Cooperativa lança produto com a marca Sudoeste
A primeira cachaça registrada e elaborada por uma cooperativa de produtores da região Sudoeste foi oficialmente apresentada na noite do dia 2, em Francisco Beltrão. A solenidade que reuniu produtores, representantes do comércio, autoridades políticas e técnicos do setor aconteceu no Santa Fé Clube de Campo. A cachaça que leva o nome de Sudoeste entra no mercado com 120 mil litros de bebida destilada dentro das normas de qualidade exigidas pelo mercado.
No lançamento foi apresentada a história da cachaça no Brasil e ainda o processo pelo qual foi criada a Coachaça – Cooperativa Agroindustrial dos Produtores de Cachaça Artesanal do Sudoeste, entidade que administra a produção e distribuição da cachaça Sudoeste. Em noite de festa, o evento ainda contou com a apresentação do Grupo de Violeiros Savica, que deu um show com muitas modas de viola. Dos primeiros encontros para a formação do grupo de produtores de cachaça, passaram-se dois anos de trabalhos que envolveram desde técnicas de plantio da cana-de-açúcar, produção da cachaça, associativismo e também treinamentos da área financeira e mercado. O presidente da Coachaça, Jerônimo Celestino Gregozeski, aposta no sucesso do produto, uma vez que através de pesquisa de mercado, a Cooperativa tem dados sobre a venda do produto da região Sudoeste. “Hoje, quase 98% do que é consumido aqui vem de fora. Agora, com um produto diferenciado, devidamente registrado, podemos começar ganhando o mercado regional”, pondera. Gregozeski afirma que a cachaça tem condições de concorrer com as marcas conhecidas. A Coachaça conta com 33 associados, todos pequenos produtores rurais da região. Alexandre Figueiredo, um dos técnicos que participou do processo onde foram treinados os produtores fabricantes de cachaça, acredita que o resultado final do produto tende a melhorar ainda mais com as novas técnicas de produção. “A forma de cortar a cana, o tipo de fermentação, a forma de destilação, tudo isso foi padronizado para termos um produto de qualidade”, analisa. Alexandre ressalta que a cooperativa é uma saída para os produtores, porque isolados não têm condições de produzir em quantidade de ganhar mercado. “O trabalho está sendo feito de forma organizada, os produtores estão abertos as orientações, e, em pouco tempo esta cachaça terá seu lugar garantido no mercado”, projeta o técnico. A Coachaça e seu primeiro produto, a Cachaça Sudoeste, nasceu da dedicação dos produtores rurais que participaram do projeto Cachaças do Paraná, desenvolvido pelo Sebrae/PR, Emater/PR e Associação dos Produtores de Cachaça Artesanal do Paraná (Aprocapar), além do apoio da Prefeitura Municipal de Francisco Beltrão e Texcel. A comercialização será feita através de distribuidores e também na Rede AFASP- Associação das Agroindústrias Familiares do Sudoeste. Prestigiaram o evento o vice-prefeito Wilmar Reichembach, que está no cargo de prefeito, o presidente da Coachaça, Jerônimo Celestino Gregozeski, a secretária municipal de Meio Ambiente e Agricultura, Adriana Salvadori, o consultor técnico do Sebrae-Pr, Joailson Agostinho, gerente Regional da Emater, Simão Flores, o presidente do Tecxel, Edegar Behne e o presidente da Acefb, Alexandre Pécoits. Também estavam presentes os prefeitos de Ampére, Roberto Detoni, Amarildo Smaniotto, de Salgado Filho e Iva Magnani, de Pranchita. O especialista em cachaça e Consultor Técnico do Projeto de Bento Gonçalves, RS, Renato Garcia de Lima e o Consultor Técnico do Projeto de Cachaça, Alexandre Teixeira Figueiredo, de Belo Horizonte, MG ministraram palestras sobre o produto, sua origem, produção, qualidade, características técnicas e sobre a degustação da Cachaça Sudoeste. O consultor do Sebrae-Pr, Nezio Silva explanou sobre a organização da Coachaça. O produto, embalado em garrafa especial, com layout moderno e aprovado por todos, foi apresentado pela bela Miss Francisco Beltrão 2005, Daiane Zanchet. A cooperativa é composta por 35 produtores de 22 municípios, sendo 20 da região Sudoeste e 2 do Oeste. A estimativa de produção é de 600 mil litros/ano/safra. Esse trabalho gera 140 empregos diretos. Durante o evento foram assinados dois documentos. O Termo de Cessão de Uso do Barracão Industrial, construído pela administração municipal e cedido em comodato à Cooperativa. O barracão é um dos 18 construídos na estrada que dá acesso ao Tecxel, formando o quarto Distrito Industrial, que tem o nome de Dante Manfroi. E o Termo de do Acordo de Resultados e Plano de Trabalho para 2006, entre os produtores de Cachaça, representados pelo seu presidente, e os demais parceiros do projeto, sendo a administração municipal, o Sebrae/PR, a Seab, a Emater e o Tecxel
Ler 993 vezes
Entre para postar comentários
Top