Política - Jornal Novo Tempo
A executiva do PMDB de Ampére esteve reunida no sábado, na sala de sessões da Câmara Municipal para definir algumas ações a serem colocadas em práticas visando as eleições de outubro.
Continua alto o percentual de pessoas que não têm interesse nas eleições para presidente da República.
Reunião segunda-feira (03/10) levou lideranças e parlamentares do Sudoeste do Paraná à sede do CEFET-PR, em Curitiba, instituição que, até o final do mês de outubro, atenderá pelo status de Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), a primeira do Brasil neste ramo de ensino.
Nos últimos minutos antes do fim do prazo legal, às 19h de quarta-feira, para protocolar as candidaturas para o governo do Paraná, Senado, deputado estadual e federal, no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), a novidade ficou por conta do aumento do número, 8 para 11, dos nomes que disputarão o Palácio Iguaçu.
Às vésperas de eleger o novo presidente da Câmara e em meio à pior crise do governo, com três CPIs em funcionamento, o Ministério do Planejamento prometeu a liberação de R$ 500 milhões para emendas parlamentares individuais. A demora em liberar recursos para essas emendas é uma queixa recorrente dos parlamentares e que já causou diversos atritos entre o Executivo e o Legislativo. Com o agravamento da crise política, a medida pode ajudar a acalmar os ânimos. "Eu não sei se acalma, nós estamos liberando aquilo que nós temos condições de liberar", disse o ministro Paulo Bernardo.
Primeiro turno deve se caracterizar pela fragmentação partidária, mas segundo turno prevê a polarização entre direita e esquerda.
DT) formalizou segunda-feira (26/06), no plenarinho da Assembléia Legislativa, o lançamento de sua candidatura ao governo do Paraná, numa aliança com o Partido Progressista.
A senadora Heloísa Helena, candidata do Psol à Presidência da República, disse que nunca imaginou que o governo do ex-colega de partido, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fosse articular um esquema como o mensalão.
Os líderes do PFL, PSDB, PPS, PMDB e até do PT já discutem nos bastidores pelo menos duas fórmulas para afastar da presidência da Câmara o deputado Severino Cavalcanti (PP-PE). Além do impedimento por um processo formal de cassação do mandato, na hipótese de vir a ser comprovada quebra do decoro parlamentar, está em pauta o voto de desconfiança para forçar sua renúncia. A revista Veja desta semana traz a denúncia de que Severino recebia "mensalinho" de R$ 10 mil.
O relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR), afirmou que operar caixa dois numa campanha é fraudar as eleições. Serraglio atacou o discurso de que o caixa dois é uma prática normal, generalizada na política brasileira. “Eu acho que o cara que diz isso, que faz uma confissão dessa, deveria ser preso na hora”, disse.
Top