A EFEMERIDADE DA VIDA

Todos os seres humanos deveriam viver melhor do que efetivamente vivem. Principalmente porque a vida é efêmera e parece que nos damos conta disso, apenas quando somos surpreendidos pela notícia da morte de alguém, próximo de nós.


Apesar das benesses da vida moderna, onde conforto e comodidade nos alcançam através de um simples toque da mão, a maioria das pessoas é infeliz, estressada, e cansada; ou porque sobrecarrega lembranças ruins e dolorosas do passado (não descarregam os seus fardos e por isso envenenam seu corpo), ou porque são inseguras, medrosas e temem de forma covarde, o dia de amanhã.

Ora, se a vida é efêmera e a gente não sabe por quanto tempo estaremos vivos, se desconhecemos o que acontecerá no momento seguinte, devemos viver a vida com entusiasmo, com intensa energia e sem temores exagerados. Não devemos ter ansiedades por nada e precisamos irradiar companheirismo, amor, cordialidade e simpatia as pessoas que nos rodeiam.

A vida precisa ser alegre, apesar de todos os pesares. Não se entristeça e nunca desanime com os reveses da vida porque nunca seremos velhos demais para reconstruir alguma coisa, nunca seremos velhos para amar ou para perdoar ou para afagar alguém. Insisto em dizer que o que o homem mais precisa é amor!

Se você pensa diferente e se fecha em si mesmo, reclamando de tudo e de todos, reflita o quanto esta forma de viver lhe prejudica e decida que é hora de mudar. Abra-se para o mundo e para as pessoas. Pare de cobrar coisas dos outros, da vida e de você próprio.

Cuide com zelo de seu corpo e de sua mente. Nós somos templos do Espírito Santo e a vida é um dom, um presente maravilhoso de DEUS e por isso é nosso dever conservar sadios o corpo e a mente, pois os males de um, refletir-se-ão infalivelmente no outro.

E olhe sempre para frente. O que passou, passou. É inútil chorar sobre leite derramado e impossível mudar o que já aconteceu.

Olhe para frente porque ainda é tempo de apreciar as maravilhas que nos rodeiam. Ainda é tempo de nos voltarmos para DEUS e agradecermos a benção de ter um coração pulsando no peito.

A vida é efêmera, não temos controle sobre ela, mas a vida ainda está em nós. Por isso viva cada dia como se fosse o último e seja sempre feliz porque a passagem do tempo deve ser uma conquista, nunca uma perda.

Amigo, tome esta decisão agora. Querer é a base para vencer!

*João Antonio Pagliosa
Eng. Agrônomo pela UFRRJ em 1972
Servo de Deus desde 2007
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Ler 674 vezes
Entre para postar comentários
Top