Policial - Jornal Novo Tempo

Contrabando/Descaminho - No dia 28 de abril, às 23h15, após ter recebido informações anônimas, foram abordados na PRT 163, próximo à cidade de Barracão, pela equipe da PM, o caminhão Mercedes Benz/710, placas MBU-2968, de Maravilha (SC), conduzido por Leonir Luiz Behling, 37 anos, residente à Av. Padre Antonio 107, centro de Maravilha e o caminhão Agrale/9.200, placas MCX-6823, de Concórdia (SC), conduzido por Alcione Vedana, 32 anos, residente à Av. sete de Setembro 987, centro Maravilha. Cada um dos caminhões estava transportando cerca de quatro mil quilos de fumo, que segundo os motoristas afirmaram que era procedente da Argentina. Os Infratores e os caminhões apreendidos foram encaminhados à Polícia Federal de Dionísio Cerqueira (SC).

Ladrões roubaram R$ 10 mil em Santa Izabel
Na noite de terça-feira, dia 29, Claudiney Mario Dalzotto disse para a polícia que estava negociando a compra de brinquedos para Parque de Diversões com uma pessoa conhecida por Toco. Eles marcaram um encontro e o “falso empresário” compareceu em um Fiat Palio, placas de Cascavel, ANK 8689. Eles seguiram até uma casa no bairro São José Operário, onde um outro elemento estava esperando. Quando Claudiney entrou na casa o homem sacou uma pistola e roubou todo o seu dinheiro, R$ 10 mil. Logo que os assaltantes fugiram a polícia foi acionada. Na casa ficaram apenas as borrachas que prendiam o dinheiro. A ocorrência está sendo investigada pela polícia de Santa Izabel do Oeste.

Caminhoneiro é assaltado

Um caminhoneiro de Medianeira foi assaltado na madrugada de quarta-feira, dia 30, na PR 481, próximo do trevo de acesso a Salgado Filho. Celson José Kestring, 31 anos, disse que teve que parar o caminhão porque constatou que havia vazamento do ar do freio. Quando verificava o problema foi atacado por três elementos aramados. Roubaram R$ 800,00 em dinheiro e um telefone celular. Eles fugiram rumo a Beltrão, em um Tempra branco.

Vítima de acidente com moto morre em Hospital
Morreu dia 29, no Hospital São Francisco, em Beltrão, Luis de Mello, 25 anos, que se acidentou no dia 14 de abril. O acidente foi na PR 281, entre Alto Bela Vista e o acesso a Salto do Lontra. Luis pilotava uma moto Honda, CBX 250, de Joinville, placa MCY 7102, que colidiu em uma carreta Scânia 113, de Dois Vizinhos, placas LZM 0630, que era conduzida por Lucimar Antonio Zonin, 32 anos. Luis sofreu ferimentos graves, inclusive traumatismo craniano e ficou internado por 15 dias.

Criança e adolescente morrem em acidentes
Em Itapejara D’Oeste, no bairro Guarani, a pedestre Camile Cristina Carcevicz, de 6 anos, foi atropelada por um ônibus, conduzido por Edson de Ávila Cauvila. A menina morreu no local. Na PR 163, próximo de Planalto foi registrado acidente do tipo colisão frontal entre uma Saveiro de Francisco Beltrão, dirigida por Olívio Vieira, 63 anos, e uma bicicleta conduzida por Cláudio Barsch Rozim, de 16 anos. O ciclista foi socorrido com ferimentos graves e morreu depois de ser hospitalizado.
Mais quatro pessoas morreram em conseqüência de acidentes de trânsito nas rodovias do Sudoeste no final de semana. Uma das ocorrências com morte foi na manhã de sábado, dia 3, na PR 182, próximo do acesso para Jacutinga. Foi um choque contra elemento de pista envolvendo um Pálio de Francisco Beltrão, conduzido por Gilmar Soares Pinto, 19 anos, que morreu no local. Ele residia em Ampére. Outros dois acidentes com morte foram anotados no início da noite de domingo, dia 4. Na PR 481, próximo de Santo Antonio do Sudoeste, houve atropelamento de pedestre. Uma moto Honda Titan, CG 150, de Itajaí, Santa Catarina, pilotada por Luiz Carlos Hahn, 23 anos, atropelou Raul Freitas, 63 anos, que morreu no local. O motoqueiro sofreu ferimentos graves e foi hospitalizado. Marciano Rodrigo Hahn, 16, que era passageiro da moto, ficou com ferimentos leves. Na PR 280, próximo de Palmas, ocorreu um abalroamento longitudinal entre um caminhão Mercedes-Benz 2425 de Itapejara D’Oeste, dirigido por Eurico dos Santos, 32, e um Vectra de Curitiba, conduzido por Edinei Cardoso, 47 anos. Morreram no local do acidente Edinei Cardoso, 47, e Jaime Bonetti, também 47 anos. Luz Goreti Miranda Bonetti, 47, teve ferimentos graves, e Nilo Cascaes dos nascimento, 62, ferimentos leves.

