Em pronunciamento do plenário da Câmara, Micheletto aborda a crise na agricultur
Em um pronunciamento de quase meia hora da tribuna do plenário da Câmara dos Deputados na sexta-feira, 12 de agosto, o deputado federal Moacir Micheletto (PMDB-PR), abordou as causas e conseqüências da crise que o setor agropecuário vem enfrentando. Micheletto discursou ainda sobre quais são as soluções para tirar o setor da "gravíssima crise" que afeta milhares de produtores. Micheletto iniciou seu pronunciamento afirmando que "a perda de produção, a queda no faturamento bruto, a perda de renda, os preços em queda, os custos em alta e a defasagem cambial, todas combinaram de maneira explosiva, provocando a pior crise de todos os tempos".
O parlamentar atestou que o pedido de socorro dos produtores rurais chegou a Brasília nos dias 28 a 30 de junho, com uma manifestação que contou com mais de 25 mil produtores rurais. Segundo Micheletto, o ‘tratoraço’, como ficou denominado a manifestação dos produtores rurais, contou também com mais de 2 mil máquinas e tratores na Esplanada dos Ministérios. Micheletto assegurou que os produtores rurais não querem perdão de dívidas, e querem sim, compatibilizar a receita dessa safra que foi afetada negativamente, com os vencimentos dos financiamentos junto aos bancos e aos fornecedores de insumos. "Essa é uma postura propositiva do setor rural que pretende evitar um novo ciclo de endividamento mediante a apresentação de propostas de soluções para o enfrentamento das dificuldades vivenciadas pelos produtores", completou Micheletto. "Infelizmente, por problemas climáticos, seca no sul e irregularidades de chuvas na região centro-oeste, a produção que seria de 132 milhões de toneladas caiu para 112,4 milhões de toneladas e a perda de produção representou um prejuízo de R$ 10 bilhões, de acordo com informações da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)", disse o parlamentar. Conclusões Micheletto concluiu o discurso afirmando que é preciso adotar as seguintes medidas: Compras a prazo de insumos, máquinas e equipamentos; Alocação de R$ 3 bilhões para aquisição de Cédula de Produto Rural Financeira; Prorrogar as parcelas vencidas e vincendas até agosto de 2005; Liberação de garantias das dívidas securitizadas, do Pesa e outras; Reavaliar os bens e títulos oferecidos como garantias das dívidas e liberar as excedentes; Renegociação de dívidas antigas; Readequar nos contratos de crédito, Securitização, PESA, Recoop, Fundos Constitucionais e outros, o cronograma das prestações de acordo com a capacidade de pagamento para os produtores que foram afetados pela seca e problemas de comercialização; medidas de apoio à comercialização e competitividade da agricultura; fixar o preço de exercício do contrato de opção do arroz irrigado em R$ 25,00/50kg, para assegurar a comercialização de 1,5 milhão de toneladas.
Ler 902 vezes
Entre para postar comentários
Top