Quarta, 06 Julho 2011 00:00

RAIO - X

Escrito por

Prazo - O ministro Paulo Bernardo, das Comunicações, pediu ao Supremo Tribunal Federal 15 dias para decidir se aceita um acordo com o senador Roberto Requião.

Alegou que precisa do prazo porque estaria com dificuldades para encontrar seu advogado. O ministro Dias Toffoli,do STF, deu o prazo pedido pelo ministro. No entanto, reportagem da revista Época afirmou que o ministro, na verdade, só aceita o acordo se Requião lhe pagar uma indenização. O caso começou com uma denúncia feita por Requião na Escola de Governo. O então governador afirmou que o ministro tentou convencê-lo a participar de um negócio ferroviário superfaturado. Agora, Bernardo o processa por danos morais. O advogado de Requião, René Dotti, entrou com um pedido de suspensão condicional do processo, que funciona mais ou menos como um acordo entre as partes. A revista Época aproveitou para mostrar os vários processos de crimes contra a honra que cercam Requião. E deu um título bastante maldoso ao conjunto: Requião, o amarelão. Será que o senador vai gostar?

Dilma não veio, mas vem - O Plano Safra da Agricultura Familiar 2011/2012 seria lançado sexta-feira (1), em Francisco Beltrão, pela presidente Dilma Rousseff, cercada de muita expectativa, não pelo plano, mas porque é a primeira vez que o anúncio será realizado fora de Brasília, e também a primeira visita oficial da presidente ao Paraná, desde que assumiu o cargo. O governo federal vai disponibilizar até R$ 16 bilhões pelo Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar e já está valendo, mas a Dilma vem ao sudoeste, para lançar o plano que já existe, no próximo dia 12 de julho. É chover no molhado, ou assoprar na ventania, mas tem quem gosta.

Dilma vem – A parafernália armada semana passada, deu a dimensão, para quem esteve em Francisco Beltrão, pois as caravanas já haviam saído dos municípios do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, os meios de comunicação do Brasil inteiro já estavam de plantão, do quanto se gasta neste Brasil. Estrutura local, segurança, puxa-sacos, veículos e helicópteros blindados, hotel, pessoal e gastronomia. A viagem que não aconteceu, mas custou (R$) para os cofres abertos (bolso do povo brasileiro), daria para pagar o Plano Safra da região. Mas, mesmo os que criticavam as viagens de FHC, para eleger Lula (dizendo que o FHC viajava demais, Lula viajou muito mais) e depois Dilma, agora mudaram o discurso, e aprovam a gastança. Entre as justificativas: é a primeira presidenta do Brasil, queremos vê-la.

Dilma vem 1 – O Brasil e os brasileiros estariam amadurecendo? Ou já estão maduros? Sim, se parte para a coisa prática. É importante que o Presidente, o Governador, o Senador, os deputados, os prefeitos e os vereadores estejam junto das bases. E o sudoeste é uma base (eleitoral) excelente de Dilma e foi de Lula. Como é importante receber a visita de um governante. Custa? Custa, até porque, se vier à pé, gasta-se chinelo. E mais: às vezes, não percebíamos que a chuva atrapalha. Dizíamos que era o governo, culpa somente dele (governo). Se o Plano Safra já existe, e a visita será apenas uma evasiva para se aproximar do povo, vale a pena. Com certeza, 99% dos que estiverem dia 12, em Francisco Beltrão, nunca viram um presidente(a) de perto. Imagina a honra! Eu lembro muito bem, da honra de ter visto o Presidente Geisel, em Marechal Cândido Rondon. De ter cumprimentado o Presidente Sarney (numa Convenção nacional do PMDB), de ter feito uma pergunta ao Presidente FHC (na inauguração da Usina de Salto Caxias) e de ter conversado longamente, com o Presidente Lula, em Brasília. Isso não tem preço e muitas vezes tinha pena das pessoas que jogavam verbetes ao ar, desfazendo estas possibilidades. Que bom que as pessoas mudam e os conceitos também. Viaje Presidenta, o Brasil precisa do seu olhar. Nesta viagem, o sudoeste passará a existir no cenário nacional.

Com o Governador – Hoje, às 11h, o governador Beto Richa assina a Lei Complementar 350/2011 (Lei de Transparência), no Palácio Araucária, em Curitiba, e o diretor do Jornal Novo Tempo, na condição de presidente da Adjori/PR e vice-presidente da Adjori-Brasil, Sérgio Jonikaites, com filiados e com o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Valdir Rossoni, acompanhará o ato. A Lei obriga os municípios (Prefeituras e Câmaras Municipais) a publicar os Atos Administrativos em jornais de ampla circulação no município e na região e no Portal Transparência. Após o ato com o governador, Sérgio terá audiência no Tribunal de Contas do Estado do Paraná, onde discutirá uma Resolução Normativa que exigirá dos municípios, a partir de 2012, a auditoria de circulação dos jornais. Para isso, a Adjori/PR, está firmando convênio com o IVC – Instituto Verificador de Circulação, órgão autorizado no Brasil, para auditar a circulação de jornais, cujas informações são repassadas para os governos federal e estadual, às agências de propaganda, e agora, poderá ser repassada para os Tribunais de Contas.

Sede aqui – A partir desta semana, depois de ser aprovada por Assembleia Geral, a sede da Adjori/PR muda de Curitiba para Santa Izabel do Oeste. Os filiados decidiram que para melhor operacionalização, a sede da entidade ficará junto a sede em que residir o presidente. Assim, a Adjori/PR, tem como endereço, a rua Laranjeiras, 1474, bairro Santo Antônio – Santa Izabel do Oeste, ou seja, a sede do Jornal Novo Tempo. Junto com a presidência da Adjori/PR, Sérgio Jonikaites também foi eleito, e acumula, a vice-presidência da Adjori-Brasil.

Capanema – Dia 10, segundo informações extra-oficiais, Capanema será anunciada como sede de instituição de ensino federal. É mais uma conquista para a região. O anúncio se deve, em parte, a presença profissional do ex-vice-prefeito de Capanema, Carlos Carboni, no Gabinete da Ministra Chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.
 

Ler 670 vezes
Mais nesta categoria: « Raio - X Raio-X »
Entre para postar comentários
Top