Apreensão de maconha em Capanema

No dia 28, policiais rodoviários realizavam operação de fiscalização na PR 163, em Planalto, quando tentaram abordar um Fiat Palio Weekend, de Esteio, Rio Grande do Sul, placas IHD 7420, mas o condutor não atendeu a ordem de parada e tentou fugir em direção à Capanema, momento em que foi perseguido pela polícia. Próximo da localidade de Faradai, interior de Capanema, o condutor abandonou o carro e se escondeu em um matagal. No porta-malas do veículo foram encontrados 227 quilos de Maconha. A droga estava distribuída em 694 tabletes. A Maconha apreendida foi entregue na delegacia de Capanema. De acordo com a polícia, o veículo está registrado em nome de Angela Perini. A partir desta constatação os policiais tentarão identificar quem estava conduzindo o carro com a droga.
Jovem é atingido com a própria arma
No dia 30, aconteceu uma morte em uma estrada vicinal na localidade de Sagrada Família, no interior de Planalto. Alexandre Defendi, 24 anos, trafegava de moto, levando uma espingarda, calibre 22. A arma disparou acidentalmente e ele foi atingido no abdômen. Ele foi encontrado caído ao lado da arma e da moto. Ainda chegou a ser socorrido, mas morreu em função da gravidade do ferimento. O corpo foi necropsiado no IML de Francisco Beltrão. A Polícia Civil de Planalto abriu inquérito para apurar o caso.
Ronaldo confessa: ‘Foi o pior erro da minha vida’
O atacante Ronaldo, do Milan, falou neste domingo pela primeira vez depois do escândalo envolvendo três travestis, em um motel da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Em entrevista à TV Globo, o Fenômeno disse que está arrependido e que foi o pior erro da sua vida.
EXPLICAÇÃO
Fiz uma grande besteira na minha vida pessoal. Todos estamos sujeitos a errar. Quando cheguei ao local, comprovei que se tratava de um travesti e tentei concluir tudo ali para que eu pudesse voltar para casa. Estava arrependido, obviamente envergonhado por aquela escolha. Aí começou a extorsão.
ENGANADO
Não sabia que eram travestis. Sinto-me muito envergonhado de falar sobre esse assunto, foi uma questão muito pessoal. Não costumo abrir minha vida para a imprensa. Foi um ato desvelado, completamente estúpido da minha parte. Sou totalmente heterossexual, isso não há dúvida. Pouco importa o que ela fala ou deixa de falar.
RELAÇÕES SEXUAIS
Não tive relações sexuais. Na hora em que percebi que não era o que eu buscava, desisti.
DROGAS
Nunca consumi drogas. Continuo sendo um atltea, apesar de estar afastado pela lesão.
SÓBRIO
Eu tinha bebido um pouco depois do jogo, mas nada que me tirasse a capacidade de raciocinar.
EXTORSÃO
Quis terminar o programa pagando o que estava combinado. Duas aceitaram e a terceira não quis, então começou a me extorquir.
Pediu uma quantia absurda para que nada saísse na imprensa.
BRIGA COM A NAMORADA
Foi um erro gravíssimo da minha parte, até porque tenho namorada e sempre tive. Quando contei a ela, sua primeira reação foi de me xingar. Mas depois ela só me deu apoio. Obviamente para ela é muito difícil perdoar e não sabemos o que vai acontecer. Mas até ela que deveria ser a pessoa mais ofendida segurou a barra comigo.
QUADRILHA
Ao que tudo indica pelo que apareceu nos depoimentos, obviamente se trata de uma quadrilha que costuma fazer isso com pessoas famosas, casadas.
SEM PROCESSO
Não pretendo entrar na justiça.
SUJEITO NORMAL
Isso me aproxima das pessoas, porque sofri isso a vida inteira. Como jogador bem sucedido que sou, me colocam em outra esfera. Mas sou um ser humano por trás do personagem que carrego. Tenho medos e incertezas. Tudo o que uma pessoa normal tem.
FUTURO
Isso mancha para sempre. É inevitavel. O que tenho que fazer é tentar reconstruir. Como se fosse uma casa que foi derrubada por um furacão. Mas daqui a pouco vai ser algo inevtiável ouvir as pessoas me sacaneando. Até eu vou rir e fazer piada. É ridículo. Quem me conhece sabe das minhas escolhas, que eu nunca tive esses costumes. Daqui a pouco essa hitória passa.
CULPA
Na minha consciência teria pesado do mesmo jeito. Mesmo que não houvesse a extorsão e que não saísse a público essa história. É o que mais está me condenando.
REPERCUSSÃO
Chorei muito. É uma vergonha incrível. Uma decepção com esse ato isolado. Me emocionei com o delegado, durante o depoimento, e até dentro do carro. Tinha medo de expor mais isso tudo. Para mim, na mídia sensacionalista dá uma repercussão maior que a Copa do Mundo, infelizmente


