Sesa destaca a informação como importante ferramenta de enfrentamento da Covid-19

Seis meses depois da ativação o COE, Centro de Operações em Emergências da Sesa, já publicou 44 Notas Orientativas recomendando a aplicação de medidas e procedimentos preventivos para controle da Covid-19.

 

As notas são elaboradas pelas áreas técnicas da Secretaria da Saúde do Paraná, aprovadas em reunião do COE e disponibilizadas no site da Sesa. São dirigidas aos profissionais que atuam na área da saúde, a serviços e estabelecimentos que estão em funcionamento durante a pandemia.

 

“São informações relevantes que orientam o funcionamento e atendimento nestes locais, com foco na proteção dos prestadores de serviços e à população”, disse o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto. “Além das estruturas hospitalares, equipamentos e medicamentos, também estamos atentos à propagação da informação correta como ferramenta de prevenção e controle da Covid-19”, afirmou.

 

As primeiras Notas Orientativas apontaram medidas para limpeza e desinfecção de ambientes, uso de máscara de proteção, medidas de prevenção para serem adotadas em supermercados, serviços de alimentação, serviços de delivery, ambientes de trabalho, residências e comunidades residenciais, transporte sanitário e fabricação de equipamentos de proteção individual (EPIs).

 

Na sequência, as orientações passaram a abranger todas as áreas ligadas à saúde como: atendimentos saúde mental frente á pandemia, serviços de diálise, ambulatórios, manejo de óbitos suspeitos e confirmados por Covid-19, atendimento pré-hospitalar móvel de urgência e transporte interinstitucional de pacientes, puericultura e odontologia, entre outros.

 

“A informação segura é fundamental para o combate das fake news nas redes sociais; em tempos de pandemia são muitas notícias e referências desencontradas, sem confirmação científica; por isso necessidade de orientarmos de forma clara, dentro do que é regulamentado na área”, explicou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa e coordenadora do COE, Maria Goretti David Lopes.

 

Cuidados

A Nota Orientativa nº 32, por exemplo, alerta os profissionais da saúde para que os cuidados aos pacientes portadores de hipertensão arterial e diabetes sejam mantidos no período de pandemia, pois são pessoas que apresentam condições de risco para possíveis complicações de síndrome gripal, como a infecção pelo coronavírus.

 

“Os atendimentos de saúde devem ser realizados mantendo as medidas de precaução preconizadas pelo Ministério da Saúde”, recomenda a nota, que também orienta para que sejam implementadas alternativas não presenciais de monitoramento dos usuários com doenças crônicas, reforçando ainda a participação e o envolvimento do usuário na adoção de medidas de autocuidado.

 

Aos pacientes em tratamento oncológico, a Nota Orientativa nº 18 também informa que os tratamentos não devem ser interrompidos sem autorização médica. Caso o paciente apresente algum sintoma de febre, tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar, deve procurar a unidade de saúde onde realiza o tratamento.

 

Aos serviços habilitados em oncologia, o documento orienta a reorganização dos atendimentos, visando garantir as medidas de proteção para pacientes e profissionais.

No caso de pacientes internados em unidades hospitalares, a indicação é para um controle rígido nas visitas com o intuito de reduzir a circulação de pessoas.

 

A Nota Orientativa nº 44, que trata do manejo de surtos da Covid-19 em unidades prisionais, recomenda que as instituições mantenham as equipes profissionais capacitadas para identificar, oportunamente, os casos suspeitos de infecção pela COVID-19 entre custodiados e trabalhadores do sistema prisional, adotando medidas de controle oportunas.

 

“As unidades devem realizar busca ativa periódica de casos suspeitos na população privada de liberdade e trabalhadores; realizar triagem na entrada da unidade prisional de custodiados, servidores, colaboradores, terceirizados e qualquer pessoa autorizada a adentrar na instituição, e para tanto, os profissionais envolvidos deverão observar as normas de biossegurança e utilizar EPI (Equipamento de Proteção Individual)”, orienta o documento.

 

MEDICAMENTOS

A Nota Orientativa nº 42 informa que até o presente momento não existem medicamentos aprovados para a prevenção ou tratamento da Covid-19. “É importante destacar”, avalia a nota, “que o desenvolvimento de um novo fármaco ou o redirecionamento do uso de um fármaco já existente para o tratamento de uma outra doença requer a comprovação de eficácia e segurança para que seja aprovado e comercialização. Esta aprovação deve ser feita pela Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 

Ainda em relação a medicamentos, o COE faz os seguintes alertas aos gestores municipais na Nota Orientativa nº 44 : “do ponto de vista legal, há vedação para a aquisição ou reembolso, por parte dos entes públicos, de medicamentos experimentais ou de uso não autorizado pela Anvisa”. Todas as Notas Orientativas podem ser acessadas no site saúde.pr.gov.br

 

COE

O Centro de Operações em Emergências foi ativado no dia 27 de janeiro, por meio da resolução Sesa 126/2020, com o objetivo de definir as estratégias e ações na esfera estadual para o enfrentamento da situação epidemiológica atual da infecção pelo coronavírus. É formado por representantes de todas as áreas da Sesa.

 

Em março, a Resolução 317/2020 ampliou as atribuições do COE, incluindo a febre amarela e a dengue, com a finalidade de reduzir aos potenciais impactos de possíveis ocorrências por meio de resposta coordenada, eficaz e oportuna.

Ler 33 vezes
Entre para postar comentários
Top