Igreja Católica cresce apesar do Brasil

Mario Eugenio Saturno
Temos uma sensação de que o ateísmo cresce no mundo, não? Pois é, isso não é verdade! Segundo o estudo anual "Status of Global Missions", desde o ano 2000, a categoria não-religiosa perde 700 “seguidores” por dia e a dos ateus perde 300. Por outro lado, o cristianismo, que soma 2,3 bilhões de seguidores, ganha 83 mil novos adeptos por dia, destes, 34 mil convertem-se ao Catolicismo, que soma 1,160 bilhão de fieis. Em seguida vem o Islamismo, que totaliza 1,6 bilhão de pessoas e recebe 79 mil seguidores a cada dia. O Hinduísmo tem 952 milhões e seu crescimento é de 37 mil.


É incrível a situação da Igreja Católica, ainda é maior que todas as outras igrejas cristãs juntas. Estaria demonstrando que “as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16,18)? Outra curiosidade é que o estudo separa o que define como “cristãos marginais”, como as Testemunhas de Jeová, os Mórmons e todos os que se denominam cristãos, mas não aceitam a divindade de Jesus e nem da Trindade, estes somam 35 milhões e ganham por dia dois mil.

O estudo aponta que no mundo, dos sete bilhões de pessoas, há dois bilhões que nunca ouviu a “boa mensagem” (Eu Aggelion, Evangelho em grego). Já 2,680 bilhões ouviram algumas vezes falar de Cristo, ou o conhecem vagamente. O mais inacreditável é que apesar de Jesus Cristo ter fundado uma só Igreja e rezava para que “todos fossem um”, hoje existem mais de 42 mil denominações cristãs.

Um fato que chama a atenção é que, se considerarmos o número de fieis, os muçulmanos crescem mais que os cristãos. Isso, certamente, se deve ao número de nascimentos. Cabe ressaltar que na Europa cristã, o natalidade é muito baixa.

Já no Brasil, uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra uma expressiva queda no número de católicos no País. Em 2003, declararam-se católicos 73,79% da população. Já em 2009, o número caiu para 68,43% da população brasileira, apontando que 5,36% dessa população deixou a Igreja. Esse número fica mais drástico quando observamos somente a população católica, pois vemos que um em cada 14 católicos saíram, ou seja 7,26% dos católicos.

A queda é mais expressiva entre jovens de 15 a 19 anos, católicos nessa faixa etária passaram de 75,22% em 2003 para 67,49% em 2009. A pesquisa ainda aponta um aumento no número de brasileiros que se declaram “sem religião” de 1,59%, chegando a 6,72% em 2009.

Esses números surpreendem já que as Igrejas Católicas estão sempre cheias. Esse deve ser o problema, cria-se a ilusão de que tudo está bem e os que ficam excluídos procuram alternativas. Talvez a Igreja devesse formar mais diáconos casados e aumentar a distribuição de “conteúdo” através de CD e internet. De qualquer forma, a vinda do Papa para a Jornada Mundial da Juventude de 2013, no Rio de Janeiro, deve ser o momento da reviravolta da Igreja do Brasil na conquista do seu espaço no cristianismo mundial.

Mario Eugenio Saturno é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), professor do Instituto Municipal de Ensino Superior de Catanduva e congregado mariano. (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

Ler 600 vezes
Entre para postar comentários
Top