Muitas mulheres podem sentir leve depressão e oscilações de humor nas primeiras semanas depois do nascimento de um filho.

Terras à vista

Mario Eugenio Saturno
Desde que Galileu criou um telescópio melhor que o de Hans Lippershey e fez algo impensável, apontou-o para os céus, a Astronomia nascera e passou de uma ciência estática para um dinamismo cada vez mais incrível. Muitas descobertas foram feitas e grandes astrônomos surgiram, entre os quais destaco Hubble e Lemaitre.

Mario Eugenio Saturno
No Brasil, comemoramos pouco as conquistas que fazemos na área científica e tecnológica.

Mario Eugenio Saturno
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) divulgou nos últimos dias um interessante estudo do desemprego e desigualdade no Brasil metropolitano (vide Comunicado do IPEA Nº 76), que abrangeu as seis principais regiões metropolitanas do país (Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Recife). Embora esteja recheado de números positivos, mostrando a redução do desemprego, fato muito bem usado durante a campanha presidencial, constatou-se também uma importante desigualdade.
Todo cidadão já ouviu aquela famosa crítica às estatísticas: eu como dois frangos, você nenhum, na média, comemos um frango cada... Porém, quem pensa assim, não sabe aprofundar a estatística e entender que se podem fazer estudos mais qualitativos como esse do IPEA, que avaliou o emprego sob quatro dimensões, como veremos a seguir.
(1) Queda do desemprego e impacto no rendimento dos ocupados. Nos anos de 2006, 2008 e 2010 ocorreu um importante movimento de redução do desemprego e elevação da taxa de ocupação. Acompanhado ainda de um aumento real do rendimento do conjunto dos ocupados. Entre dezembro de 2005 e dezembro de 2010, o número de desempregados caiu 31,4% e o número de ocupados cresceu 12,7%, enquanto o rendimento médio real dos ocupados aumentou 17,8% em termos reais. Nesse mesmo período de tempo, o valor real do salário mínimo nacional cresceu 33,2%. Por sua vez, o Produto Interno Bruto per capita aumentou 12,4% acima da inflação de 2005 a 2009. Muito bom, não?
Não para os mais pobres... (2) Desigualdade do desemprego segundo a distribuição pessoal dos Rendimentos. No caso dos 10% com menor rendimento, a elevação na taxa de desemprego foi de 44,2% (de 23,1% para 33,3%), já para os 10% com maior poder aquisitivo, a taxa de desemprego caiu 57,1% no mesmo período de tempo (de 2,1 para 0,9%). Diante disso, a desigualdade aumentou.
(3) Desigualdade do desemprego segundo condição do trabalhador pobre e não pobre. Ficou constatado que no Brasil metropolitano a desigualdade aumentou entre o conjunto dos desempregados. No ano de 2010, a taxa de desemprego dos trabalhadores não pobres foi de 2,8%, enquanto em 2005 era 4,5%. Ou seja, uma queda de 37,8% em cinco anos. Para os trabalhadores pobres, a taxa de desemprego passou de 14,4% para 18,5%. Com isso, houve aumento de 28,5% na taxa de desemprego dos trabalhadores pobres entre 2005 e 2010. Dura realidade!
(4) Tempo de procura por trabalho. Nesse quesito houve uma mudança, os mais pobres encontram trabalho mais rápido enquanto os mais ricos estão demorando mais. Parece bom... parece, mas não é! Os mais pobres encontram trabalhos precários e de curta duração, retornando rapidamente à condição de desemprego enquanto aqueles estão mais seletivos. Enfim, um país ainda mais injusto, apesar da propaganda oficial que insisti em dividir os meus dois frangos com você.
Mario Eugenio Saturno é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), professor do Instituto Municipal de Ensino Superior de Catanduva e congregado mariano. (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

Freud e a Religião

Mario Eugenio Saturno
Um excelente e interessante texto de D. Estevão Bettencourt trata de Freud e a Religião. Sigmund Freud, que dispensa apresentação, resolveu explicar a origem da Religião através de um mito, do Velho Gorila. Na época de Freud, a Ciência, que ainda engatinhava, cria que a humanidade primitiva vivia como uma horda de gorilas ou de animais selvagens, porém, a Antropologia não comprovou isso nem nos vestígios da pré-história nem nas populações primitivas ainda hoje existentes.

