Segunda, 24 Junho 2019 10:59

Relatório apresenta impactos do Sistema Regional de Inovação no sudoeste do Paraná

Escrito por
Ao final do evento, os participantes reuniram-se para a foto oficial Ao final do evento, os participantes reuniram-se para a foto oficial Antônio Menegatti

Governança do SRI divulgou os resultados dos dez anos da iniciativa, em evento na sede da Amsop, em Francisco Beltrão

Integrantes das entidades e instituições que fazem parte da Governança do Sistema Regional de Inovação do Sudoeste do Paraná (SRI) divulgaram na noite de quinta-feira (13), os resultados dos dez anos de atuação do sistema. A solenidade aconteceu na sede da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop), em Francisco Beltrão, e contou com representantes oficiais de municípios e do Governo do Estado, além de lideranças empresariais.

O evento foi prestigiado pelos prefeitos de Dois Vizinhos, Raul Camilo Isotton, Francisco Beltrão, Cleber Fontana, e teve as participações de Allan Costa, presidente da Celepar, Ramiro Wahrhaftig, presidente da Fundação Araucária, e Henrique Domakoski, superintendente geral de Inovação do Estado do Paraná.

No evento, foi apresentada a pesquisa realizada no ano passado, com 1.600 pessoas dos municípios de Dois Vizinhos, Francisco Beltrão e Pato Branco, coordenada pelo professor Silvestre Labiak Júnior, da UTFPR, de Curitiba. Os resultados estão em mais de 200 páginas, com destaque para o faturamento das empresas e para a percepção da sociedade quanto à cultura da inovação.

No setor econômico, a pesquisa apontou que as empresas da região investiram, em média, 3,8% do faturamento em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), o que representou 2,54% da receita líquida de vendas. Ainda nas empresas pesquisadas, 37,5% dedicaram mais de 5% do faturamento para PD&I. Quanto ao retorno do investimento, 62,5% das entrevistadas registraram ganhos superiores a 10% nos dez anos do SRI. A aferição seguiu os moldes da Pesquisa de Inovação (Pintec), do IBGE.

A pesquisa também mostrou o impacto do SRI na percepção pública: 50% considera muito ou muitíssimo relevante a cultura de inovação no seu município; 75% considera muitíssimo importantes as empresas de tecnologia para o desenvolvimento do Sudoeste; 67% considera a região muito/muitíssimo inovadora; 71% considera a região muito/muitíssimo competitiva.

Cesar Giovani Colini, gerente da Regional Sul do Sebrae/PR, que fez a abertura dos trabalhos, destacou a mudança de mentalidade dos atores em uma década de SRI. “Nossa região hoje é reconhecida como um hub de inovação, com potencialidades para atrair investimentos e novos negócios de caráter inovador. Exemplos disso são o benefício fiscal aos eletroeletrônicos e as startups que surgiram em grande escala na região - 240 startups foram atendidas pela Regional Sul do Sebrae nos dez anos do SRI”, ressalta Cesar.

O gerente do Sebrae/PR projetou as ações para os próximos dez anos, com o SRI 2.0. “Trabalharemos fortemente com verticais de negócios focadas em Tecnologia da Informação, Eletroeletrônicos, Healthtechs (tecnologia para Saúde) e Agrotechs (tecnologia para o Agronegócio), buscando ainda mais desenvolvimento do nosso ecossistema de inovação.” Cesar acrescenta que a intenção é potencializar as verticais de negócios por meio de quatro pilares: fortalecimento do ecossistema; atuação em rede de governança; inovação e mercado.

O presidente da Celepar, Allan Costa, ressaltou a visão do Governo do Paraná para os próximos quatro anos, de ser o Estado mais moderno e inovador do Brasil. E que há a intenção de ajudar os ecossistemas de inovação a prosperar. “O que muda a face de uma sociedade é o empreendedorismo de alto impacto. Nossa percepção passa por integrar os sistemas regionais, para que tenham agenda única e possam ganhar poder de barganha”, enfatizou Costa.

O presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, acompanha o SRI desde o seu início. “Nossa percepção é de que esse é o ecossistema de inovação mais bem organizado do Paraná. Vemos o desenvolvimento da região como um exemplo para o Estado”, elogiou Ramiro, acrescentando que a visão da Fundação Araucária é “de compartilhar ativos, o que o SRI também está fazendo.”

