* Osmar Dias
O Paraná venceu uma grande batalha em Brasília no fim do mês de abril. Com a aprovação, no Senado Federal, de um Projeto de Resolução de minha autoria, nosso Estado ficou livre de pagar para a União uma multa de R$ 6 milhões por mês até o ano de 2029. Uma multa que nasceu por causa do passivo da venda do Banestado, um negócio muito mal feito por governos passados que penaliza a nossa terra e até hoje entristece o nosso povo.

Bruno Peron
A questão migratória na fronteira entre México e Estados Unidos é aviltante e delicada. Não é simples sacar ilações de um contexto em que os colonizadores tiveram matrizes culturais completamente distintas e a fronteira de 3.000 km divide nações que pouco se entendem.

Mario Eugenio Saturno

Os cientistas e suas descobertas têm uma incrível capacidade de nos surpreender. Um grupo resolveu cozinhar algas a alta pressão e conseguiram produzir um biocombustível de boa qualidade. Foram inspirados pela natureza, utilizando os mesmos processos, só que sem ter que esperar os milhões de anos para formar petróleo.

A responsabilidade é diretamente proporcional à consciência dos atos cometidos, dizem-nos os entes amigos que nada mais querem que prosperemos e amemo-nos uns aos outros.

Mario Eugenio Saturno
A ciência tem desenvolvido uma grande variedade de remédios para tratar as mais diversas doenças. Obviamente, diversos fatores influem no desempenho de um tratamento. Uma nova linha de pesquisa, que considera o ciclo circadiano humano, de vigília e sono, pode revolucionar as terapias.
Os cientistas do "Institut National de la Santé et de la Recherche Médicale" da França realizam uma pioneira pesquisa em quimioterapia considerando o horário da aplicação das drogas. Eles descobriram que as drogas foram mais eficazes à tarde, das 13 às 16h. A pesquisa envolveu diferentes drogas quimioterápicas, abrangendo 114 pacientes com câncer intestinal e 45 com câncer nos pulmões.
Os resultados foram surpreendentes, as drogas foram duas vezes mais efetivas na redução dos tumores no período vespertino e, ainda, o efeitos colaterais à saúde foram equivalentes a um quinto dos outros pacientes. Francis Lévi acredita que à tarde as células do corpo entram em um estado de repouso absorvendo menos as drogas, por isso o organismo sofre menos os efeitos negativos do tratamento. Isso se deve por conta do relógio que temos em nosso corpo e determina durante o dia diferentes níveis da temperatura, da secreção de hormônios, da atividade de enzimas dos rins, etc.
Para diminuir os efeitos colaterais das drogas quimioterápicas, a equipe da França e mais oito grupos europeus da Itália e Reino Unido uniram-se para criar o Projeto TEMPO ("Génomique temporelle pour l'individualisation de la chronothérapeutique") e desenvolver terapias baseadas no relógio humano. Nesse projeto, os cientistas já testaram a toxicidade de duas drogas, a irinotecana, usada no tratamento de câncer colo-retal, e a seliciclib, droga em desenvolvimento. A irinotecana provoca grave diarréia em 30% dos pacientes, declínio nas células brancas em quase metade dos pacientes e extremo cansaço. A Seliciclib causa grave fadiga e desordens metabólicas. Em experimentos com ratos, os medicamentos aplicados em diferentes horas do dia provocaram efeitos colaterais até três vezes piores. Para os pesquisadores, a irinotecana deveria ser administrada às 5h da e a Seliciclib às 2h. A toxicidade depende ainda do sexo e da herança genética.
Esse é um sucesso de um longo trabalho. O dr. Lévi iniciou suas pesquisas no inicio da década de 1990, quando resolveu experimentar a cronoterapia em pacientes com câncer nos intestinos bastante avançado. As drogas usadas são muito tóxicas, a 5-FU e um composto de platina. No grupo testado, a 5-FU foi administrada no meio da noite e a platina no meio do dia. Enquanto que nos pacientes que recebiam a droga por infusão continua por cinco dias, tratamento comum, tiveram uma redução do tumor em apenas 30% desses pacientes, nos pacientes que receberam as drogas em horários escolhidos, o sucesso chegou a 50% deles. Algo a ser considerado nos nossos hospitais.
* Mario Eugenio Saturno, de Bariloche - Argentina, é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), professor universitário e congregado mariano. (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)
 

Não há que usar meias palavras face os graves problemas de pedofilia por parte de membros do clero que nestes últimos tempos afloram à superfície da história e das manchetes.

Mario Eugenio Saturno
Durante a campanha de lançamento do primeiro satélite brasileira, SCD-1, fomos a Los Angeles visitar um de nossos colegas que trabalhavam na montagem de um dos BrasilSat, lá ouvi do meu atual chefe em quais situações se conhece uma pessoa.

INPE em destaque

Mario Eugenio Saturno
Depois de ser apontado como o site institucional de ciência e tecnologia mais acessado do Brasil e ter esclarecido autoridades sobre incidências de raios e trovões, o INPE iniciou o mês de março tendo um pesquisador e um de seus centros ganhando reconhecimento.

 

Hubble, vinte anos

Mario Eugenio Saturno
Edwin Powell Hubble foi um astrônomo espetacular, no telescópio instalado no Monte Wilson, ele descobriu que as nebulosas eram galáxias e que se afastavam umas das outras, primeira evidência do Big Bang.

 

Bruno Peron

Ao mesmo tempo em que o governo Lula tenta democratizar o acesso à internet banda larga nas escolas tupinicas, o Brasil ocupa a modesta posição 61ª entre os países que foram avaliados em desenvolvimento de tecnologia de informação e comunicação.

 

Página 35 de 36
Top