Menor flagrada com maconha e cocaína
No sábado, 26, policiais rodoviários do posto da Água Branca, em Francisco Beltrão, abordaram um ônibus que fazia a linha de Foz do Iguaçu a Pato Branco. No interior de uma bolsa os policiais encontraram 21 tabletes de Maconha, pesando 8 quilos e 400 gramas. A droga estava escondida dentro de um aparelho de som e de DVD. Além da Maconha, também houve a apreensão de 40 gramas de Cocaína. A droga estava na bagagem de uma menor, de 17 anos. Ao ser apreendida ela disse que recebeu a droga em Foz do Iguaçu e faria a entrega em Pato Branco, mas não disse os nomes das pessoas que ficariam com a droga em Pato Branco.

Apreensão de drogas

Policiais Civis e Militares de Palmas realizaram uma operação conjunta que resultou na apreensão de drogas. Foi abordada uma Moto Twister, placa DOA 9222, pilotada por Rudimar de Lima da Silva, 24 anos, que portava uma pequena quantidade de Cocaína. Na delegacia ele disse que tinha escondido o restante de droga em um matagal. No local indicado a polícia encontrou 858 pedras de Crack. Em uma pensão onde ele estava residindo houve a apreensão de 152 gramas de Cocaína, R$ 4.682,00 em dinheiro, várias folhas de cheques, totalizando R$ 3.230,00 e diversos objetos de procedência duvidosa. Rudimar foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Duas mortes em acidentes de trânsito
No final de semana a Polícia Rodoviária registrou 16 acidentes de trânsito nas rodovias da região, que resultaram em duas mortes e 31 feridos. Os acidentes com morte aconteceram no domingo, 27. Na PR 473, próximo de Quedas do Iguaçu, choque contra árvore, envolvendo um Passat de Dois Vizinhos, conduzido por Francisco Subtil Machado, 51 anos, que sofreu ferimentos graves. Márcia Faccini, 21 anos, passageira do veículo, morreu no local do acidente.
Na PR 162, trecho de Pranchita a Pérola D’Oeste, colisão frontal entre um Apollo, de Pérola D’Oeste, dirigido por Antonio Varcil Lavarda, 56, e um Gol de Santo Antonio do Sudoeste, conduzido por Teresa Cabral Almeida, 60 anos. Teresa foi socorrida com ferimentos graves, mas morreu depois de ser hospitalizada. Sofreram ferimentos graves Antonio Varcil Lavarda, 56, Anderson Felipe Zanin Ottobelli, 2, e Jacomina Gomes de Castro, 57. Outras duas pessoas tiveram ferimentos leves.

