Expobel 2018:  Parque de exposições receberá ilhas para descanso de visitantes
Heloisa: olhar feminino nas obras de revitalização do parque de exposições. Crédito: Darce Almeida/Acefb

Serão construídos pergolados em madeira e colocados, pelo menos, dois bancos em cada espaço.

Da assessoria/Acefb

Faltam poucos dias para a abertura oficial da Expobel de Francisco Beltrão. A feira encerra dia 18 de março, no parque de exposições Jayme Canet Júnior. Desde quinta-feira, 15, o parque está fechado para o público em função das obras que estão sendo realizadas. A medida foi adotada principalmente por questões de segurança.

E a cada dia o parque se transforma. Heloisa Bortot, arquiteta e engenheira civil da prefeitura beltronense, é a responsável por avaliar a estrutura do local e apontar as reformas a serem executadas. Heloisa explica que a primeira ação dela foi avaliar a atual estrutura do parque. “É a primeira vez que acompanho os preparativos da Expobel. Fizemos uma revisão geral em todas as edificações como banheiros e pavilhões, são obras antigas. Percebemos que elas estavam bem deterioradas. E ainda tem o problema do vandalismo, tem muita coisa estragada, vidros quebrados, roubo de metais, torneiras, quebra de vasos sanitários e cubas de banheiros. Temos bastante trabalho pra consertar tudo e estamos fazendo o possível pra deixar em ordem até o dia da abertura”, explica Heloisa. “Mesmo durante os serviços, a gente vai consertando e os vândalos vão estragando, geralmente à noite”, completa.

Conforto permanente

Heloisa informou na manhã desta quarta-feira, 14, que serão construídos 10 pergolados em madeira e colocados, pelo menos, dois bancos em cada espaço. Cada um medirá 1,5 metro de comprimento por 0,40 cm de largura. A base será de concreto e o assento em madeira. “Queremos formar ilhas de descanso para as pessoas que circularão pelo parque. Percebemos que falta isso para gerar mais conforto às pessoas. O bom disso é que as benfeitorias ficam depois da feira”, observa.

Sobre decoração personalizada no parque, a arquiteta lembra que não está previsto investimento e sim a revitalização dos jardins existentes. “O prefeito [Cleber Fontana] inclusive disse que o parque é bonito por si só, é bem arborizado, e não há necessidade de tanta vegetação exótica. Vamos reaproveitar o que já existe aqui”, resume Heloisa.

Esta é a 28ª edição da Expobel, Exposição Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Francisco Beltrão.

Serão construídos pergolados em madeira e colocados, pelo menos, dois bancos em cada espaço.
 
 
 
Da assessoria/Acefb
 
Faltam poucos dias para a abertura oficial da Expobel de Francisco Beltrão. A feira encerra dia 18 de março, no parque de exposições Jayme Canet Júnior. Desde quinta-feira, 15, o parque está fechado para o público em função das obras que estão sendo realizadas. A medida foi adotada principalmente por questões de segurança.
 
 
 
E a cada dia o parque se transforma. Heloisa Bortot, arquiteta e engenheira civil da prefeitura beltronense, é a responsável por avaliar a estrutura do local e apontar as reformas a serem executadas. Heloisa explica que a primeira ação dela foi avaliar a atual estrutura do parque.  “É a primeira vez que acompanho os preparativos da Expobel. Fizemos uma revisão geral em todas as edificações como banheiros e pavilhões, são obras antigas. Percebemos que elas estavam bem deterioradas. E ainda tem o problema do vandalismo, tem muita coisa estragada, vidros quebrados, roubo de metais, torneiras, quebra de vasos sanitários e cubas de banheiros. Temos bastante trabalho pra consertar tudo e estamos fazendo o possível pra deixar em ordem até o dia da abertura”, explica Heloisa. “Mesmo durante os serviços, a gente vai consertando e os vândalos vão estragando, geralmente à noite”, completa.
 
 
 
Conforto permanente
 
Heloisa informou na manhã desta quarta-feira, 14, que serão construídos 10 pergolados em madeira e colocados, pelo menos, dois bancos em cada espaço. Cada um medirá 1,5 metro de comprimento por 0,40 cm de largura. A base será de concreto e o assento em madeira. “Queremos formar ilhas de descanso para as pessoas que circularão pelo parque. Percebemos que falta isso para gerar mais conforto às pessoas. O bom disso é que as benfeitorias ficam depois da feira”, observa.
 
 
 
Sobre decoração personalizada no parque, a arquiteta lembra que não está previsto investimento e sim a revitalização dos jardins existentes. “O prefeito [Cleber Fontana] inclusive disse que o parque é bonito por si só, é bem arborizado, e não há necessidade de tanta vegetação exótica. Vamos reaproveitar o que já existe aqui”, resume Heloisa.
 
Esta é a 28ª edição da Expobel, Exposição Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Francisco Beltrão.
Lido 468 vezes

Itens relacionados (por tag)

Entre para postar comentários
Top