Paraná lança ofensiva contra o crime
Ademar Traiano
Na madrugada desta quinta-feira, primeiro de março, quatrocentos e cinquenta homens da Polícia Civil, tropas especiais da Polícia Militar e a Guarda Municipal de Curitiba ocuparam parte do bairro Uberaba, uma área que era dominada pela criminalidade e pelo tráfico de drogas. 

A polícia tomou áreas das vilas Audi, União, Ferroviária, Jardim Primavera, Centenário e Icaraí, integrantes do bairro Uberaba, que apresentam elevado índice de homicídios e crimes relacionados ao tráfico. Os policiais cercaram com viaturas entradas e saídas das vilas, com suporte de helicópteros e cães farejadores, para abordagem e identificação de veículos e revistas a pessoas. 
 
O objetivo da operação, conduzida em sigilo pela Secretaria de Segurança e deflagrada por ordem do governador Beto Richa, era cumprir 34 mandados de prisão de acusados de homicídios e tráfico de drogas e abrir espaço para implantar a primeira Unidade Paraná Seguro (UPS) do Estado. 
 
As UPS vão dar à áreas urbanas violentas, muitas vezes controladas pelos criminosos, a presença forte e constante do poder público. A ofensiva desfechada neste primeiro de março cumpre a determinação do governador de virar o jogo da segurança pública em todo o Paraná. 
 
No Uberaba serão implantados dois módulos policiais móveis e, posteriormente, construídos módulos fixos. Ainda este ano serão implantadas mais 10 unidades em Curitiba e identificadas às áreas que receberão UPS nas cidades do interior do Estado. O projeto tem objetivos ambiciosos. Entre eles reverter os assustadores índices de violência e devolver ao cidadão paranaense a perdida sensação de segurança.
 
Essa ação é decisiva para marcar o início de uma grande revolução que vamos fazer na área da segurança pública no Paraná. O governador Beto Richa enfatizou que a polícia tomou uma grande área que era dominada pela criminalidade e pelo tráfico de drogas e vai devolvê-la aos cidadãos. Vamos levar políticas públicas do município e do governo estadual e garantir presença permanente da polícia.
 
O processo iniciado agora terá prosseguimento na Região Metropolitana de Curitiba e cidades do interior. Também será iniciada a implantação de módulos policiais móveis em todos os bairros da capital, para o policiamento comunitário, e das novas delegacias cidadãs. As cidades do interior também começarão a contar com esses dispositivos. É uma mudança de mentalidade.
 
Ao contrário do que aconteceu outras vezes, essas intervenções policiais não serão temporárias. A polícia vai entrar e ficar, mas vamos devolver uma vida comunitária regular e aproximar a polícia da comunidade. A participação da sociedade civil organizada será fundamental.
 
O programa Paraná Seguro prevê a contratação de 10 mil policiais até 2014 e a compra de 3.200 viaturas, com tecnologia embarcada de georeferenciamento (GPS) e computadores (tablets), para equipar as polícias e o Instituto Médico Legal, além de 95 novas delegacias e 400 módulos policiais móveis. Para isso o orçamento da Secretaria da Segurança está sendo reforçado em R$ 500 milhões no atual exercício, e poderá dobrar até 2014. 
 
*Ademar Traiano é deputado estadual pelo PSDB e líder do governo na Assembleia Legislativa.
Ler 861 vezes
Entre para postar comentários
Top