Ex-vereador foi julgado
Na sexta-feira, 25, aconteceu julgamento no Fórum de Francisco Beltrão. Foi a júri popular o ex-vereador de Enéas Marques, Adelar Lima, acusado de homicídio. O crime aconteceu na cidade de Enéas Marques, no dia 17 de maio de 2004, quando o jovem Fábio Junior Uliana foi morto com um tiro de rifle. Lima já tinha sido julgado e absolvido, mas a promotoria recorreu e foi realizado novo julgamento. Em relação ao crime de homicídio, ele foi absolvido. Porém, acabou condenado por porte ilegal de arma de fogo. Lima foi condenado a dois anos, em regime aberto, prestação de serviços à comunidade e multa de R$ 2 mil, através do pagamento de cestas básicas.

Briga em Marmeleiro deixa dois feridos
Na quinta-feira, 24, aconteceu uma briga de grandes proporções na Linha Bela Vista, interior de Marmeleiro. Quando a polícia chegou ao local encontrou duas pessoas que tinham se envolvido na confusão, Jonas André dos Santos, 24 anos, e Renato Brizola Soeiro, 18, ambos com diversas lesões pelo corpo. Outros dois envolvidos já tinham sido encaminhados para casa hospitalar de Campo-Erê (SC), ambos com lesões graves. Foram hospitalizados Belmar Mezomo, 35 anos, e Amauri Borges dos Santos, 28. No local da confusão a polícia apreendeu um facão, duas facas, uma foice e uma garrucha, calibre 28, com um cartucho deflagrado. Jonas e Renato foram encaminhados para receber atendimento médico e depois foram detidos.


100% da maconha consumida no Paraná vem do Paraguai, diz Delazari
Toda a maconha consumida no Paraná e em grande parte do país tem como origem o Paraguai. Seriam, de acordo com informações extra-oficiais, perto de 6.500 hectares de plantação da droga no país vizinho - uma espécie de supersafra da droga. E pela posição geográfica, o Paraná acaba por ser a porta de entrada de grande parte da maconha que é consumida no Brasil. O negócio - trazer a droga do Paraguai para o Paraná - é tão lucrativo que chega a render 14 vezes o valor investido: o quilo da maconha é comprado por cerca de R$ 50 no Paraguai e revendido por até R$ 700 em São Paulo.
A constatação de que 100% da maconha consumida no Paraná e no Brasil é oriunda do Paraguai é técnica e química, explicou o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari. “O Instituto de Criminalista (IC) de São Paulo testa a maconha e analisa o solo em que a planta é produzida”, afirmou. A droga entra das mais diversas formas no estado. “Entra pelo lago Itaipu, via terrestre, por barco e até avião. Sempre na forma de tráfico internacional”, contou.

Secretaria não cumpre prazo para estatísticas
A promessa de divulgar até o dia 15 de abril estatísticas trimestrais da criminalidade (referentes a janeiro, fevereiro e março de 2008) não se cumpriu. Como o serviço atrasou, a Sesp pediu mais prazo para colocar as informações na internet: dias 20, 22 ou até dia 30 deste mês. Neste período o governo pretende apresentar os novos números da criminalidade, desta vez de 2008.
Na opinião do secretário esse comércio, cada vez mais em ascensão, pode ser combatido com reforço na estrutura da Polícia Federal (PF) na fronteira e com serviço de inteligência. Além disso, existe a possibilidade de uma parceria do governo paranaense com a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (Senad). “Estamos fazendo contato sim com a Senad, que me parece ser um órgão sério, que tem colaborado muito com a nossa polícia”, adiantou Delazari. “São coisas absolutamente confidenciais, mas já existe contato sim”, completou. Sobre o consumo de cocaína em solo paranaense, Delazari disse não possuir estatísticas. “Sabemos que vem principalmente da Colômbia e da Bolívia - também via Paraguai. É necessário, sem dúvida, uma maior atenção do governo federal na fronteira”.

