Na crise, empreendedora vira “vó blogueira” e ganha mercado

Depois de 40 anos com loja de aviamentos, empresária de Realeza se reinventa no mundo digital e vendas crescem 30%

 

A quarentena imposta pela Covid-19 afetou muitos estabelecimentos do chamado comércio não essencial. Uma empresária de 68 anos, em Realeza, no sudoeste do Paraná, teve que reinventar seu negócio, uma loja de aviamentos, a Casa das Linhas Heluana. Com 40 anos de existência, a empresa ficou fechada por 15 dias entre o final de março e o começo de abril e viu suas receitas despencarem. A família pensou em possíveis alternativas e surgiu a ideia de gravar um vídeo, ensinando técnicas de crochê e tricô.

“De início, achei que estavam brincando. Quando vi que era sério e que queriam gravar, não consegui dormir”, recorda Terezinha Ferronato de Moraes, proprietária da loja com o marido, Luiz Antonio de Moraes, de 72 anos.

A partir da ideia, toda a família foi envolvida com a criação do grupo Vó Blogueira no Whatsapp. “Meu sobrinho, Pedro, de 11 anos, que mora em Itapema (SC) começou a dar dicas de como fazer vídeo e sugeriu criar um canal no Youtube. Ele mesmo criou o canal e escolheu o nome”, conta Heloise Gomes de Moraes, filha de Terezinha e Luiz Antonio.

O representante comercial Luiz Alexandre, irmão de Heloise, e seu filho Pedro cuidam do Youtube e da elaboração das artes para postagens. Luciana, outra irmã que mora em Roma (ITA), formada em Publicidade e Propaganda, também está envolvida. A gestão financeira está a cargo de seu Luiz Antonio.

Os vídeos têm feito sucesso no Youtube. “Achava que só os amigos e as comadres iriam assistir, mas tivemos seis mil visualizações só no primeiro vídeo”, conta dona Terezinha.

As incursões nas redes sociais eram ínfimas antes da pandemia. Mas, com a participação no Programa Sebrae Delas, dona Terezinha e Heloise tiveram acesso a conteúdos que as ajudaram a criar novas conexões digitais com os clientes.

“Desde o dia 20 de março, tivemos mais de 25 mil visualizações só em nossa página no Facebook. Também estamos no Instagram e criamos um site para a loja”, lista Heloise.

Alternativa de renda

Com a divulgação nos canais digitais, o faturamento aumentou em 30%. A família empreendedora formou grupos no Whatsapp, específicos para tricô, bordados e outras artes manuais.

“Sempre fomos uma loja-escola. Agora, procuramos colocar vídeos que ensinem técnicas práticas e úteis que as pessoas possam aprender, fazer em casa e produzir para vender. Nos nossos canais, também divulgamos produtos de pessoas do interior do município que não têm acesso à internet”, conta dona Terezinha.

Atenção ao mercado

A gestora estadual do programa Sebrae Delas, Dianalu de Almeida Caldato, observa que inovar e estar atento as tendências e ao movimento do mercado é essencial.

“Foi assim que a empresária de uma atividade essencialmente tradicional, colocou um toque de inovação e aumentou significativamente as vendas. Sempre atenta as orientações e capacitações viu uma oportunidade onde todos viam a crise. E ainda aceitou o desafio como um papel social, podendo ajudar outras empreendedoras a encontrar uma nova fonte de renda”, analisa Dianalu.

Nos canais digitais da Arte entre Linhas, além dos vídeos da Vó Blogueira estão sendo exibidos cursos com professoras de outras artes manuais.

Realeza se reinventa no mundo digital e vendas crescem 30%

Ler 35 vezes
Entre para postar comentários
Top