Startup ligada à Acefb faz conexão com empresa israelense
Joares, Tarsizio, João Manoel, Lucas, Evandro, Glauco, Amit e Leonardo. Darce Almeida/Acefb.

Da assessoria/Acefb

Mais um contato efetivo com líderes referência mundial em inovação e tecnologia aconteceu no dia 28 de outubro, na Associação Empresarial de Francisco Beltrão (Acefb).

Amit Ayalon, CEO da empresa Raphael Care (Israel Cannabis Medicine) e Glauco Jung, representante da Raphael no Brasil, reuniram-se com Tarsizio Carlos Bonetti, presidente da Acefb, Joares Ribeiro, diretor executivo, João Manoel Rios, presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Condef), Evandro Brandalizze, diretor geral da Werbran Distribuidora de Medicamentos de Beltrão, Leonardo Velasquez, docente dos cursos de Farmácia e Medicina da Unipar e do Mestrado Profissional em Plantas Medicinais e Fitoterápicos na Atenção Básica, e Lucas de Oliveira, sócio administrador da startup Brazilian Bioactives (BBA), de Beltrão.

 

A BBA, inclusive, é primeira startup a se conectar com o Centro de Inovação da Acefb, lançado no mês passado, e que passa pelo processo de implantação.

 

Lucas ressalta que a parceria vem ao encontro do que a Acefb tem trabalhado, principalmente no que ser refere às startups. “A visita deles vem para coroar um dos trabalhos da BBA junto ao Centro de Inovação da Acefb. Dentro disso, vemos com boa perspectiva de desenvolvermos novas tecnologias aqui e criar esse hub entre empresas e universidades, e principalmente gerando novos produtos com soluções para a população em termos de saúde”. Conforme ele , no Brasil é o laboratório As Ervas Curam, de Curitiba, responsável pela regulamentação dos produtos derivados do CBD da empresa Raphael de Israel.

 

“Nosso objetivo é formar uma parceria junto com a Werbran na área de cannabis, desenvolvendo projetos, tanto para a área medicinal, como para a área animal. Esse primeiro contato aconteceu há uns seis meses, justamente porque a Werbran é muito forte no setor de distribuição de medicamentos em todo o Brasil todo, além de ser referência em qualidade e parceira em pesquisas científicas, tecnológicas e com universidades”, disse Glauco. “E a visita do Amit é para selar a parceria entre os dois países [Brasil e Israel], entre elas a empresa Raphael Care”, completa.

 

Segundo Glauco, Israel detém a maior tecnologia na área de desenvolvimento de produtos à base de cannabis para tratamento de mais de 27 doenças. A missão da Raphael é ajudar as pessoas necessitadas a melhorar a qualidade de vida. Atua em Israel e no exterior, fornecendo aconselhamento médico e pesquisas aprofundadas em uma ampla gama de tópicos para todos os estágios da cannabis medicinal. Os serviços variam de fabricação a logística, bem como indústrias relacionadas, como produtos de estilo de vida, cosméticos, produtos farmacêuticos, genética, entre outros.

 

Próximos passos

“Vamos fazer toda a parte regulatória e começar a introdução, pouco a pouco, de parcerias com a Unipar e outras instituições para o desenvolvimento tecnológico e científico para produção de mais pesquisas que serão desenvolvidas aqui no Brasil. Para 2021, outras novidades serão confirmadas”, adianta Glauco.

 

Para Leonardo, a parceria irá trazer muitos frutos, não apenas na área de negócios, mas também na área de pesquisas. “Estamos firmando um termo de convênio para que sejam desenvolvidas novas pesquisas, não apenas na área médica, mas também na animal”.

 

Inovação aberta

“Esse é um dos papeis que o Centro de Inovação da Acefb terá para a conexão de startups com empresas dos mais variados setores. Ficamos felizes com a visita do pessoal de Israel, saber que já começou a gerar frutos esses primeiros trabalhos que a Acefb está fazendo. Conseguimos deixar esse canal de contato com os israelenses para futuramente conversarmos sobre novas parcerias com o Centro de Inovação. É a conexão de negócios, o be to be [business-to-business]”.

 

Por fim, Evandro Brandalizze informa que outros projetos estão sendo alinhados com os israelenses. “Tem um equipamento para redução no custo de energia elétrica em empresas que estamos conversando também. Uma coisa puxa a outra. É o que queremos, ter ainda mais intercâmbio de tecnologia com Israel”, comemora.

Ler 42 vezes
Entre para postar comentários
Top