Audiência na Assembléia
A entrada da maconha no Paraná foi um temas abordados pelo secretário durante a audiência do dia 16 da Comissão de Segurança da Assembléia Legislativa (AL), onde Delazari foi questionado pelos deputados estaduais sobre os dados da criminalidade no Paraná. Os números apresentados pelo secretário foram os mesmos divulgados no dia 11 pela própria secretaria. A audiência durou cerca de três horas e foi fechada para a imprensa. “Quem determinou isso (barrar a imprensa) foram os deputados Nelson Justus (DEM) e Alexandre Curi (PMDB) com base no regimento interno da Casa (AL)”, atacou o presidente da comissão, deputado Mauro Moraes (PMDB). “No final até foi bom isso. Porque se a imprensa entrasse oposição e governista ia bater boca só para aparecer”, completou Moraes.
Delazari avaliou a reunião com os deputados como positiva e se comprometeu a responder aos ofícios dos deputados, sobre a violência no Paraná, num prazo de até sete dias. “Só não podíamos responder antes porque os dados ainda estavam sendo compilados. Agora não há problema algum em divulgá-los”, disse. Os números da criminalidade no estado serão fornecidos a cada três meses. Até o fim deste mês será conhecido o número de homicídios dos primeiros três meses de 2008.

Assaltos em Salto do Lontra e Dois Vizinhos   
No dia 16, foram registrados assaltos em Dois Vizinhos e Salto do Lontra. Inclusive a polícia suspeita que a ação tenha sido praticada pelos mesmos elementos. O primeiro caso aconteceu na estrada que dá acesso à comunidade de Linha Empossado, interior de Dois Vizinhos. Ernilo Damo e Alvadino Ribeiro da Silva foram rendidos por três elementos encapuzados e armados de revólver. Roubaram R$ 26.280,00 e fugiram em um Escort, sem placas. Em Salto do Lontra o assalto aconteceu às 19h30  na Mercearia e Lanchonete  BR, no bairro Cristo Rei. De acordo com o proprietário, João Mezzomo dos Santos, o roubo foi praticado por dois elementos armados. Eles invadiram o estabelecimento e fecharam as portas. Depois reviraram as instalações da mercearia e a casa do proprietário, que fica em anexo. João foi obrigado a entregar R$ 700,00 que estava no caixa, cartões bancários com as senhas, DVD, telefone celular e cigarros. Após praticarem o assalto os elementos deixaram João e seus familiares trancados em um banheiro e fugiram em seu carro, um Corsa, placas APB 6084, prata, ano 2007. Inclusive, abasteceram o veículo com 12 litros de álcool em um posto de combustíveis próximo da casa da vítima.


Réu é absolvido em Júri realizado em Salto do Lontra
No dia 10 de abril, foi realizada mais uma sessão de júri no Fórum de Justiça da Comarca de Salto do Lontra tendo como réu, Gilmar Coelho, vulgo Gili, de 41 anos, acusado de tentativa de homicídio. O fato ocorreu no dia 20 de março de 2000 na comunidade de Linha Ésser, interior de Salto do Lontra. A vítima foi Pedro Antunes de Oliveira. Naquele dia, Gilmar efetuou seis disparos de arma de fogo contra Pedro, acertando três. A vítima foi socorrida e sobreviveu. Em seu depoimento, Gilmar disse que agiu em legítima defesa, já que Pedro teria lhe agredido com golpes de facão. Na acusação atuou o Promotor de Justiça da Comarca, Dr. Cláudio Siminovich. Na defesa atuaram os advogados, Gilberto Maria e Jorge Gotardi. A sessão foi presidida pela juíza, Flávia Molfi de Lima. O réu, que estava respondendo ao processo em liberdade, foi absolvido por unanimidade de votos, já que os jurados acataram a tese de legítima defesa.

