Um governo com obsessão pelo desenvolvimento

Ademar Traiano
Beto Richa participou, nesta quinta-feira (2), da abertura do ano legislativo da Assembleia e prestou contas de seu primeiro ano de governo. Mostrou que governa com obsessão pelo desenvolvimento, focado em gerar empregos, desenvolver os municípios, garantir saúde, educação e segurança.


Esses objetivos vêm sendo alcançados, disse o governador, que identificou também os graves desafios que o Estado enfrenta. Beto lamentou que o desenvolvimento econômico do Estado foi deixado de lado por vários anos

Seu governo correu atrás do prejuízo. Um ano após a criação do Paraná Competitivo, o Estado atraiu R$ 9 bilhões em novos investimentos. São dezenas de novas empresas no Estado. Só os novos investimentos da Renault - R$ 1,5 bilhão - consolidam o Paraná como segundo polo automotivo do país.

Foram mais investimentos e menos conflitos. Foi aberto com o MST um canal de diálogo sem precedentes. Em 2011 o Paraná não registrou qualquer invasão de terras. Foram resgatados compromissos com o produtor rural. Criada, por exemplo, a Agência de Defesa Agropecuária, que vai abrir novos mercados à agropecuária.

Nem tudo são flores. Existe o gargalo da infraestrutura. Uma dura realidade que precisa ser equacionada sob pena de travar o desenvolvimento. O plano de investimentos em infraestrutura começa com R$ 830 milhões para melhoria e conservação das estradas.

Os investimentos no Porto de Paranaguá foram retomados nos primeiros dias de 2011, com a dragagem, que não era realizada havia anos. O Porto receberá investimentos de R$ 1 bilhão e vai duplicar sua capacidade operacional.

Não se faz desenvolvimento sem educação. O governo constrói e reforma de escolas no valor de R$ 126 milhões. Mais de 500 escolas estão sendo reformadas. Começou a equiparação salarial dos professores aos profissionais de nível superior. Os professores tiveram em 2011 reajustes de quase 13%, remuneração acima do piso aprovado pelo Congresso.

Na saúde, implantou-se o HospSus. Foram colocados em funcionamento pleno hospitais inaugurados em 2010 sem equipamentos e qualquer condição de atendimento. Este ano vai ser ampliado o orçamento da saúde em R$ 340 milhões, o que garante, pela primeira vez na história, o cumprimento da Emenda 29, que determina a aplicação de pelo menos 12% das receitas correntes em saúde.

Livre das disputas judiciais, a Sanepar teve uma fantástica valorização de 66% de suas ações em bolsa, e retomou investimentos. Serão R$ 2 bilhões até 2014, ampliando de 62% para 72% a cobertura da rede de coleta e tratamento de esgoto nos 345 municípios em que atua.

A Copel realizará neste ano seu maior programa de investimentos, num total de R$ 2 bilhões e 250 milhões. A empresa amplia seus horizontes. Constrói uma hidrelétrica no Mato Grosso, toca obras em São Paulo e logo iniciará outras no Maranhão, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

O governo luta para reverter os índices alarmantes de criminalidade que herdou. Situação agravada com o contingente policial insuficiente. Municípios inteiros sem um único soldado, comarcas sem delegados de polícia.

Com os escassos recursos do Orçamento de 2011, reduziu-se o índice de homicídios em 8% em Curitiba e em 5,8% na média estadual. Números modestos, mas que apontam para uma inversão curva das estatísticas do crime. Começou a contratação de dez mil policiais, oito mil para a PM e dois mil para a Polícia Civil. É a maior contratação de policiais já vista no Estado.

Serão construídas ainda 40 novas delegacias; 150 módulos policiais móveis; novos IMLs em Curitiba, Londrina, Maringá e Ponta Grossa; aquisição de 1.500 viaturas.

Foi implantada a Defensoria Pública do Estado e conseguiu-se R$ 135 milhões de recursos federais, com contrapartida do Estado, para construção de novos presídios. Penitenciárias serão construídas ou ampliadas, abrindo mais 13.000 vagas.

Beto Richa enfatizou que teve na Assembleia apoio em todas as ocasiões. Destacou ainda que graças à iniciativa da atual Mesa Executiva e da colaboração de todos os deputados, a devolução ao Estado de R$ 90 milhões economizados pela Casa. Dinheiro integralmente aplicado em programas sociais, sobretudo na área da saúde.

Enfatizou que os resultados alcançados indicam que trilhamos o caminho certo, com diálogo, equilíbrio e respeito. Sem fantasias ideológicas, sem autoritarismo e sem a soberba da arrogância.

Ademar Traiano é deputado estadual pelo PSDB e líder do governo na Assembleia Legislativa.

Ler 558 vezes
Entre para postar comentários
Top