A cantora Adriana Calcanhoto interpreta uma linda composição de Edu Lobo e Chico Buarque chamada “Ciranda da Bailarina”. Você já ouviu essa canção? Depois de ouvir a música inúmeras vezes, passei a refletir no quanto as pessoas são diferentes e algumas, abandonam a ação de confiar em si.

Estou no décimo primeiro andar de um prédio, no centro da capital de Santa Catarina.

A obesidade vem se tornando um grande problema de saúde na atualidade, atingindo indivíduos das diversas classes sociais, e permitindo que novas doenças se desenvolvam, assim, comprometendo seu bem estar físico e social.  O excesso de peso exerce pressão sobre órgãos e articulações e predispõe o corpo a doenças mais graves. A oferta exagerada de doces e alimentos gordurosos e o sedentarismo contribuem para elevar os índices de obesidade em todo o mundo. O tratamento visa mudanças de hábitos: alimentação saudável e prática de exercícios.
A Acupuntura Auricular é um grande aliado no tratamento da obesidade, é um ramo da Medicina Tradicional Chinesa destinado ao tratamento de enfermidades físicas e mentais através de estímulos de pontos situados no pavilhão auricular. Trata-se de um método natural, sem uso de medicamentos e de eficácia comprovada. A Acupuntura atua procurando restabelecer o equilíbrio primoroso das correntes elétricas do organismo.
A técnica consiste em implantar agulhas auriculares ou sementes de mostarda, ambas descartáveis, em pontos específicos do pavilhão auricular, escolhidos criteriosamente, de acordo com as necessidades terapêuticas do paciente, e estes são trocados semanalmente, assim, gerando um novo estímulo ao organismo.
A obesidade surge muitas vezes pelo mau funcionamento do intestino, a retenção de líquido no corpo, e na maioria das vezes por estados ansiosos que levam a ingestão exagerada de alimentos calóricos. A Acupuntura Auricular age eficazmente regulando o funcionamento do intestino, eliminando líquidos (desinchando), regulando a fome, auxiliando na melhora de humor e eliminando a ansiedade, assim, promovendo bem estar físico e psíquico para o individuo.
A Auriculoterapia tem rápido efeito sob o sintoma, e é usada também para combater estresse, dor, inflamação, alcoolismo, dependência de antidepressivos, depressão, dependência da nicotina, insônia, pressão arterial, ajuda no relaxamento muscular, no apetite de ex-fumantes, harmonizando a energia do organismo, assim, promovendo saúde. A acupuntura auricular é uma técnica natural e não farmacológica, assim, não interferindo no uso de qualquer medicamento já iniciado pelo paciente.
*Roberta Bonet, Psicóloga – Acupuntura Auricular
Atendimento em anexo a Fisioclin, na Avenida Rio Claro em Pranchita
Fone (46)3540-1401 ou e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Nos mais diversos segmentos, o concorrente é encarado como um verdadeiro monstro, inimigo voraz, ou ainda, afrontado como um adversário imbatível.

Raquel Momm

Pré-escola, jardim de infância, creche, escolinha... Educação infantil.
Educadora, tia, atendente... Professora.
Os nomes mudaram. Mas não apenas os nomes. A Educação Infantil mudou a concepção do cuidado, da aprendizagem e da brincadeira no ambiente escolar. Mudou a relação com a criança da primeira infância no ambiente escolar. Cresceu a importância desse período de escolarização para toda a vida do indivíduo.

Página 30 de 36
Top