Crimes encontram motivação na droga
Grande parte dos crimes contra a vida e contra o patrimônio – principalmente homicídio, furto e roubo – tem como motivação a droga. A revelação do coordenador do Núcleo de Repressão ao Tráfico de Drogas, delegado Sérgio Inácio Sirino, impressiona. Segundo ele, cerca de 70% dos crimes que são registrados tem a droga como pano de fundo. “A droga mais usada hoje é o crack. Só que o usuário geralmente não tem renda. Para manter o vício comete furtos ou roubos”, disse o delegado.
Mas não é só. Ele destaca que sob efeito da droga, o viciado que vai roubar torna-se mais violento. “Nos roubos, geralmente estão armados e não hesitam em tirar a vida de alguém para ficar com os pertences e trocar pela pedra”, disse o delegado. Os objetos roubados ou furtados são vendidos ou trocados pela droga. “O viciado não pode ficar devendo ao traficante, pois esta dívida pode lhe custar a própria vida”, falou o delegado.
Sirino enfatiza que é muito difícil largas as drogas, principalmente o crack. A cada dia mais pessoas de menos idade entram no vício para buscar a fuga de problemas como falta de estrutura familiar, religião, escolaridade deficiente, falta de emprego. “Ele busca a fuga, a partir disso vai roubar e quando percebe, já não tem mais volta”, disse. Para o delegado, a prevenção é o principal escudo contra o mundo das drogas.
Em março de 2007 o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, deu mais um passo no enfrentamento da criminalidade organizada que faz a distribuição de droga em larga escala no Paraná. Foi criado o Núcleo de Repressão ao Tráfico de Drogas da Divisão de Narcóticos da Polícia Civil do Paraná, funcionando a partir de seis bases: Curitiba, Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Cascavel e Pato Branco. Só em 2007, foram apreendidos pelos policiais 48 quilos de crack, nove toneladas de maconha, 12 quilos de cocaína e 15 quilos de haxixe - 176 pessoas foram presas.
As bases do Núcleo de Repressão ao Tráfico de Drogas são comandadas por delegados, que trabalham em conjunto com policiais civis e militares. A meta é investigar crimes que são geradores de criminalidade em larga escala e o tráfico de drogas se enquadra nesta categoria. O que os estudiosos chamam de ciclo econômico da droga movimenta mais de 3 trilhões de dólares por ano em todo o mundo. Os núcleos foram criados exatamente para combater não apenas o pequeno traficante. A prioridade é tirar de circulação quem está chefiando o esquema.
Os núcleos trabalham com inteligência policial a partir de técnicas de investigação atualizadas e usadas dentro e fora do Brasil. O objetivo não é promover ações que resultem em troca de tiro e enfretamento direto com os marginais. Por isso os delegados que estão à frente dos núcleos contam com o que há de mais moderno em termos de equipamentos para atuar dentro das técnicas de inteligência. A subordinação dos integrantes das bases dos núcleos é direta com a Divisão de Narcóticos da Polícia Civil e com o próprio secretário da Segurança Pública.
O Paraná saiu na frente quando o assunto é concentrar as denúncias contra o tráfico de drogas e agir no enfrentamento aos traficantes. Em junho de 2003, o governo estadual criou o serviço 181 Narcodenúncia. Com uma simples ligação telefônica e o repasse de informações pela população a polícia atua. De 2006 a março deste ano, os números impressionam: foram apreendidos mais de 250 mil quilos de maconha, quase duas toneladas de cocaína, mais de 2 milhões de pedras de crack. Desde o início do programa, mais de 16 mil prisões de pessoas ligadas direta ou indiretamente ao tráfico de drogas foram feitas.
Quando o sistema surgiu no Paraná o atendimento era feito através do telefone 161. Pouco mais de um ano depois do lançamento, a Anatel - Agência Nacional de Telecomunicações disponibilizou o número 181 para uso em todo o Brasil. De acordo com o coordenador estadual do programa, tenente-coronel Jorge Costa Filho, a tecnologia foi repassada para outros Estados brasileiros, que estudam a implantação do sistema ou já implantaram totalmente, como aconteceu no Mato Grosso do Sul. “Aqui no Paraná o governo acreditou no projeto e o resultado é visível”, disse ele.
A utilização pela população do 181 Narcodenúncia ajudou a colocar o Paraná como o Estado onde mais são registradas apreensões de droga em todo o Brasil. “Trata-se de uma parceria entre a população e as autoridades da segurança. A população nos conta o que sabe e nós montamos operações e ações policiais para prender os traficantes e evitar que a droga chegue aos centros de distribuição”, disse o coronel. “As pessoas que denunciam têm garantido o sigilo. Não há risco. E há transparência no trabalho, pois a comunidade vê os resultados”, reforçou.
Nos cinco anos de funcionamento o programa recebeu 15.049 ligações. Estas denúncias resultaram em 13.898 prisões de homens e 2.754 prisões de mulheres que atuavam direta ou indiretamente no tráfico de drogas. A partir das denúncias também foi possível identificar e apreender 3.321 meninos e 656 meninas que tinham ligação com este tipo de crime. “Isso demonstra a seriedade do trabalho que é realizado a partir da denúncia. O cidadão não fica sem resposta. Às vezes a resposta é imediata. Em outros casos precisamos de mais tempo, mas atuamos sempre”, frisou o coronel.
As ligações para o número 181 Narcodenúncia podem ser feitas de telefones fixos ou celulares de qualquer lugar do Paraná. Para facilitar o atendimento, o Paraná foi dividido em regiões a partir dos códigos de discagem à distância das operadoras de telefonia. As ligações são atendidas por pessoas treinadas, que ficam 24 horas por dia à disposição nos quartéis da Polícia Militar. Assim que as informações são recebidas, são imediatamente repassadas às autoridades, demonstrando uma perfeita integração entre a PM, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal.