Henrique Domakoski, superintendente geral de Inovação do Estado do Paraná, expressou surpresa com a dimensão do SRI e lembrou de sua origem, como fundador de startup. “Sou empreendedor de origem. Conheço as dificuldades de quem quer empreender. Inovação não é mais uma vantagem competitiva, é uma questão de sobrevivência no mercado. Parabenizo a todos os integrantes do ecossistema, vocês devem ter muito orgulho do que estão construindo”, elogiou o superintendente.

Prefeitos
Na solenidade, a Amsop esteve representada pelo prefeito de Salgado Filho, Helton Pedro Pfeifer, que chamou a atenção para o aspecto humano do projeto. “Toda essa novidade leva em consideração as pessoas, em primeiro lugar. A criatividade e a inovação estão nelas. Estamos vendo o impacto positivo na região e nos seres humanos. E que possamos levar as ações do SRI para os 42 municípios do Sudoeste”, solicitou Pfeifer.

Cleber Fontana, prefeito de Francisco Beltrão, comemorou os resultados obtidos na primeira década do SRI, mas projetou novas conquistas. “Estamos comemorando os dez anos do ecossistema, mas não podemos manter o ritmo. Temos que acelerar, pois enfrentamos muitos desafios e oportunidades. Há campo enorme para buscar evolução no segmento público, apenas um exemplo”, declarou Cleber.

O prefeito de Dois Vizinhos, Raul Camilo Isotton, observou a vocação do Sudoeste para o agronegócio, mas que empresas duovizinhenses e de outros municípios têm se destacado no setor tecnológico em âmbito nacional e no exterior. “A chave para impulsionar o desenvolvimento econômico está na tecnologia. Mas, as Administrações Municipais precisam de mais recursos, para poder investir nos projetos”, disse Isotton, pedindo aos representantes do Estado por mais apoio e verbas.

O prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi, foi representando pelo secretário municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação. A primeira secretaria do Paraná ligada exclusivamente ao tema e também influenciada pelos ecos do SRI, vale ressaltar. “O ecossistema de inovação é um grandioso projeto de construção coletiva que tirou o Sudoeste da condição de ‘esquecido’. Temos muitas dificuldades ainda, mas já temos visibilidade estadual e também no Brasil”, colocou Géri, sublinhando a base sólida da governança e o ensino de qualidade como fatores importantes para a transformação vivenciada.

Próximos dez anos
Após a apresentação dos resultados da primeira década, houve o lançamento do SRI 2.0, com marca e estratégias novas para o desenvolvimento de uma região especializada, competitiva e inovadora. Entre os novos objetivos, estão atrair mais investimentos de capital financeiro e humano, empresas com alto valor agregado e fazer do Sudoeste referência nos quesitos social, ambiental e econômica.

Resultados da pesquisa
Foram entrevistadas 1.600 pessoas de Dois Vizinhos, Francisco Beltrão e Pato Branco, no ano passado. Os resultados com os atores do SRI: perguntados sobre como alcançar a visão no SRI, 92,1% afirmaram que é compartilhando conhecimento; sobre as boas práticas no ecossistema, 97,4% acreditam ser muito relevantes os eventos em conjunto; 94,8% dos pesquisados acredita que é muito importante o relacionamento com outros atores e trabalhos em parceria; 100% considera importante a relação entre pessoas e instituições.

Percepção pública
Já a pesquisa com a comunidade mostrou que 47,9% considera o Sudoeste muito competitivo e 6,3% muitíssimo competitivo; 50% considera muito ou muitíssimo relevante a cultura de inovação no seu município; 75% considera muitíssimo importantes as empresas de tecnologia para o desenvolvimento do Sudoeste; 67% considera a região muito/muitíssimo inovadora; 71% considera a região muito/muitíssimo competitiva; e 57% considera a região muito/muitíssimo importante para a sociedade.

Governança do SRI
Fazem parte do Sistema Regional de Inovação do Sudoeste do Paraná: Amsop, Sebrae/PR, Prefeituras de Dois Vizinhos, Francisco Beltrão e Pato Branco, Sistema Fiep, Cacispar, Agência de Desenvolvimento Regional do Sudoeste do Paraná, Irdes - Instituto Regional de Desenvolvimento Econômico e Social, instituições de ensino - UTFPR, Cesul, Unisep, Unipar, Unioeste, Fadep e Faculdade Mater Dei, NTI, Sudovalley, Nubetec, incubadoras tecnológicas - Proem, CITFBE, Findex, Sudotec e Idetep.

Ler 321 vezes
Entre para postar comentários
Top