prefeitos de toda a região, os deputados estaduais Wilmar Reichembach e Ademar Traiano – presidente da Alep – também participaram da assembleia, que contou ainda com a presença de representantes de instituições parceiras. No encontro a Amsop também apresentou seu balanço financeiro e o relatório de atividades do ano.

No Facebook do Jornal Novo Tempo você pode conferir a entrevista do Prefeito Moacir Fiamoncini falando sobre o trabalho que pretende desenvolver à frente da entidade municipalista do sudoeste.

Lido 256 vezes

Itens relacionados (por tag)

  • Sicredi bate recordes no Show Rural Coopavel 2018

    Instituição financeira cooperativa lidera ranking do BNDES em liberação de crédito para agronegócio

  • Enviados pelo Senhor às demais cidades e paróquias

    “Disse Jesus: ‘Tenho que levar também às demais cidades a boa notícia do reinado de Deus, pois para isso fui enviado’” (Lc 4,43).

  • Santa Izabel recebeu presidente da Alep, deputado Traiano

    No sábado, 1º de julho, o Deputado Estadual e Presidente da Assembleia Legislativa do Paraná; Ademar Traiano (PSDB) visitou Santa Izabel do Oeste.

  • Pacote de investimentos ajuda, mas rodovias do Sudoeste precisam de mais atenção, diz Amsop

    Estado deve investir até R$ 314 milhões na conservação das rodovias do Sudoeste em três anos, mas pacote ainda é insuficiente, segundo a associação de municípios

    Da assessoria

    Todas as rodovias estaduais da região Sudoeste estão incluídas em um pacote de obras para conservação da malha viária anunciado pelo governo do Estado em abril. As licitações devem ser realizadas nas próximas semanas e os contratos passam a valer a partir do segundo semestre. São mais de 1.200 km contemplados somente na região e dois tipos de serviços: o Cremep, que consiste na retirada da camada danificada de asfalto e colocação de uma nova, e o Cop, que é um serviço mais básico.

    O pacote prevê investimentos de até R$ 314 milhões em três anos, mas segundo o presidente da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop), Frank Schiavini, a medida somente ameniza as condições de tráfego e não amplia as melhorias nas rodovias. “Nós entendemos que esse valor que o Estado pretende investir é expressivo, mas pelas condições atuais das rodovias deveria ser maior; o Sudoeste precisaria de mais atenção neste ponto, tanto do Estado quanto da União, porque somos uma região que produz muito em termos de agropecuária e todo escoamento da produção e desenvolvimento da região depende de boas estradas”, afirma Schiavini.

    Em todo o Paraná, o programa de conservação de rodovias pretende investir cerca de R$ 3 bilhões. O dinheiro é utilizado somente na manutenção de estradas, como quando a via é danificada por chuvas ou excesso de tráfego, e não contempla ampliações, como a construção de trincheiras, trevos e terceiras faixas.

    Corredor Sudoeste

    A Amsop também acompanha o processo de concessão do chamado Corredor Sudoeste, trecho que liga Realeza (BR-163) a Palmas (BR-153). A preocupação da entidade é em buscar um modelo viável de concessão, que modernize a rodovia e mantenha tarifas de pedágio baixas. “A realidade é que esse trecho é muito violento, só em 2015 mais de 50 pessoas morreram nele, e isso precisa ser mudado. Se a privatização é o único caminho para tornar a rodovia mais segura e moderniza-la, que seja feito de forma responsável e acima de tudo sem tarifas que penalizem os usuários e motoristas do Sudoeste”, diz Frank.

  • Expo Casa & Jardim é realidade

    O presidente da Sicredi Fronteiras, José César Wünsch fala sobre a parceria com um evento cheio de expectativas e de oportunidades para bons negócios.

Entre para postar comentários
Top