Delazari terá muito o que explicar sobre a Segurança Pública
A presença do secretário Luiz Fernando Delazari vem sendo aguardada com expectativa pelos deputados da oposição, especialmente Marcelo Rangel, que nas últimas sessões da Assembléia Legislativa comentou sobre a falta de estrutura do policiamento do Paraná. “Enquanto a situação tenta nos apresentar um quadro maravilhoso e até chega a atribuir parte da culpa da nossa insegurança à sociedade, o dever do Estado está sendo esquecido”, comentou ontem o deputado Marcelo Rangel.
O deputado pretende esclarecer a questão do salário do PM, notadamente os menos graduados, que têm soldo de R$ 314. Rangel quer saber também sobre os aumentos, promoções e concursos públicos. São informações que não ficaram muito claras e que demonstra um dos motivos da fragilidade do policiamento diante da evolução sempre categórica do crime. Num dos seus últimos discursos Rangel comentou também que policiais não vem tendo reajustes salariais desde 2003. Mesmo diante da defesa insistente da situação o pepessista garantiu que “o que houve foi reposição salarial e jamais aumento”. Rangel defende que os policiais sejam equiparados ao menos pelo valor do salário mínimo proposto pelo governo para todos os paranaenses. E criticou que o governo fixe normas para a iniciativa privada, mas são normas que nem ele é capaz de cumprir com os seus funcionários, criticou.
A oposição como um todo está se sentindo desrespeitada e desvalorizada na Assembléia Legislativa. O deputado Rangel não vê a situação de outra forma ao garantir que “estão tentando desmoralizar o meu trabalho quando negam coisas evidentes”.
Ninguém pode esconder, por exemplo, que o efetivo policial do Paraná é um dos menores do Brasil, situação que pode ser corrigida através de um projeto onde os policiais que forem se aposentando possam ser recontratados em funções burocráticas, onde poderão usar toda a experiência já demonstrada na ativa.
Rangel afirma também que ao apontar os erros do Governo é encarado como um veemente opositor, quando na realidade o que ele pretende é ser um colaborador, mesmo não concordando com as formas de atuação do governo.


Polícia alcança foragido depois de 16 anos
A Policia Militar de Santo Antonio do Sudoeste deslocou ao Distrito de KM 10 onde efetuou a prisão de Valdomiro de Oliveira, 48 Anos, que se encontrava em visível estado de embriaguez alcoólica e passou a agredir sua convivente Neivanir Alves Garcia, 43 anos, sendo conduzido à Delegacia de Policia Civil para procedimentos referente à Lei Maria da Penha;  Valdomiro além do crime ora praticado, também possuía contra si mandado de prisão expedido pelo Poder Judiciário de Capitão Leônidas Marques, referente a Crime de Homicídio ocorrido no ano de 1992 e estava foragido da Justiça há 16 anos.

Prisão de estelionatário
No dia 05 de abril,  Policiais Militares de Santo Antonio do Sudoeste efetuaram a prisão de Alcione Rodrigo Argenta, 22 anos, que adquiriu mercadorias em uma loja, tendo feito o pagamento mediante apresentação de recibo de depósito bancário, no valor de R$ 650,00, tendo recebido de troco a importância de R$ 30. Alcione confessou que o recibo era falso, visto que, o mesmo relatou ter efetuado a movimentação no banco via terminal eletrônico sem colocar o dinheiro no envelope, ficando desta forma caracterizado o golpe que é crime de Estelionato, cuja tipificação está prevista no artigo 171 do Código Penal; Alcione, além do crime que acabara de cometer, tinha também em seu desfavor mandado de prisão em aberto expedido pela justiça do Estado de Santa Catarina, pelos crimes de Roubo e Formação de Quadrilha, sendo conduzido à Delegacia de Policia Civil, bem como as mercadorias apreendidas para procedimentos.

