Quarta, 24 Agosto 2005 10:26

Câmara quer criar 103 universidades federais, cinco no PR

Escrito por
Cerca de 20% dos deputados federais apresentaram 103 projetos que solicitam a criação de instituições federais de ensino superior nos quatro cantos do país – cinco delas no Paraná.
Em tese, se todos fossem aprovados, isso representaria um aumento de quase 300% nas demandas por recursos financeiros no setor. Se por um lado, no entanto, os deputados se preocupam com a boa repercussão do projeto em sua base, em última análise, estão cumprindo um papel que deveria ser feito pelo Poder Executivo – que, aliás, se propôs a fazer com que, até 2011, 40% das vagas do ensino superior sejam públicas e gratuitas. Na prática, isso significa que, na hipótese de que a rede particular não abra uma vaga sequer em seis anos, seria necessária a abertura de 800 mil a 1 milhão de vagas em escolas públicas nesse período, segundo dados da Associação Brasileira de Reitores de Universidades Estaduais e Municipais (Abruem). Justificativa Entre os parlamentares paranaenses, a principal justificativa para embasar os projetos apresentados é a suposta “injustiça histórica” que o Paraná teria em relação a outros estados da federação, sendo sempre citados os exemplos de Minas Gerais – que tem 12 instituições federais – e do Rio Grande do Sul, com cinco. No entanto, com duas instituições federais – Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná (Cefet-PR) –, o Paraná segue o padrão médio dos estados brasileiros. Além disso, é o quarto estado com o maior número de vagas oferecidas por ano e o sétimo em termos de recursos. Pouco investimento Há muitos anos, o governo do Paraná tenta, sem sucesso, federalizar parte do sistema universitário estadual, para minimizar parte dos cerca de R$ 500 milhões de recursos estaduais gastos em ensino superior que, pela Constituição, é atribuição do governo federal. Para o deputado federal Eduardo Sciarra (PFL-PR), que propõe a criação da Universidade Federal do Oeste do Paraná, com sede em Cascavel, o Paraná não pode ser penalizado pelo fato de investir por si mesmo em educação superior e critica o critério político nas escolhas recentes de novas instituições, como a Universidade Federal do ABC, região ligada diretamente ao presidente Lula, e três universidades em Minas Gerais (de Alfenas, do Triângulo Mineiro e dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri), considerando que Minas é o estado que já possui o maior número de universidades federais no país. O deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) tem a mesma opinião. Ele conta que, em todas as sessões em que se votam pedidos de universidades, ele pede a palavra para pedir atenção ao projeto de sua autoria, proposto em 2002, que pede a criação da Universidade Federal do Norte do Paraná. Por enquanto, porém, entre os projetos que contemplam o Paraná, só avançou na tramitação legislativa o que transforma o Cefet-PR em universidade tecnológica. Os demais continuam na nebulosa fila de espera legislativa.
Ler 813 vezes
Entre para postar comentários
Top