Amsop recebe futuro ministro e o vice-governador eleito
Assessoria

Marcos Pontes e Darci Piana participaram de um encontro reservado com empresários e prefeitos.

Da assessoria

Dois encontros movimentaram a sede da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop) na quinta-feira. O astronauta e futuro ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, e o vice-governador eleito e ex-presidente da Fecomércio-PR, Darci Piana, participaram de debates sobre os futuros governos dos quais farão parte, reunidos com empresários e prefeitos.

Tanto Piana quanto Pontes receberam a Carta do Sudoeste 2018, que reúne demandas voltadas para o desenvolvimento regional. Os encontros foram organizados pelo vice-prefeito de Francisco Beltrão, Antonio Pedron, e também contaram com a presença do 2º suplente do senador eleito Oriovisto Guimarães, Plinio Destro. “Esse tipo de encontro reforça bem a atuação da nossa entidade de forma a estar aberta a receber lideranças de diferentes correntes partidárias e também congregar setores que buscam colocar o Sudoeste em destaque no meio produtivo e da inovação”, destacou o presidente da Amsop e prefeito de Santa Izabel do Oeste, Moacir Fiamoncini, que também reforçou junto ao futuro ministro e vice-governador reivindicações da região.

Lido 90 vezes

Itens relacionados (por tag)

  • Astronauta Marcos Pontes confirmado na abertura do Arenatech 2018

    Da assessoria/Acefb

    De 8 a 11 de novembro, o centro de eventos do parque de exposições de Francisco Beltrão recebe o Arenatech 2018 - “Conectividade”.

  • Amsop e Rotary Vila Nova buscam recursos do Estado para implantar banco de leite

    Em todo o Sudoeste, desde o ano passado não há nenhuma estrutura para coleta, tratamento e armazenamento de leite materno, utilizado para casos em que bebês precisam de internação

  • Moacir Fiamoncini, de Santa Izabel do Oeste presidirá a Amsop em 2018

    Prefeito é o 46º presidente da entidade, que representa os municípios do Sudoeste

  • Pacote de investimentos ajuda, mas rodovias do Sudoeste precisam de mais atenção, diz Amsop

    Estado deve investir até R$ 314 milhões na conservação das rodovias do Sudoeste em três anos, mas pacote ainda é insuficiente, segundo a associação de municípios

    Da assessoria

    Todas as rodovias estaduais da região Sudoeste estão incluídas em um pacote de obras para conservação da malha viária anunciado pelo governo do Estado em abril. As licitações devem ser realizadas nas próximas semanas e os contratos passam a valer a partir do segundo semestre. São mais de 1.200 km contemplados somente na região e dois tipos de serviços: o Cremep, que consiste na retirada da camada danificada de asfalto e colocação de uma nova, e o Cop, que é um serviço mais básico.

    O pacote prevê investimentos de até R$ 314 milhões em três anos, mas segundo o presidente da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop), Frank Schiavini, a medida somente ameniza as condições de tráfego e não amplia as melhorias nas rodovias. “Nós entendemos que esse valor que o Estado pretende investir é expressivo, mas pelas condições atuais das rodovias deveria ser maior; o Sudoeste precisaria de mais atenção neste ponto, tanto do Estado quanto da União, porque somos uma região que produz muito em termos de agropecuária e todo escoamento da produção e desenvolvimento da região depende de boas estradas”, afirma Schiavini.

    Em todo o Paraná, o programa de conservação de rodovias pretende investir cerca de R$ 3 bilhões. O dinheiro é utilizado somente na manutenção de estradas, como quando a via é danificada por chuvas ou excesso de tráfego, e não contempla ampliações, como a construção de trincheiras, trevos e terceiras faixas.

    Corredor Sudoeste

    A Amsop também acompanha o processo de concessão do chamado Corredor Sudoeste, trecho que liga Realeza (BR-163) a Palmas (BR-153). A preocupação da entidade é em buscar um modelo viável de concessão, que modernize a rodovia e mantenha tarifas de pedágio baixas. “A realidade é que esse trecho é muito violento, só em 2015 mais de 50 pessoas morreram nele, e isso precisa ser mudado. Se a privatização é o único caminho para tornar a rodovia mais segura e moderniza-la, que seja feito de forma responsável e acima de tudo sem tarifas que penalizem os usuários e motoristas do Sudoeste”, diz Frank.

  • Curtas sobre Política

    Os comilões

    Em um ano, 392 deputados federais pediram ressarcimento de R$ 1.483.237,31 em refeições consumidas pelo país, de acordo com o serviço Controle Cidadão, do portal da Câmara dos Deputados.

Entre para postar comentários
Top