Quase metade dos municípios do PR perdem população
Quase metade dos municípios paranaenses tem populações menores do que aquelas que do as estimadas no ano passado. Os dados fazem parte da Contagem da População 2007, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em geral, as reduções nos números de habitantes foram pequenas. Mas alguns municípios tiveram crescimento menor do que o esperado nos últimos anos e viram as projeções de suas populações despencarem, o que pode acarretar perdas de recursos repassados pelo governo federal.
O Censo deste ano foi realizado apenas em municípios com até 170 mil habitantes. No total, a contagem aconteceu em 5.414 das 5.564 cidades brasileiras. Outros 21 municípios com populações maiores, situadas em 14 Estados onde apenas uma ou duas cidades excediam o teto populacional, também foram visitadas pelos entrevistadores do IBGE. No Paraná, 214 municípios, ou 53,64% do total de 399, tiveram crescimento populacional ao se comparar com a estimativa de habitantes que o IBGE havia divulgado no ano passado. Já os demais 185 (46,36%), apresentaram números finais menores do que os projetados pelo instituto. Na média, as cidades paranaenses cresceram 1,1%. A população total do Estado estimada pelo IBGE é de 10.279.545 habitantes. Em geral, as variações, tanto para cima como para baixo, foram de centenas ou até dezenas de moradores, chegando a casos extremos, como o de Quitandinha. Em 2006, o IBGE estimava que o município tivesse 15.903 habitantes. Na contagem deste ano, registrou 15.901 moradores. Mas também existem diferenças significativas, que podem prejudicar a saúde financeira de certos municípios. Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), serve como exemplo. No ano passado, o IBGE estimava que a cidade tivesse 103.574 habitantes. Mas o Censo 2007 constatou 81.313 moradores. Como o número é levado em conta para o cálculo de quanto a prefeitura receberá do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), os repasses devem ser reduzidos. Segundo o chefe do IBGE no Paraná, Sinval Dias dos Santos, diferenças como essas ocorreram porque a estimativa de 2006 havia sido projetada levando em conta os índices de crescimento dos municípios na década passada. ‘’Principalmente na RMC, os municípios tiveram um crescimento muito grande na década passada. Agora, eles continuam crescendo, mas em índices menores’’, explica. Santos afirma que os prefeitos descontentes com os dados divulgados pelo IBGE terão um prazo de 20 dias para questionar os números. Eles poderão entrar com recursos administrativos, desde que fundamentados, junto ao próprio instituto. No fim de agosto, a divulgação de dados preliminares do Censo gerou protestos de prefeitos, o que fez com que o IBGE ampliasse o prazo para concluir a contagem.
Ler 793 vezes
Entre para postar comentários
Top