Roubo na estação do Iapar
A Estação Experimental do Iapar contabiliza um prejuízo superior a R$ 40 mil. Todo o estoque de insumos agrícolas do instituto foi roubado. Para o administrador da Estação Experimental do Iapar, Alceu Assmann, o furto envolveu mais de 10 pessoas, que retiram do galpão os insumos.
Para adentrarem no interior do galpão, eles danificaram dois cadeados e a fechadura da porta. Além disso, houve a tentativa de levar o veículo Toyota de propriedade do instituto. Alceu acredita que os elementos integram uma quadrilha especializada no roubo de insumos agrícolas, prevendo que os produtos foram transportados em diversos veículos.

A vida de um policial no Paraná vale R$ 100
O deputado Marcelo Rangel denunciou na Assembléia Legislativa a falta de valorização que o policial do Paraná está sofrendo praticamente durante os dois governos de Roberto Requião. O deputado disse que a falta de reajuste salarial da classe vem se estendendo ao longo dos últimos dois mandatos do governo Requião. Rangel criticou que o soldo do policial é hoje de R$ 290 e não chega a ser maior do que R$ 300 o que é inferior ao menor salário praticável no Brasil. E ele disse que no mínimo o salário a ser praticado no Paraná deveria ser aquele que foi proposto pelo governo para incidir sobre a iniciativa privada. “Aumento do soldo já”, pediu o deputado Rangel.
Outro assunto levantado pelo parlamentar é sobre o valor pago pelo governo ao policial por atuar numa função onde corre risco de vida: “vocês sabem quanto vale a vida de um policial? R$ 100. E com um agravante: no Paraná o risco de vida é ainda maior do que em outros estados porque aqui o baixo número de profissionais na ativa faz com que o policial seja acionado mais vez”, lamentou.
 Rangel apontou também que o policial do Paraná não recebe hora extra, adicional noturno ou vale refeição. E comparado a um policial de segunda classe de Santa Catarina o paranaense também leva desvantagem, pois o salário de ingresso um profissional de segunda classe catarinense é maior do que um paranaense com cerca de 20 anos de ativa. O valor de um qüinqüênio no Paraná e de R$ 15 e as chances de evolução na carreira são limitadas, pois os concursos públicos foram cancelados e o último realizado pelo atual governo foi anulado por suspeita de fraude.
E arrematou lembrando que se os efetivos de Ponta Grossa e Curitiba fossem dobrados, assim mesmo o quadro estaria defasado.
Apreensão de menores
A Polícia Militar de Salgado Filho com o apoio do Conselho Tutelar, chegou a um grupo de menores que praticavam vários furtos. Vários objetos foram recuperados e devolvidos aos seus proprietários e os menores apreendidos e encaminhados para as devidas providências.

Dois assassinatos, contra uma mulher e uma criança de apenas nove anos, revoltou os moradores de Chopinzinho. Os crimes aconteceram na manhã de terça-feira (19) na zona rural da cidade. Um homem suspeito pelo duplo homicídio foi detido. Revoltados, os moradores cercaram a delegacia da cidade. Eles ameaçavam invadir o local, só que o preso não estava mais lá. Os policiais disseram que por questões de segurança, o suspeito foi transferido para a delegacia de Pato Branco. O homem teria matado uma mulher durante um assalto numa casa. Um menino de nove anos, que também estava na residência, foi seqüestrado e, mais tarde, assassinado.
Com a existência de um corpo, com a identificação, a policia deu continuidade às investigações sob o comando Delegado de Polícia Civil, Dr. Sandro Spadotto de Barros, com a colaboração do Sargento PM, André Roberto Peres. Na segunda-feira à tarde, o Sargento Peres concedeu entrevista ao repórter do Jornal Novo Tempo, Vilmar Bitencourtt falando sobre o andamento das investigações e das prisões realizadas em Santa Izabel do Oeste, elucidando em parte, os vários crimes ocorridos nos últimos tempos no município
Top