Paraná tem menor taxa de crescimento da Covid-19 do Brasil

O Paraná foi o Estado que apresentou a menor taxa de crescimento de casos de Covid-19 entre 11 e 18 de maio.

No período, a variação foi de 27,6% no número de registros confirmados da doença, enquanto a média nacional bateu em 49,5%. No mesmo período, a taxa de crescimento do número de óbitos causados pelo novo coronavírus no Paraná também foi a menor do Brasil: 14,4%.

Os dados fazem parte de um estudo coordenado pelo médico cardiologista José Rocha Faria, que é professor do Centro de Epidemiologia e Pesquisa Clínica (EPICENTER) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). A análise levou em conta os dados fornecidos pelo Ministério da Saúde.

De acordo com Faria, o Grupo de Epidemiologia da PUC-PR está analisando os números de infecção e mortes nos estados brasileiros para tentar identificar os fatores que determinam o aumento dos casos. “Estamos olhando variáveis socioeconômicas, obediência às medidas de distanciamento social. Por enquanto só temos os números”, afirma o médico.

“Mas é lógico pensar que o menor número de casos que se registrou no Paraná se deu por uma estratégia precoce de adoção de medidas de distanciamento social, como suspensão das aulas, fechamento de alguns tipos de comércio, tudo isso contribuiu para registramos aqui menores taxas de crescimento da doença”, avalia Faria.

Quanto ao número de óbitos, ele explica que as taxas de crescimento estão diretamente ligadas à qualidade da rede hospitalar e disponibilidade de leitos. “Mas tudo isso são hipóteses que estamos analisando”, enfatiza.

ESTRUTURA

No Paraná, estão disponíveis 564 leitos exclusivos de UTI adulto para tratamento de casos de Covid-19 e a taxa de ocupação destes leitos é de 37%. A estrutura hospitalar segue sendo ampliada, para garantir atendimento à população. Além disso, o Estado deu início nesta semana a um programa de testagem em massa da população. A previsão é 5,6 mil testes por dia no método RT-PCR quando a operação estiver completa.

Os dados do Ministério da Saúde mostram ainda que o número de casos de infectados no Paraná pelo novo coronavírus por 100 mil habitantes é o menor do Brasil até 18 de maio. O Paraná tem 20,6 infectados pelo vírus a cada 100 mil habitantes. Mato Grosso do Sul, que ocupa o segundo lugar na lista, tem 22,1 infectados para cada 100 mil habitantes.

Segundo Faria, a análise de números absolutos leva a grandes distorções. “Num país tão grande como o Brasil, é essencial fazer a conversão do número de casos proporcionalmente à população e isso deve ser feito no menor território possível para dar um retrato mais fiel da situação”, afirma.

ESTRATÉGIA

Faria explica que a proporcionalidade é essencial para traçar as estratégias de enfrentamento. “É por isso que os especialistas insistem em dizer que é tão difícil traçar um cenário único no Brasil. Cada região, estado, tem condições bem distintas. Os números de infectados por 100 mil habitantes do Amazonas, por exemplo, colocam o estado numa condição até pior que a Itália no pico da pandemia. Mas no Paraná o cenário já é outro. É preciso fazer análises distintas”, explica.

MORTALIDADE

Os números o Ministério da Saúde também informam o número de mortos por coronavírus a cada 100 mil habitantes. O Paraná fica entre os cinco estados que menos registraram óbitos decorrentes da Covid-19 até 18 de maio.

A média no estado é de 1,1. Os outros estados com menor índice de óbitos são Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás, com taxa variando entre 0,6 e 1. Amazonas, Ceará e Pernambuco têm os maiores índices de mortalidade – 34,6; 19,1 e 17,2, respectivamente.

Ler 78 vezes

Itens relacionados (por marcador)

  • Prefeituras receberam quase R$ 20 milhões a menos em ICMS no semestre

    Gestores estão cortando despesas para enfrentar momento de crise nas contas públicas.

     

    Da assessoria/Amsop

    Apesar do aumento nos repasses de ICMS às prefeituras da região em junho, o primeiro semestre do ano terminou com queda de R$ 19,6 milhões nas transferências do imposto. Os meses com pior resultado foram abril e maio, quando a redução foi de 33% e 40%, reflexo da redução da atividade econômica em função das medidas de combate ao coronavírus.

     

    Os repasses de ICMS aos 42 municípios do Sudoeste totalizou R$ 261 milhões entre janeiro e junho deste ano, valor menor que os R$ 280 milhões do mesmo período de 2019, segundo levantamento feito pela Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná). E as transferências do imposto são apenas uma das que as prefeituras recebem do governo do Estado e Federal para custear despesas e realizar investimentos e que também foram afetadas. A arrecadação própria dos municípios (com IPTU, ITBI, ISS...) foi reduzida.

     

    A União está complementando parte do FPM e aprovou o repasse de dois auxílios emergenciais a estados e municípios, mas somente uma parte destes recursos chegou às prefeituras.

     

    Corte de gastos e cumprimento das obrigações

  • Sudoeste do Paraná tem mais de 481 mil eleitores

    A Justiça Eleitoral divulgou dados referentes ao mês de maio de eleitores que já estão aptos a votar nas eleições municipais de 2020.

  • 215 pessoas morreram em decorrência da Covid-19 no Paraná

    Nesta quinta-feira foram divulgados mais dez óbitos, o maior número registrado em um único informe epidemiológico, desde o início da pandemia, há 81 dias. Estado tem 327 novos casos e total é agora de 5.820 diagnósticos.

  • Paraná investe R$ 23,3 milhões em equipamentos para escolas

    As 2,1 mil escolas da rede estadual receberão mais de 550 mil cadeiras, mesas, talheres em inox, pratos, banquetas, armários, mesas-refeitório, refrigeradores, além de climatizadores que estão sendo destinados para unidades de regiões mais quentes do Estado.

  • Copel investe R$ 20 milhões na modernização de Centro de Operação

    Projeto permitirá que o sistema passe a comandar de forma remota e centralizada as usinas, subestações e linhas de transmissão de energia da Companhia.

Entre para postar comentários
Top