Paraná registra 40 novos casos de Influenza em uma semana

O Informe sobre a Influenza no Paraná divulgado na quarta-feira (31) pela Secretaria Estadual da Saúde apresenta 488 casos confirmados da doença.

São 40 casos a mais em uma semana. O boletim anterior apresentava 448 confirmações. O vírus que registra maior circulação é o H1N1, presente em 421 casos de Influenza, ou seja, 86,3%.

 

Aumentaram também os óbitos no Estado: eram 87 e agora são 90 mortes por causa da gripe e agravamentos da doença.

Os óbitos foram registrados nos municípios de Guarapuava (homem, 62 anos), Londrina (homem, 48 anos) e Capitão Leônidas Marques, na região de Cascavel (homem, 72 anos).

Os óbitos por Influenza atingem principalmente os idosos, que representam 55%. Pessoas entre 50 a 59 anos representam com 18,9% dos casos.

 

Riscos

92,2% dos óbitos por Influenza apresentam fatores de risco. Os principais são: as fragilidades apresentadas na terceira idade, doenças cardiovasculares crônicas e doenças que afetam os pulmões.

 

A região que apresenta mais ocorrências é a Metropolitana de Curitiba, com 193 casos, seguida da região de Foz do Iguaçu, com 55, e a região de Ponta Grossa, com 38 confirmações.

 

O monitoramento sobre a Síndrome Respiratória Aguda por Influenza aponta dados desde o início de janeiro de 2019 até a data de ontem, 30 de julho.

 

Transmissão

A transmissão do vírus Influenza, causador da gripe, acontece durante todo o ano, mas no período do inverno existe a tendência do aumento em função das pessoas permanecerem por mais tempo em locais fechados e com pouca ventilação. “Isso facilita a contaminação, já que a gripe é transmitida de pessoa para pessoa, principalmente pela tosse, espirro ou pelo contato com secreções respiratórias ou objetos contaminados”, explica Renato Lopes, da Divisão de Doenças Transmissíveis da Secretaria da Saúde do Paraná.

 

O clima seco predominante no período e as baixas temperaturas também propiciam maior sobrevida do vírus.

 

Prevenção

Como medidas preventivas contra a gripe, a Sesa recomenda a higienização freqüente das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento; cobrir nariz e a boca com a dobra do braço quando espirrar ou tossir; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, copos e pratos e deixar os ambientes sempre ventilados.

Ler 562 vezes
Entre para postar comentários
Top